Erico Verissimo e a América Latina: distanciamentos e aproximações

Elisiane da Silva Quevedo

Resumo


Este ensaio se propõe a analisar a trajetória do escritor gaúcho Erico Verissimo na perspectiva do seu envolvimento com questões relativas a latinidade transparecido na sua atuação como intelectual e escritor. Ao longo de sua carreira, o romancista, enquadrado na Segunda Geração Modernista, parece ter tomado posições políticas ambíguas e controversas, mas sempre lamentando as injustiças sociais e se colocando como um defensor das liberdades individuais e contrário a toda forma de repressão e violência.

Palavras-chave


Erico Verissimo; América Latina; engajamento político; Estado Novo; ditadura

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, Aracy. Arte para quê?: a preocupação social na arte brasileira, 1930-1970 – subsídios para uma história

social da arte no Brasil. São Paulo: Studio Nobel, 2003.

ARRUDA, Maria Arminda do Nascimento. Modernismo e regionalismo no Brasil – entre inovação e tradição. Tempo

Social, São Paulo, v. 23, n. 2, 2011.

CAPELATO, Maria Helena Rolim. Modernismo latino-americano e construção de identidade através da pintura. Revista

de História, São Paulo, n. 153, 2005.

COELHO, Frederico. A semana sem fim: celebrações e memória da Semana de Arte Moderna de 1922. Rio de Janeiro:

Casa da Palavra, 2012.

FABRIS, Annateresa. Modernidade e vanguarda: o caso brasileiro. In: FABRIS, Annateresa (Org.). Modernidade e

Modernismo no Brasil. Campinas: Mercado de Letras, 1994.

FREIRE, Cristina (Org.). Terra incógnita: conceitualismo da América Latina no acervo do MAC/USP. São Paulo:

MAC/USP, 2015.

FREITAS, Artur. Arte de guerrilha: vanguarda e conceitualismo no Brasil. São Paulo: EDUSP, 2013.

GERTZ, René. Intelectuais gaúchos e o Estado Novo brasileiro (1937-1945). História: debates e tendências, Passo

Fundo, v. 13, n. 1, jan./jun. 2013.

LODO, Gabriela Cristina. O despertar para a América Latina: a busca de uma identidade para a produção artística do

continente na década de 1970. IX EHA – Encontro de História da Arte, Campinas, 2013.

MARCON, Daniele. “Afinal de contas, que é um gaúcho?”: Erico Verissimo e as identidades regionais do Rio Grande

do Sul. 2015. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade de Caxias do Sul, Caxias.

MIGNOLO, Walter D. Espacios geográficos y localizaciones epistemológicas: la ratio entre la localización geográfica y

la subalternización de conocimientos. GEOgraphica, Niterói, ano 7, n. 13, p. 7-28, 2005. Disponível em:

https://doi.org/10.22409/GEOgraphia2005.v7i13.a13499. Acesso em: 22 jun. 2016.

MINCHILLO, Carlos Cortez. Erico Verissimo, escritor do mundo: cosmopolitismo e relações internacionais. 2013. Tese

(Doutorado em Literatura Brasileira) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São

Paulo.

______. A América Latina de Erico Verissimo: vizinhança, fraternidade, fraturas. Varia Historia, Belo Horizonte, v. 30,

n. 54, p. 705-723, 2014.

NAPOLITANO, Marcos. Coração civil: arte, resistência e lutas culturais durante o regime militar. 2011. Tese (Livre

Docência em História do Brasil Independente) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

RIBEIRO, Darcy. A América Latina existe? Rio de Janeiro: Ed. da UnB, 2010.

RICHARD, Nelly. Lo político en el arte: arte, política e instituciones. Santiago de Chile: Arcis University [En línea] [19

de Julio del 2011]. Disponível em: http://hemisphericinstitute.org/hemi/es/e-misferica-62/richard.

SANTOS, Donizeth. O projeto literário de Erico Verissimo. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, n. 44, p.

-363, 2014.

SFALCIN, Tanara Mantovani. Entrelaçamento da história com a literatura em Ana Terra de Erico Verissimo. 2002.

Dissertação (Mestrado em História) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2002. Disponível em:

http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/cp000161.pdf. Acesso em: 22 jun. 2016.

VERISSIMO, Erico. O tempo e o vento. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

______. A liberdade de escrever: entrevistas sobre literatura e política. São Paulo: Globo, 1999.

______. Solo de clarineta: memórias. Porto Alegre: Globo, 1987.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Cadernos Literários