VIOLÊNCIA, HISTÓRIA E MEMÓRIA EM SÃO BERNARDO E ANGÚSTIA, DE GRACILIANO RAMOS

Autores

  • Helton Marques Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP/Assis)

Resumo

O conjunto da obra literária de Graciliano Ramos caracteriza-se não somente por apresentar estilo “seco”,
apurado e preciso, traço estilístico tão conhecido do autor alagoano, mas também por representar, de forma
exemplar, o contexto sócio-histórico brasileiro da primeira metade do século XX. A partir da reelaboração
literária de sua própria experiência, Graciliano, movido pela memória, procurou refletir em sua obra sobre
a relação do indivíduo com o Poder e as agruras da Lei, seja esta paterna ou social, retratando as formas de
sociabilidade e os modos de subjetivação próprios de um contexto histórico marcado pela violência e
opressão. Tendo isso em vista, este artigo tem como principal finalidade desenvolver uma análise
interpretativa da representação literária da violência na obra de Graciliano Ramos, principalmente nos
romances São Bernardo e Angústia, resultado de pesquisa desenvolvida em Tese de Doutorado, defendida
e aprovada no ano de 2018.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-12-20

Como Citar

Marques, H. (2021). VIOLÊNCIA, HISTÓRIA E MEMÓRIA EM SÃO BERNARDO E ANGÚSTIA, DE GRACILIANO RAMOS. Cadernos Literários, 28(1), 43–53. Recuperado de https://periodicos.furg.br/cadliter/article/view/13846

Edição

Seção

Artigos