A pobreza que infesta a cidade: os pequenos mendigos e “esmoleiros mirins”, e as representações da miséria em Caxias do Sul na década de 1970

Franciele Becher

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo analisar de forma qualitativa as representações construídas em reportagens e crônicas de jornais sobre crianças em situação de rua da cidade de Caxias do Sul na década de 1970. Procura situar as diferentes formas de controle e os discursos de moralização construídos durante a ditadura civil-militar brasileira em torno das camadas sociais consideradas como potencialmente perigosas, vistas inclusive como um problema para a segurança nacional do país. Produtos de uma ordem social degradante, os “esmoleiros mirins” e pequenos mendigos que habitavam o centro da cidade de Caxias do Sul eram temidos e representados nas fontes jornalísticas de forma sensacionalista e degradante. A estigmatização da pobreza, reforçada em diversas crônicas e reportagens através da construção de estereótipos negativos, funcionava como uma representação social da infância que desconsiderava as estratégias de sobrevivência precária daquelas crianças e de suas famílias.

Palavras-chave


Infância. Pobreza. Ditadura civil-militar brasileira.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/rbhcs.v8i15.379

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Franciele Becher

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional 

Desde 07 de março de 2009

A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia