https://periodicos.furg.br/biblos/issue/feed BIBLOS 2021-07-27T22:07:58-03:00 Angélica Conceição Dias Miranda angelicacdm@gmail.com Open Journal Systems <p>A BIBLOS - Revista do Instituto de Ciências Humanas e da Informação é uma publicação semestral, aceita trabalhos inéditos que apresentem resultados de estudos e pesquisas relacionados com as áreas da informação, tecnologia e afins.</p> <p><strong>COMPARTILHE A REVISTA</strong></p> <p><a href="https://www.linkedin.com/shareArticle?mini=true&amp;url=https://periodicos.furg.br/biblos/index"><img src="https://img.icons8.com/plasticine/60/000000/linkedin.png" alt="" width="25" height="25" /></a> <a href="https://www.facebook.com/sharer/sharer.php?u=https://periodicos.furg.br/biblos/index"><img src="https://img.icons8.com/plasticine/60/000000/facebook.png" alt="" width="25" height="25" /></a> <a href="https://api.whatsapp.com/send?text=https://periodicos.furg.br/biblos/index"><img src="https://img.icons8.com/plasticine/60/000000/whatsapp.png" alt="" width="25" height="25" /></a> <a href="https://twitter.com/intent/tweet?text=https://periodicos.furg.br/biblos/index"><img src="https://img.icons8.com/plasticine/60/000000/twitter.png" alt="" width="25" height="25" /></a></p> https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/11955 DE CARIMBO EM CARIMBO SE CONTA UMA HISTÓRIA 2020-10-26T17:24:52-03:00 Ismael Maynard Bernini ismael.bernini@gmail.com Miriam Moema Loss miriammoemaloss@gmail.com Jeniffer Alves Cuty jcuty@ufrgs.br <p>Este artigo tem por objetivo registrar uma parte da história da Biblioteca da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Fabico/UFRGS), desde as origens de seu acervo, isto é, das duas Unidades Acadêmicas de onde provém, até o momento atual e a evolução de seus espaços, de acervo, processamento e atendimento. Para isso usa como mote os diversos carimbos (impressos/estampas) encontrados em livros do acervo e demais fontes de informação existentes. Procura com isso recuperar a trajetória dos mais de 60 anos desta Biblioteca que integra o Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (SBUFRGS).</p> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/11960 DO ESTADO NOVO 2020-12-14T12:04:03-03:00 Gilda Maria Whitaker Verri gmverri@yahoo.com.br <p>A <em>Proposta</em> <em>de implantação de Bibliotecas Populares</em> apresentada por um grupo de intelectuais ao Prefeito do Recife, durante o Estado Novo, foi tecida com vista à realização de uma rede de bibliotecas que atendesse às necessidades socioeconômicas e culturais da população de bairros. A realização do projeto, com bibliotecários, uma década depois do lançamento da ideia, repercutiu favoravelmente entre os usuários. O objetivo foi demonstrar como a <em>Proposta</em> <em>de Implantação de Bibliotecas Populares</em> foi instituída e como as bibliotecas foram construídas pela Diretoria de Estatística, Propaganda e Turismo (DEPT), da Prefeitura Municipal do Recife. A abordagem epistemológica procurou compreender as condições sociopolíticas e institucionais que levaram um grupo de intelectuais a definir a trajetória das bibliotecas na cidade. A pesquisa documental serviu de base para delinear, constituir e dar significado à <em>Proposta. </em>Das cinco unidades implantadas restaram apenas duas, edificadas especialmente para atender aos objetivos da <em>Proposta. </em></p><p> </p> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/11988 A BIBLIOTECA DO IMPERIAL COLÉGIO DE PEDRO II 2020-10-27T16:25:53-03:00 Tatyana Marques de Macedo Cardoso tatyana_marques@yahoo.com.br Priscila de Assunção Barreto Côrbo prysab@gmail.com Douglas Felipe de Andrade dfaunirio@gmail.com <p>A presente pesquisa tem como objetivo apresentar parte do percurso histórico e algumas particularidades da Biblioteca do antigo Imperial Colégio de Pedro II, com destaque para a organização de seu acervo e os agentes envolvidos em sua gestão, desde 1837 até a década de 20. Optou-se pela realização de uma pesquisa bibliográfica e documental por meio dos materiais informacionais presentes no Núcleo de Documentação e Memória do Colégio, e, outros mais, disponíveis na web, dentre os quais destacamos: anuários, relatórios de diretores do Colégio, almanaques do pessoal docente e administrativo do Colégio Pedro II, Catálogo do Externato e relatórios dos Ministros e Secretários de Estados dos Negócios do Império. Conclui que a Biblioteca do Imperial Colégio de Pedro II constitui-se em um lugar de acesso às múltiplas memórias e histórias desta mais que centenária instituição de ensino, tendo sido montada, inicialmente, para cobrir as necessidades de um grupo específico.</p> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12034 BIBLIOTECA NACIONAL DE BRASÍLIA 2020-12-14T12:02:58-03:00 Mariana Giubertti Guedes Greenhalgh marigiubertti@gmail.com Raphael Diego Greenhalgh raphaelrdg@gmail.com Elisa Raquel Sousa Oliveira elisa.oliveira@cultura.df.gov.br <p>Este artigo apresenta a história da Biblioteca Nacional de Brasília (BNB), trazendo o processo de planejamento para uma biblioteca nacional depositária bem como seu efetivo funcionamento ao longo de 11 anos de existência. O trabalho teve como objetivo mostrar o processo de mudança da BNB quanto ao seu perfil, além de entender sua identidade a partir de sua função, atuando tanto como biblioteca híbrida quanto biblioteca pública. Para isso foi realizado um levantamento documental e bibliográfico, com publicações da área, relatórios internos e documentos oficiais. A partir dos dados apresentados nos relatórios foi possível analisar o uso do espaço, serviços e produtos da biblioteca, entendendo o seu público real. Chegou-se a conclusão de que a BNB não atua como uma biblioteca nacional e sim como uma biblioteca pública, atendendo todas as suas funções: educativa, informativa, recreativa e cultural.</p> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12082 UM GABINETE DE LEITURA À BEIRA MAR 2020-12-14T12:01:57-03:00 Vanessa Barrozo Teixeira Aquino vanessa.barrozo@ufrgs.br <p>O presente trabalho aborda como se deu a constituição do Gabinete de Leitura da cidade do Rio Grande/RS em 1846, um dos gabinetes mais antigos do Brasil, e que se transformará no decorrer do século XIX em Bibliotheca Rio-Grandense. Além de reunir uma coleção significativa de livros e periódicos nacionais e estrangeiros também disponibilizava seus espaços para reuniões de agremiações locais e para aulas públicas e privadas voltadas para o ensino secundário. O <em>corpus</em> da pesquisa contempla documentos produzidos pela instituição, bem como anúncios, notas e artigos presentes na imprensa local. Conclui que essa instituição se constituiu como um espaço de sociabilidade e de instrução voltado para determinados grupos sociais, principalmente, vinculados ao comércio e que precisou ampliar sua função social e se transformar em biblioteca a fim de garantir sua continuidade. </p> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12094 BIBLIOTECAS PÚBLICAS INFANTIS 2020-11-10T14:09:33-03:00 Rafaela Vilela rafalouise@gmail.com <p><span lang="PT-BR">O presente artigo apresenta parte dos resultados de uma pesquisa de mestrado e busca discutir a biblioteca pública para infância. Em diálogo com o contexto político nacional, lança-se luz e foco para dois projetos de livro e leitura: a Biblioteca Infantil do Distrito Federal e a Biblioteca Parque da Rocinha. O primeiro projeto foi idealizado e fundado por </span><span lang="PT-BR">Cecília Meireles em 1934 e configura-se como a primeira biblioteca pública infantil do Brasil. O segundo projeto, inaugurado em 2012, nasce como umcentro cultural que privilegia a leitura em diferentes suportes. Espaços que surgem em diferentes contextos históricos, mas que se destacam pela concepção inovadora de biblioteca ao possibilitarem o encontro com a palavra escrita, o teatro, a mídia audiovisual e eletrônica. Equipamentos culturais desejados, mas nem sempre acessíveis às classes populares. </span></p> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12107 BIBLIOTECA ESCOLAR NO CONTEXTO DAS REFORMAS LIBERAIS DO FINAL DO SÉCULO XIX E INÍCIO DO SECULO XX: ANÁLISES A PARTIR DO CONCEITO DE REGIME DE INFORMAÇÃO 2020-10-26T17:13:26-03:00 Debora Santos de Oliveira debora_oliveira@id.uff.br Elisabete Gonçalves de Souza elisabetes.souza@gmail.com Traz dados históricos sobre a biblioteca escolar no Brasil, com destaque para sua inserção nas reformas educacionais de corte liberal ocorridas no país em meados do século XIX e início do século XX. Enfatiza os anos de 1920-30 e o movimento da Escola Nova, período em que a biblioteca escolar é mencionada pela primeira vez nas políticas públicas para a educação. Busca a partir do conceito de regime de informação, identificar os fenômenos sociais em ascensão e a relação com a educação. Aponta a criação do Instituto Nacional do Livro (INL) e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) como instituições estratégicas para o fomento de projetos e políticas voltadas para a escola, os livros e as bibliotecas, com vista consolidar no campo cultural e educacional, o novo regime de informação posto em curso durante o primeiro governo Vargas. Caracteriza a pesquisa como exploratória, ao estabelecer o levantamento e análise bibliográfica e documental como caminhos para esclarecimento da investigação. 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12113 CRIAÇÃO E MANUTENÇÃO DA BIBLIOTHECA PÚBLICA PELOTENSE EM JORNAIS DO SÉCULO XIX (1875-1900) 2020-12-14T11:44:44-03:00 Renata Braz Gonçalves renatabraz@furg.br Eliane Teresinha Peres eteperes@gmail.com Este artigo é derivado de tese já defendida e analisa práticas e representações de leitura no final do século XIX, na cidade de Pelotas (RS), tendo como objeto a criação e manutenção da Bibliotheca Pública Pelotense, fundada em 1875. A investigação insere-se no campo da História da Leitura, fundamentada na História Cultural. A pesquisa utilizou como fontes os jornais (diários, literários e humorísticos) publicados em Pelotas no período de 1875 a 1900, adotando a Análise de Conteúdo como técnica de análise. Verificou que a criação da biblioteca surgiu da motivação da comunidade que através da imprensa, promoveu um movimento para suprir “uma lacuna na vida intelectual” citadina. O processo de proposição, criação, construção (com doações, bazares e quermesses) eventos e discussão sobre quem poderia frequentar estão publicados nos jornais. Foram identificadas representações de ilustração, de conhecimento, de luz e civilização. Além disso, constatou que a biblioteca foi criada para atender todas as classes, e não para uso exclusivo das famílias mais abastadas. Conclui que acompanhar a criação da Bibliotheca e sua manutenção possibilitou conhecer aspectos de uma comunidade que se preocupava com o livro e com o espaço popular destinado à leitura, refutando a argumentações equivocadas anteriores que afirmavam que no século XIX, no Brasil como um todo não haveria leitura e leitores, tendo em vista que o Rio de Janeiro seria uma “ilha de cultura isolada” em meio à falta generalizada de instituições. 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12114 BIBLIOTECA PÚBLICA ESTADUAL ESTEVÃO DE MENDONÇA 2020-12-14T11:54:47-03:00 Sheila Cristina Ferreira Gabriel sheilagabr@gmail.com Cancionila Janzkovski Cardoso kjc.cardoso@gmail.com Este texto aborda sobre a História da Biblioteca Pública do Estado de Mato Grosso (BPEMT) de 1912 a 1950, atualmente, Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça. Trata-se de um extrato da pesquisa de Mestrado em Educação, realizada na Universidade Federal de Mato Grosso, campus Rondonópolis, que investigou a história e as práticas de leitura realizadas no interior da BPEMT. Nesta oportunidade, apresentaremos a história de sua fundação, bem como, a sua estrutura física e organização. Caracteriza-se como pesquisa histórica, na perspectiva da história cultural e utilizou como instrumento para coleta de dados o registro digital (fotos), e a organização e transcrição do conteúdo das fontes. Estas, foram: relatórios e regulamentos emitidos pelos diretores da biblioteca, mensagens do governador à Assembleia Legislativa e artigos de jornais. Apoiou-se em autores como: Le Goff (1993), Chartier (2001), Darnton (2010a 2010b), Deaecto (2011), Abreu (1999), entre outros. Os resultados evidenciam que: a biblioteca foi criada e mantida em Cuiabá, até a década de 1950, como auxiliar da instrução pública; possuía um acervo diversificado constituído em grande parte por doações; houve presença de consulentes, ou seja, possíveis leitores, de forma efetiva até a década de 50, período em que a biblioteca ficou praticamente desativada. Considera-se que a BPEMT foi um espaço que colaborou com as práticas de leitura da comunidade de leitores de Cuiabá, principalmente estudantes e alguns profissionais da elite cuiabana, como advogados e engenheiros. As informações sistematizadas no estudo poderão contribuir para a construção da história cultural de Mato Grosso. 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12119 BIBLIOTECA FAMED/HCPA 2020-10-26T17:31:40-03:00 Shirlei Galarça Salort shirleisalort@yahoo.com.br Cleusa Pavan cleusa.pavan@ufrgs.br Ana Paula Araújo Cabral da Silva ana.cabral@ufrgs.br <p>Ao completar 120 anos em 2020, a Biblioteca FAMED/HCPA, vinculada à Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e ao Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), comemora sua prestigiosa trajetória. Este artigo, mediante pesquisa documental e bibliográfica, apresenta alguns eventos marcantes do seu percurso, como notas sobre o seu fundador e bibliotecários que nela atuaram, e dados sobre a formação e organização do acervo e do espaço físico, com o objetivo de narrar fatos e preencher lacunas de sua história. Além disso, por ser uma das poucas bibliotecas da área médica, no Brasil, a presenciar as duas maiores pandemias registradas na história da humanidade, buscou-se contextualizar sua atuação nos cenários da pandemia da Gripe espanhola (1918) e da Covid-19 (2020). O resgate histórico permite ampliar o conhecimento institucional e compreender as mudanças no papel da Biblioteca ao longo do tempo.</p> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12175 A BIBLIOTHECA PUBLICA DO PARÁ 2020-10-01T16:32:31-03:00 Elisangela Silva da Costa lisa@ufpa.br Hamilton Vieira de Oliveira hamilton@ufpa.br <span>Tendo em vista que a Biblioteca Pública Arthur Vianna (BPAV) está prestes a completar seu sesquicentenário, resolveu-se realizar esta pesquisa a fim de recontar a sua trajetória histórica. Traz como objetivo geral, traçar a contextualização histórica da BPAV desde sua gênese até os tempos hodiernos. No que se refere aos objetivos específicos, pretende-se: a) pontuar os principais marcos que balizaram a história da BAP; b) resgatar os nomes dos diretores da biblioteca e dos governantes do Pará que concretizaram sua fundação; e c) Apresentar o estado de arte de como a BPAV se encontra na contemporaneidade. Para tornar o estudo exequível foram procedidas pesquisas de cunho bibliográfico e documental que versam sobre a temática atinente da pesquisa em tela.</span> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12181 A DICOTOMIA DO ACESSO À LEITURA E AS BIBLIOTECAS PÚBLICAS DURANTE O ESTADO NOVO 2020-10-26T17:20:06-03:00 Clara Duarte Coelho claraduartecoelho@gmail.com Sueli Bortolin bortolin@uel.br <p>As bibliotecas públicas são instituições de promoção do acesso à leitura, informação e cultura, dependentes administrativamente do estado. Entretanto, até o início do governo de Getúlio Vargas a implantação desses espaços não estava inserida nas prioridades governamentais e somente após 1937 essa questão entrou em debate na administração pública. O presente artigo tem como objetivo empreender uma reconstituição histórica sobre a questão das bibliotecas públicas em âmbito nacional durante o período de maior controle estatal do país. Nos procedimentos metodológicos adotou-se a pesquisa bibliográfica e documental com abordagem qualitativa do problema. O recorte temporal definido para esta pesquisa foi o início do plano de governo denominado Estado Novo em 1937 até 1945. Descreve os principais projetos desenvolvidos pelo Instituto Nacional do Livro (INL) durante a gestão do seu primeiro diretor Augusto Meyer. Analisa como esse governo autoritário utilizava a censura para controlar a sociedade por meio da leitura. Os resultados obtidos evidenciaram a importância do INL e uma tendência de investimento para incentivar a criação de bibliotecas, no entanto, a difusão dos ideais do plano nacionalista instaurado no Brasil no Estado Novo inviabilizaram a concretização dessas iniciativas.</p> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12212 ADONIAS FILHO E A BIBLIOTECA NACIONAL NOS ANOS 60 2020-11-10T13:52:40-03:00 Luciana Grings lugrings@gmail.com Enfoca a gestão de Adonias Filho como diretor da Biblioteca Nacional do Brasil, ocorrida entre os anos de 1961 e 1971. Tendo por base as considerações elaboradas na tese de doutorado “O leigo e a especialista”, publicada em 2019, procura trazer à luz mais elementos para compreender o contexto social e a Biblioteca Nacional do Brasil durante os anos 1960. O <em>corpus</em> documental analisado foi composto majoritariamente por recortes de jornal da época. Resgata a memória de eventos institucionais e excepcionais, como a CPI da Biblioteca Nacional, ocorrida em 1966, cujo resultado foi inócuo, e constata que não houve evolução com relação aos problemas institucionais daquele período. 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12304 A BIBLIOTECA, O NACIONAL E A MODERNIDADE NA BELLE ÉPOQUE CARIOCA 2020-11-09T20:51:23-03:00 Carlos Henrique Juvêncio carloshjuv@gmail.com <p>O final do século XIX e o início do século XX representam para o Rio de Janeiro, e para o Brasil um momento de profundas transformações políticas, sociais e urbanas. Num contexto de intensa agitação político-social graças à Proclamação da República, a Biblioteca Nacional emerge como uma das grandes beneficiadas dos movimento de modernização da antiga capital do país. Este artigo objetiva compreender como a Biblioteca Nacional se tornou símbolo da Primeira República e nela se ancora a consagração do regime republicano. Posiciona a BN como um espaço representante do moderno, seja em suas práticas, arquitetura ou no capital social que acumula ao seu redor. Concluí que a Biblioteca Nacional exerce o seu papel de guardiã da memória nacional, além de oferecer o moderno através de seus produtos e serviços e ser um polo de erudição em busca do desejo de civilização e modernidade da Primeira República.</p> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12321 A BIBLIOTECA DA ACADEMIA DE DIREITO DE SÃO PAULO 2020-11-12T16:16:46-03:00 Maria Lucia Beffa beffa@usp.br Heloisa Barbuy hbarbuy@usp.br <p align="center"><strong>RESUMO</strong></p><p>O presente artigo apresenta uma visão sobre a História da Biblioteca da Faculdade de Direito da USP, primeiramente, na perspectiva da formação de seus acervos. Trata dos fundos iniciais que a compunham no momento em que foi incorporada ao Curso Jurídico de São Paulo, quando este foi criado, em 1827 e segue apontando algumas das coleções que lhe foram doadas ao longo do tempo. Estabelecida, assim, uma visão geral sobre o acervo da Biblioteca da Academia de São Paulo no século XIX, passa a tratar das práticas profissionais relacionadas aos cuidados com esse acervo, apreendidas em fontes primárias ainda pouco exploradas.</p> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12423 A BIBLIOTECA PÚBLICA COMO EQUIPAMENTO CULTURAL DO ESTADO 2021-01-06T20:56:02-03:00 Ivana Borges Lins ivana.lins@gmail.com <p>O artigo busca caracterizar a Biblioteca Pública (BO) como equipamento sociocultural relevante na condução de uma cultura civilizatória e cidadã, observando as tensões sociais e as demandas dos mais diversos grupos com relação ao acesso à bens, serviços e produtos culturais, situando tal instituição como relevante para o desenvolvimento e de forte potencial para impactos sociais profundos. Traz reflexões acerca dos desafios enfrentados historicamente, os caminhos para configuração e execução de políticas públicas, além dos problemas decorrentes da flutuação e descontinuidade de políticas, programas e projetos que tangenciam ou determinam as formas de atuação da BP. O papel e o poder dessas instituições são reafirma quando se percebe que na maior parte dos municípios brasileiros, ela é o único equipamento sociocultural em funcionamento e com livre acesso para a população local, desempenhando o papel de centro de cultura e convivência.</p> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12577 HISTÓRIAS QUE SE CONFUNDEM 2021-02-04T11:30:13-03:00 Alícia Duhá Lose alicialose@gmail.com Vanilda Salignac de Souza Mazzoni vanildasalignac@gmail.com Fabiano Cataldo de Azevedo barleus@gmail.com <p>Este artigo se propõe a narrar a história da criação do Gabinete Português de Leitura da Bahia (GPL) e como o desejo de criar um espaço de leitura para os portugueses na Bahia influenciou nesta decisão, mostrando como a instituição e sua biblioteca se entrecruzam no sonho luso. Os objetivos foram mostrar que na intenção da proposta de criação do GPL já estava evidenciada qual relevância teria a biblioteca e discutir como a Biblioteca ocupou o cenário cultural de Salvador no século XIX. O método para levantamento dos estudos foi pesquisa em fonte primária, através do documento manuscrito fundador do GPL.</p> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12105 ORIGENS DO ENSINO DE BIBLIOTECONOMIA NO BRASIL 2020-10-26T17:30:55-03:00 Marcos Leandro Freitas Hubner marcos.hubner@unir.br Jose Fernando Modesto Silva fmodesto@usp.br Alessandra Atti alessandraatti@hotmail.com <p>O artigo analisa acontecimentos que marcaram o início do ensino de Biblioteconomia na França e nos Estados Unidos, com experiências relevantes que inspiraram as escolas no Brasil. Retrata a trajetória histórica da École des Chartes, criada na França, em 1821, com a missão de formar futuros curadores patrimoniais, especialmente para bibliotecas, sem, entretanto, se constituir em curso de Biblioteconomia. A gênese da Biblioteconomia moderna, entretanto, remete ao início do século XIX na Alemanha, onde, em 1886, surgiu o primeiro curso superior de Biblioteconomia, na Universidade de Göttingen. As práticas biblioteconômicas norte-americanas foram significativamente influenciadas pela experiência alemã. Em 1887, por iniciativa de Melvin Dewey, ocorreu a criação da primeira escola de Biblioteconomia nos Estados Unidos, na Columbia College, e contava com uma forte tendência técnico-vocacional. Após essa iniciativa pioneira, novas escolas foram criadas nos Estados Unidos, porém sem um padrão de qualidade definido. Isso obrigou a elaboração de um documento da ALA com recomendações mínimas, para os cursos de Biblioteconomia. Em 1928, ocorreu a criação da Graduate Library School em Chicago, estabelecendo um novo padrão para a formação dos bibliotecários naquele país. No Brasil, o ensino de Biblioteconomia desenvolveu-se a partir da fusão de diferentes influências oriundas desses países, culminando com o cenário atual do país em relação à formação de bibliotecários e bibliotecárias.</p> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12874 HISTÓRIA DAS BIBLIOTECAS BRASILEIRAS 2021-04-09T12:05:38-03:00 Simone Borges Paiva Okuzono simone.paiva@unirio.br Kelly Castelo Branco da Silva Melo kelly.melo@unirio.br Fabiano Cataldo de Azevedo fabiano.cataldo@ufba.br <p>Editorial do Dossiê História das Bibliotecas Brasileiras</p> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/12802 ESCREVER SOBRE A HISTÓRIA DAS BIBLIOTECAS HOJE 2021-03-30T12:11:56-03:00 Raphaële Mouren mourenr@gmail.com <p>Tradução do texto de apresentação do dossiê "História das Bibliotecas"</p> 2021-07-27T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 BIBLOS