Testemunho da barbárie como resistência à biopolítica

Gabriela Simões Pereira

Resumo


Este trabalho objetiva apresentar um possível papel para o testemunho das vítimas da violência biopolítica: refrear a mimetização da violência. Partindo desse papel, o testemunho apresenta-se como arena de luta política contra a repetição dos atos de barbárie. Esta pesquisa se justifica tendo em vista a necessidade do combate à naturalização da violência como técnica de governo, bem como à política de desmemória que contamina as estruturas sociais.


Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. O que resta de Auschwitz: o arquivo e a testemunha. (Homo Sacer III). Trad. Selvino J. Assmann. São Paulo: Boitempo, 2008.

BENVENISTE, Émile. Problemas de linguística geral I. Campinas: Pontes, 2005.

BENJAMIN, Walter. Sobre o conceito de história. In: ______. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura (Obras escolhidas, vol. I). Trad. Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1987.

DELEUZE, Gilles. Conversações, 1972-1990. São Paulo: Ed. 34, 1992.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade – curso no Collège de France (1975-1976). Trad. Maria Ermatina de Almeida Prado Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

______. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: Nau, 2013

______. História da sexualidade – a vontade de saber I. Rio de Janeiro: Graal, 2011.

HORKHEIMER, Max. O eclipse da razão. São Paulo: Centauro, 2002.

LEVI, Primo. É isto um homem? Trad. Luigi del Re. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

MATE, Reyes. Memórias de Auschwitz: atualidade e política. Trad. Antônio Sidekum, São Leopoldo: Nova Harmonia, 2003.

RUIZ, Castor M. M. Bartolomé. A sacralidade da vida na exceção soberana, a testemunha e sua linguagem: (re) leituras biopolíticas da obra de Giorgio Agamben. Cadernos IHU, São Leopoldo, ano 10, n. 39, 2012.

RIGON, Bruno Silveira; CARVALHO, Juliano; DIVAN, Gabriel. O papel do testemunho para a desconstrução da violência biopolítica. Sistema Penal e Violência, Porto Alegre, v. 6, n. 2, p. 196-210, jul./dez. 2014.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Reflexões sobre a memória, a História e o esquecimento. In: SELIGMANN-SILVA, Márcio (Org.). História, memória e literatura: o testemunho na era das catástrofes. Campinas: Ed. da UNICAMP, 2003.

______. Narrar o trauma: a questão dos testemunhos de catástrofes históricas. In: Psicologia Clínica, Rio de Janeiro, v. 20, n. 1, p. 65-82, 2008.

______. Estética e política, memória e esquecimento: novos desafios na era do Mal de Arquivo. Remate de Males, Campinas, 29(2), p. 271-281, jul./dez. 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Cadernos Literários