Da construção da “individualidade” ao “indivíduo sitiado”: Uma crítica Baumaniana ao elogio do hibridismo cultural.

Autores

  • Ianko Bett PUCRS

Palavras-chave:

Individualidade. Identidade. Hibridismo cultural.

Resumo

O artigo tem o objetivo de colocar em evidência uma releitura Baumaniana da perspectiva teórica da categoria “hibridismo cultural” estabelecida enquanto um “carro-chefe” dos processos de construção das diferenças. Para tal empreendimento, colocaremos em discussão dois momentos da produção de Zygmunt Bauman, aqui entendidos como estudos que se complementam teoricamente, quais sejam: a construção da “individualidade” do livro Modernidade Líquida, que enfatiza a passagem do ser para o dever ser no mundo do capitalismo globalizado; e o “indivíduo sitiado” de Vida Líquida, em que Bauman trabalha e problematiza acerca da busca desenfreada pela individualidade e as suas consequências no processo de construção de identidades

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ianko Bett, PUCRS

Mestre em História Latino-Americana pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS. Doutorando em História pela PUCRS.

Downloads

Publicado

2015-05-31

Como Citar

Bett, I. (2015). Da construção da “individualidade” ao “indivíduo sitiado”: Uma crítica Baumaniana ao elogio do hibridismo cultural. Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 3(6). Recuperado de https://periodicos.furg.br/rbhcs/article/view/10452