Kafka, tempo hipotético, espaço íntimo

Daniel Baz dos Santos

Resumo


A obra de Franz Kafka sempre foi conhecida como um universo intrincado, aberto e inesgotável. Contudo, é possível indicar alguns caminhos constantes seguidos por ele e certas zonas estáveis de sentido em sua obra. Sendo assim, este artigo pretende demonstrar como Kafka cria uma nova forma de conceber a ficção na sociedade moderna. O autor faz isso ao subverter a lógica interna do romance de aventura, já que o inesperado, o monstruoso, as mudanças de sorte, todos estes aspectos tipicamente aventurescos, podem ser encontrados no espaço íntimo dos heróis. Além disso, a ficção de Kafka estabelece um novo tipo de protagonista, o hermeneuta, ou seja, o indivíduo que precisa interpretar os códigos ao redor de si em ordem de seguir sua jornada.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor. Notas de literatura I. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2003.

ANDERS, Günther. Kafka: pró e contra. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e de estética: teoria do romance. São Paulo: Ed. da UNESP, 1998.

BENJAMIN, Walter. O narrador: considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: ______. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Obras escolhidas. v. 1. São Paulo: Brasiliense, 1987. p. 197-221.

BRADBURY, Malcolm; MCFARLANE, James. Modernismo: guia geral. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

CARONE, Modesto. Lições de Kafka. São Paulo. Companhia das Letras, 2009.

DACANAL, José Hildebrando. Ensaios escolhidos. Porto Alegre: Leitura XXI, 2002.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Kafka: por uma literatura menor. Rio de Janeiro: Imago, 1977.

ESCHENBACH, Wolfram Von. Parsifal. Brasília: Thot, 1989.

ECO, Umberto. Obra aberta. São Paulo: Perspectiva, 1991.

JANOUCH, Gustav. Conversas com Kafka. São Paulo: Novo Século, 2008.

KAFKA, Franz. Um médico rural. São Paulo: Brasiliense, 1994.

______. Narrativas do espólio. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

______. Contemplação / O foguista. São Paulo: Companhia das Letras,

______. Um artista da fome e A construção. São Paulo: Brasiliense, 1994.

LIMA, Luiz Costa. Limites da voz (Montaigne, Schlegel, Kafka). Rio de Janeiro: Topbooks, 2005.

LÖWY, Michael. Sonhador insubmisso. Rio de Janeiro: Azougue, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Cadernos Literários