Adoção de crianças negras: a visão de profissionais que atuam no sistema jurídico da infância e juventude

Autores

  • Estela Márcia França Aido Botelho Universidade Federal do Pará http://orcid.org/0000-0002-1843-4881
  • Lilia Ieda Chaves Cavalcante Universidade Federal do Pará
  • Fabíola Brandão da Silva Universidade Federal do Pará
  • Rafaela Dias Fernandes Universidade Federal do Pará

Palavras-chave:

crianças negras, adoção, adoção inter-racial

Resumo

Este artigo está baseado em pesquisa realizada com profissionais que atuam no sistema jurídico de da infância e juventude. Objetivou-se conhecer aspectos relacionados à adoção que envolve crianças negras, verificando se na visão dos profissionais a cor de pele e outros aspectos étnicos pode influenciar a sua colocação em família substituta. Os resultados obtidos apontam aspectos que foram relacionados de forma particular à adoção de crianças negras, tais como, o fato de serem estas realizadas geralmente por casais estrangeiros, sendo caracterizadas em sua maioria como adoções inter-raciais como descreve a literatura sobre o tema. Os achados, também, revelaram que adoção de crianças negras ainda é envolta de entraves relacionados à cor da pele da criança, os quais somados a outros fatores, como idade e sexo, tornam-se agentes limitadores no processo de adoção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Estela Márcia França Aido Botelho, Universidade Federal do Pará

Graduação em Serviço Social pela Universidade Federal do Pará. Especialista em Infância, Família e Políticas Sociais na Amazônia pela Faculdade de Serviço Social da Universidade Federal do Pará. Mestranda em Psicologia Social e Clínica na Universidade Federal do Pará. Atua como Assistente Social no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará.

Lilia Ieda Chaves Cavalcante, Universidade Federal do Pará

Lília Iêda Chaves Cavalcante é professora da Faculdade de Serviço Social da Universidade Federal do Pará. Está credenciada como professor orientador ao Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento, área de concentração da Ecoetologia. É Mestre em Serviço Social e Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento da Universidade Federal do Pará, com Pós-Doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência de trabalho na área de Serviço Social e Psicologia, com ênfase na Psicologia do Desenvolvimento Humano. Em seu Currículo Lattes os termos mais freqüentes são: Criança, Adolescente, Direitos da Criança e do Adolescente, Família, Escola, Unidade de Educação Infantil, Abrigo, Acolhimento Institucional, Adoção, e Autores de Violência/Agressão. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2 - CA PS - Psicologia e Serviço Social

Fabíola Brandão da Silva, Universidade Federal do Pará

Graduação em Psicologia - Universidade Federal de Alagoas (2013), Especialista pelo Programa de Residência Multiprofissional em Saúde do Adulto e do Idoso, no Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (2015), Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Alagoas. Atuou como estagiária no Hospital Universitário Professor Alberto Antunes na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Atuou como bolsista do Programa de Educação Tutorial - PET do curso de Psicologia da Universidade Federal de Alagoas desenvolvendo atividades relacionadas ao tripé da universidade: pesquisa, ensino e extensão, no âmbito das Políticas Públicas e Psicologia. Participou de Projetos de Iniciação Científica na área da Educação Infantil e da Atenção Primária em Saúde. Tem seu trabalho voltado para o campo da Psicologia em Saúde, tendo como principais temas de interesse: Políticas Publicas em Saúde, Psicanálise e Educação.

Rafaela Dias Fernandes, Universidade Federal do Pará

Bacharela em Serviço Social pela Universidade Federal do Pará (2013).

Referências

AMIM, I. D; MENANDRO, P. R M. Preferências por Características do Futuro Filho Adotivo Manifestadas por Pretendentes à Adoção / Isabela Dias Amim - Paulo Rogério Meira Menandro. Curitiba: Interação em Psicologia, jul/dez. 2007;
ARIÈS, Philippe. História Social da Criança e da Família. 2. Ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1978;
BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, Senado, 1988;
BRASIL. Lei Federal n. 8069, de 13 de julho de 1990. ECA _ Estatuto da Criança e do Adolescente;
COSTA, N. R. A., & ROSSETTI-FERREIRA, M. C. Negociando sentidos de maternidade e paternidade em diferentes momentos do processo de adoção. Em Z. M. M. Biasoli-Alves (Org.), Livro de artigos - Tomo II (pp. 391-403). Ribeirão Preto: Programa de Pós-Graduação em Psicologia da FFCLRP-USP. 2004;
DEL PRIORE, Mary (org). História da criança no Brasil. 4º.ed. São Paulo: Contexto, 2002.
GUEIROS, Dalva Azevedo. Adoção Consentida: do desenraizamento social da família à prática de adoção aberta / Dalva Azevedo Gueiros. São Paulo: Cortez, 2007;
GUIMARÃES, Antonio Sergio Alfredo. Racismo e antirracismo no Brasil / Antonio Sergio Alfredo Guimarães. 2º ed. São Paulo: Editora 34, 2005;
INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA – IPEA. Levantamento nacional de abrigos para crianças e adolescentes da rede SAC. Brasília. Retirado em 08-01-2015, no World Wide Web: http://.www.ipea.gov.br.
LEI nº 6.697, de 10 de Outubro de 1979. Institui o Código de Menores. Disponível em http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1970-1979/lei-6697-10-outubro-1979-365840-publicacaooriginal-1-pl.html. Acessado em 18/04/2012;
MARCÍLIO, M. L. História Social da Criança Abandonada. São Paulo: Hucitec, 1998;
MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento científico: pesquisa qualitativa em saúde. 2. Ed. São Paulo: Hucitec – Abrasco, 1994;
PAIVA, Leila Dutra de. Adoção: significados e possibilidades / Leila Dutra de Paiva. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004;
RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1989;
RIZZINI, Irene. O Século Perdido: raízes históricas das políticas públicas para a Infância no Brasil / Irene Rizzini. – 2 ed. rev. – São Paulo: Cortez, 2008;
RUFINO, Silvana da S. Uma realidade fragmentada: a adoção inter-racial e os desafios da formação de uma família multirracial. Katálysis v. 5 n. 1. Florianópolis, 2002;
RUFINO, Silvana da S. Nos Elos de Uma Filicação Multirracial: a adoção inter-racial nos limiares da educaão intercultural. Dissertação de Mestrado. Disponível em https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/85638/195723.pdf?sequence=1. Acesso em 10/03/2015.
SCHREINER, Elida. N. P. de. Identidade Negra e Adoção Inter-racial. In: Boletim Nas Janelas da Adoção. n. 22/23. São Paulo, 2000;
SILVA FILHO, Artur Marques da. O regime jurídico da adoção estatutária. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2011;
SILVEIRA, Ana Maria da. Adoção de Crianças Negras: inclusão ou exclusão? / Ana Maria da Silveira. São Paulo: Veras Editora, 2005;
VARGAS, M. M. Adoção Tardia: da família sonhada à família possível. São Paulo, Casa do Psicólogo, 1998;
WEBER, L. N. D. Laços de Ternura: pesquisas e história da adoção. 2 ed. Curitiba: Juruá, 1999.

Downloads

Publicado

2018-08-21

Como Citar

Botelho, E. M. F. A., Cavalcante, L. I. C., da Silva, F. B., & Fernandes, R. D. (2018). Adoção de crianças negras: a visão de profissionais que atuam no sistema jurídico da infância e juventude. Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 10(19), 205–225. Recuperado de https://periodicos.furg.br/rbhcs/article/view/10681