(Re)pensando o feminismo de Nísia Floresta e a sua contribuição para a história e literatura brasileira

Autores

  • Graziela Rinaldi da Rosa FURG

Resumo

Nísia Floresta, uma brasileira que atuou como educadora, indianista, republicana do século XIX e que fundou escolas para meninas e criou uma educação, que é considerada uma educação feminista. Pretende-se problematizar nesse trabalho até que ponto sua filosofia de educação contribui para superação dos padrões das mulheres da época? Teria rompido com a maneira com que se pensava a educação das meninas na época? Qual o modelo de mulher e de educação que encontramos? As suas “escritas do eu” a caracterizam como uma feminista ou pré-feminista? Sendo assim, pretende-se pensar essas questões e problematizá-las no contexto das “vozes femininas e das escritas do eu”, visto que sua voz compõe uma história do pensamento feminino brasileiro, e nos ajuda a pensar as Relações de Gênero, a História das Mulheres e a Literatura brasileira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

______. Opúsculo humanitário. Introdução e Notas de Peggy-Sharpe. São Paulo: Cortez, 1989.

______. Direitos das mulheres e injustiça dos homens. Introdução e Notas de Constância Lima Duarte. São Paulo: Cortez, 1989b.

______. Três anos na Itália seguidos de uma viagem à Grécia. Tradução de Francisco das Chagas Pereira. Natal: Ed. da UFRN, 1998.

______. Itinerário de uma Viagem à Alemanha. Santa Cruz do Sul; Florianópolis: EDUNISC; Mulheres, 1998a.

______. Passeio ao arqueduto da carioca. In: DUARTE, Constância (Org.). Inéditos e dispersos de Nísia Floresta. Natal: Ed. da UFRN, 2009d. p. 33-44.

FRAISSE, Geneviève. Da destinação ao destino. História filosófica da diferença entre os sexos. In: PERROT, Michelle; DUBY, Georges (Dir.). História das mulheres no ocidente: o século XIX. Porto: Afrontamento, 1991. v. 4, p. 59-96.

LEITE, Míriam, I. Moreira, MASSAINI, Márcia Ignez. Representações do amor e da família. In: D’INCÃO, Maria Angela (Org.). Amor e família no Brasil. São Paulo: Contexto, 1989. p. 70-87.

PAIXÃO. Sylvia. A fala-a-menos: a repressão do desejo na poesia feminina. Rio de Janeiro: Numen, 1991.

PAZ, Octavio. O labirinto da solidão e Post. Scriptum. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

PERROT, Michelle. As mulheres ou os silêncios da história. São Paulo: EDUSC, 2005.

ROSA, Graziela Rinaldi. Transgressões e Moralidade na formação de uma “Matrona esclarecida”: contradições na Filosofia de Educação Nisiana. Tese de Doutorado. UNISINOS, 2012. Disponível em: <http://biblioteca.asav.org.br/vinculos/tede/GrazielaRinaldidaRosa.pdf>. Acesso Julho 2015.

SABINO. Ignez D. Mulheres illustres do Brazil. Prefácio Arthur Orlando Florianópolis: Mulheres, 1996. Edição fac-similar.

Downloads

Publicado

2019-07-15

Como Citar

Rosa, G. R. da. (2019). (Re)pensando o feminismo de Nísia Floresta e a sua contribuição para a história e literatura brasileira. Cadernos Literários, 24(1), 81–90. Recuperado de https://periodicos.furg.br/cadliter/article/view/9222

Edição

Seção

Dossiê I Seminário Internacional Literatura, Cultura e Imaginário e do I Sem. Int. Vozes Femininas e Escritas do Eu