O documento arquivístico digital no processo de tomada de decisão administrativa: uma breve reflexão

Henrique Machado dos Santos, Gabriela Luisa Krawszuk

Resumo


Os desenfreados avanços das Tecnologias da Informação e Comunicação promoveram transformações no mundo do trabalho e da pesquisa. Logo, o advento da informação digital facilitou a criação, o uso e a disseminação de conhecimentos, impactando áreas como Administração e Arquivologia. No entanto, parte da informação digital não recebe o tratamento adequado, e assim, surgem lacunas nos arquivos e incertezas nas organizações. Desta forma, tem-se por objetivo realizar uma reflexão sobre as contribuições da gestão da informação para o processo de tomada de decisão administrativa. Com isto, estima-se apontar convergências entre às práticas de gestão da informação administrativa e a gestão de documentos arquivísticos, com ênfase na interoperabilidade de seus sistemas informatizados.


Palavras-chave


Administração; Arquivologia; Autenticidade; Confiabilidade; Gestão da informação

Texto completo:

PDF

Referências


BARBIERI, C. BI2 – Business Intelligence: modelagem e qualidade. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

BELLOTTO, H. L. Arquivos permanentes: tratamento documental. 4. Ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2006.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Câmara Técnica de documentos eletrônicos. Diretrizes para a implementação de repositórios arquivísticos digitais confiáveis – RDC-Arq. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2018.

BRASIL. CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Câmara Técnica de documentos eletrônicos. e-ARQ Brasil: Modelo de Requisitos para Sistemas Informatizados de Gestão Arquivística de Documentos. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2011. Disponível em: . Acesso em: 05 jan. 2019.

DE SORDI, J. O. Administração da informação: fundamentos e práticas para uma nova gestão do conhecimento. São Paulo: Saraiva, 2008.

GAGNON-ARGUIN, L. Os arquivos, os arquivistas e a arquivística. In: ROUSSEAU, J-Y.; COUTURE, C. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1998. (Nova Enciclopédia, 56). p. 29-60.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. Ed. São Paulo: Atlas, 2010.

IKEMATU, R. S. Gestão de metadados: sua evolução na tecnologia da informação. DataGramaZero, v. 2, n. 6, 2001, Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 20 de dez. 2018.

LUNA, S. V. Planejamento de pesquisa: uma introdução. São Paulo: Educ, 1997.

LUZ, C. Arquivologia 2.0: a informação digital humana. Florianópolis: Bookess, 2010.

MÁRDERO ARELLANO, M. Á.; ANDRADE, R. S. Preservação digital e os profissionais da informação. DataGramaZero, v. 7, n. 5, 2006. Disponível em: . Acesso em: 07 dez. 2018.

MARROQUÍN, J. C. Novo consumidor: mais informado, mais exigente, mais consciente. São Paulo: Folha de S. Paulo, 2014. Disponível em: . Acesso em: 26 dez. 2018.

MORENO, N. A. Gestão documental ou gestão de documentos: trajetória histórica. In: Gestão em arquivologia: abordagens múltiplas. BARTALO, L.; MORENO, N. A. (Orgs.). Londrina: EDUEL, 2008. p. 71-88.

ROTHENBERG, J. Avoiding Technological Quicksand: Finding a Viable Technical Foundation for Digital Preservation. Council on Library and Information Resources, 1999. Disponível em: . Acesso em: 24 dez. 2018.

ROUSSEAU, J-Y.; COUTURE, C. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1998. (Nova Enciclopédia, 56).

SANTOS, H. M.; FLORES, D. As vulnerabilidades dos documentos digitais: Obsolescência tecnológica e ausência de políticas e práticas de preservação digital. Biblios: Revista de Bibliotecología y Ciencias de la Información, Brasília/Lima, n. 59, p. 45-54, 2015a. Disponível em: . Acesso em: 04 jan. 2019.

SANTOS, H. M.; FLORES, D. Repositórios digitais confiáveis para documentos arquivísticos: ponderações sobre a preservação em longo prazo. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 20, n. 2, p. 198-218, abr./jun. 2015b. Disponível em: . Acesso em: 03 dez. 2018.

SANTOS, V. B. A prática arquivística em tempos de gestão do conhecimento. In: SANTOS, V. B. (Org.). Arquivística: temas contemporâneos: classificação, preservação digital e gestão do conhecimento. 3. Ed. Distrito Federal: Senac, 2009, p. 175-223.

SANTOS, V. B. Gestão de documentos eletrônicos: uma visão arquivística. 2. Ed. Brasília: Abarq, 2005.

SANCHES, F. H. A.; SILVA, P. A. C.; PERINI, L. C. Business Intelligence. In: VI Congresso Nacional de Extensão Universitária; XXV Encontro de Atividades Científicas da UNOPAR. Anais eletrônicos... Londrina, 2012. Disponível em: . Acesso em: 03 jan. 2019.

SCHÄFER, M. B.; CONSTANTE, S. E. Políticas e estratégias para a preservação da informação digital. Ponto de Acesso, Salvador, v. 6, n. 3, p. 108-140, dez. 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2018.

SCHUSTER, C. E.; SILVA FILHO, C. F. Evolução da Administração: como chegamos à era da informação. In: Tecnologia da informação para a gestão do conhecimento: teoria e estudos em organizações. SILVA FILHO, C. F.; SILVA, L. F. (Orgs.). Campinas, SP: Editora Alínea, 2005. p. 7-22.

SILVA, E. L.; MENEZES, E. M. Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. 4. ed. rev. atual. Florianópolis: UFSC, 2005. Disponível em: . Acesso em: 22 nov. 2018.

SILVA, W. D. F. Introdução à gestão da informação. Campinas: Alínea, 2003.

SMITH, A. Digital Preservation Research and Developments. Russian Digital Libraries Journal, v. 3, n. 3, 2000. Disponível em: . Acesso em: 09 dez. 2018.

THOMAZ, K. P.; SOARES, A. J. A preservação digital e o modelo de referência Open Archival Information System (OAIS). DataGramaZero, v. 5, n. 1, 2004, Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 05 jan. 2019.




DOI: https://doi.org/10.14295/biblos.v33i1.8659

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 BIBLOS



PROPESQ PROPESQ  PROPESQ  PROPESQ PROPESQ  PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ 

Flag Counter