Bibliotecários, direitos autorais e acesso aberto: estudo sobre as influências na prática profissional em SC

Marcia Silveira Kroeff, Miriam de Cassia do Carmo Mascarenhas Mattos, Liliana Fátima Resende Costa, Daniella Camara Pizarro

Resumo


Esta pesquisa averiguou o conhecimento dos bibliotecários de Santa Catarina acerca da Lei Brasileira de Direitos Autorais (LDA) e seu grau de adesão ao Movimento de Acesso Aberto à informação científica. A revisão de literatura questiona os direitos autorais e apresenta o “Dossiê CopySouth”, bem como a legislação brasileira de direitos autorais. O estudo exploratório-descritivo foi realizado em 2017, com 53 bibliotecários. Os resultados indicam que estes têm conhecimento da proteção aos direitos, mas desconhecem seu tempo de vigência. Em relação à reprografia, relatam dificuldades com as imposições legais. A orientação ao usuário na citação de autoria e referências bibliográficas é adequada. Já as bases de dados e seus contratos não estão claras aos bibliotecários. Estes demonstram adesão ao Movimento de Acesso Aberto e consideram mais importante o acesso livre à informação científica do que a prevalência dos direitos autorais, priorizando a satisfação das necessidades informacionais de seus usuários.


Palavras-chave


Direitos autorais; Lei 9.610; Movimento de Acesso Aberto; Open Access; Bibliotecários

Texto completo:

PDF

Referências


ABADAL, E. et al. Open access in Spain. In: ANGLADA, L; ABADAL, E. (Eds.). Open access in Southern European countries. Madrid: FECYT, 2010.

ALPERIN, J. P.; FISCHMAN, G. E.; WILLINSKY, J. Open access and scholarly publishing in Latin America: ten flavours and a few reflections. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v.4, n.2, set. 2008. Disponível em: . Acesso em 19 set. 2017.

ARAYA, E. R. M.; VIDOTTI, S. A. B. G. Criação, proteção e uso legal de informação em ambientes da World Wide Web. [online]. São Paulo: Editora UNESP, 2010. 144p. Disponível em: . Acesso em: 22 maio 2016.

_______. Direito autoral e tecnologias de informação e comunicação no contexto da produção, uso e disseminação de informação: um olhar para as licenças Creative Commons. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 19, n. 3, set./dez. 2009.

BARRETO, A. de A. Uma história da ciência da informação. In: TOUTAIN, Lídia Maria Batista Brandão (Org.). Para entender a ciência da informação. Salvador: EDUFBA, 2012.

BJORK, B-C. A model of scientific communication as a global distributed information system. Information Research, 12(2) paper 307, 2007. Disponível em: Acesso em: 25 jul. 2013.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil Disponível em:< http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm>. Acesso em: 03 abr. 2016.

_______. Lei 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Lei de direitos autorais. Brasília, DF. Disponível em: . Acesso em: 03 abr. 2016.

CARBONI, G. C. Conflitos entre direito de autor e direito de acesso ao conhecimento, à cultura e à informação. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO – INTERCOM, 28. Rio de Janeiro, 2005. Anais... Rio de Janeiro: UERJ, 2005.

______. Conflitos entre direitos do autor e liberdade de expressão, direito de livre acesso à informação e à cultura e direito ao desenvolvimento tecnológico. Revista da BPI, n. 85, p. 38, Nov/dez de 2006.

CORAZZA, S., DUARTE, C. R. A pesquisa na educação física. Rev. Corpo & Movimento. v. 1, n. 3, p. 30, out. 1984.

CORREIA, M. M. Declaração de Haia sobre a descoberta do conhecimento na era digital. Notícia BAD, publicado em 24 de abril de 2015. Disponível em: < http://www.bad.pt/noticia/2015/04/24/declaracao-de-haia-sobre-a-descoberta-do- conhecimento-na-era-digital/> Acesso em: 29 set. 2016.

COSTA, M. P.; LEITE, F. C. S. L.. Acesso aberto no mundo e na América Latina: uma revisão a partir do BOAI. Versão traduzida do artigo: Open Access in the world and Latin American: a review from the Budapest Open Access Initiative. Transinformação, v. 28, n. 1, p. 33-46, 2016. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2016.

COSTA, Liliana Fátima Resende. Direitos autorais e acesso aberto à informação: pesquisa bibliográfica em busca de um consenso. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Biblioteconomia) - Centro de Ciências Humanas e da Educação, Universidade do Estado de Santa Catarina, 2017. 44p.

EL DOSSIER copia/sur: problemas económicos, políticos, e ideológicos del copyright (derecho de autor) en el sur global. 2007. E-prints in library & information Science [E-LIS repository]. Disponível em: . Acesso em: 20 jul. 2016.

GANDELMAN, Henrique. De Gutenberg à Internet: direitos autorais das origens à era digital. 5. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: Editora Record. 2007.

GUENDON, J. Oldenburg's long shadow: librarians, research scientists, publishers, and the control of scientific publishing. Association of Research Libraries. 2001. Disponível em: . Acesso em: 28 abr. 2014.

KURAMOTO, H. L. Acesso livre: uma solução adotada em todo o globo; porém, no Brasil parece existir uma indefinição. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação & Inovação em Saúde, v. 8, n. 2, 2014. Disponível em: . Acesso em 04 maio 2016.

________. Informação científica: proposta de um novo modelo para o Brasil. Ciência da Informação, v. 35, n. 2, p. 91-102, 2006. Disponível em: . Acesso em: 03 maio 2016.

LEMOS, R. Direito, tecnologia e cultura. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

LIMA, C. L. C. Definições analíticas para os segmentos produtores de bens simbólicos: uma breve análise. In: ENCONTRO DA ULEPIC – Brasil, economia Política da comunicação: interfaces sociais e acadêmicas do Brasil. 1. 2006. Niterói. Anais... RJ: UFF, 2006.

LOURENÇO, C. de A. Automação em bibliotecas: análise da produção via Biblioinfo (1986-1994). In: WITTER, G. P. (Org.). Produção científica. Campinas: Átomo, 1997.

LUTA ENTRE DAVI E GOLIAS: HISTÓRIAS BÍBLICAS. Disponível em:< http://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/Hist%C3%B3rias-B%C3%ADblicas/Parte-4-Desde-o-primeiro-rei-de-Israel-at%C3%A9-o-cativeiro-em-Babil%C3%B4nia/Hist%C3%B3ria-58-Davi-e-Golias/>. Acesso em: 13 abr. 2014.

MEADOWS, A J. A comunicação científica. Brasília. Briquet de Lemos, 1999.

MUELLER, Suzana Pinheiro Machado. A comunicação científica e o movimento de acesso livre ao conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, v. 35, n. 2, p. 27-38, ago. 2006. Disponível em:. Acesso em: 9 maio 2016.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA. Declaração Universal Sobre A Diversidade Cultural. Unesco, 2001. Disponível em:

<.http://www.unesco.org.br/areas/cultura/divcult/dcult/mostra_documento>. Acesso em: 23 mar. 2014.

PERALTA, Patrícia Pereira; SILVA, Elizabeth Ferreira da; TERUYA, Dirceu Yoshikazu. Busca de consenso entre o direito do autor e o acesso à informação pelo público na rede de computadores: uma ótica dos tratados relativos ao direito autoral. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 16, n. 3, p.116-130, 2011. Disponível em: . Acesso em: 25 abr. 2016.

PIMENTA, F. P. et al. O direito de autor no movimento de acesso livre e aberto, um estudo sob a ótica das editoras científicas. Ponto de Acesso, v. 9, n. 3, p.133-148, 2015. Disponível em: . Acesso em: 21 maio 2016.

PRADO, Jorge Moisés Kroll do; SILVEIRA, Lúcia da; MACHADO, Raquel Bernadete. Movimento de acesso livre ao conhecimento científico e tecnológico. UDESC-PPGINFO, Florianópolis, 2014. 11f. [Não publicado.]

REIS, R., et al. (Orgs). Propriedade intelectual: agricultura, software, direito de autor, medicamentos: interfaces e desafios. In: SEMINÁRIO NACIONAL PROPRIEDADE INTELECTUAL: INTERFACES E DESAFIOS. Rede Brasileira pela Integração dos Povos (REBRIP). Anais... Rio de Janeiro: ABIA, 2007.

RODRIGUES, R. S.; OLIVEIRA A. B. Periódicos Científicos na América Latina: Títulos em Acesso Aberto Indexados no ISI e Scopus. Perspectivas em Ciência da Informação. 17, 2012 p. 76-99.

ROSA, A. M. Direito de autor e direito de acesso: os livros eletrônicos, as bibliotecas públicas e o princípio de esgotamento. 2013. Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal. Disponível em: . Acesso em: 13 nov. 2017.

ROZADOS, H. B. F.; REIS, J. M. dos. Direito autoral e o livro eletrônico. Revista da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS, v. 20, n.1, jan./jun. 2014. p. 32- 46. Disponível em: . Acesso em: 13 nov. 2017.

SANZ CASADO, Elías. Manual de estudios de usuarios. Madrid: Piramide, 1994. 279 p.

SAYÃO, Luis Fernando. Repositórios digitais confiáveis para a preservação de periódicos eletrônicos científicos. PontodeAcesso, Salvador, V.4, n.3, p. 68-94, dez 2010.

SIGNIFICADOS. Expressões em inglês. Significado de copyleft. Disponível em: . Acesso em: 13 nov. 2017.

SILVA, F. C. C. Bibliotecários especialistas: guia de especialidades e recursos informacionais. Brasília: Thesauros, 2005.

SOUZA, M. N. A. et al. Acesso aberto à informação científica e direito autoral: ações e contradições. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v. 17, n. 2, p. 55-64, 2012. Disponível em: . Acesso em: 09 abr. 2016.

STORY, A.; HALBERT, D.; DARCH, C. (ed.). The Copy/South Dossier: issues in the economics, politics and ideology in the global South. Canterbury: The CopySouth Research Group, 2006. 210p. Disponível em: (em inglês e espanhol). Acesso em: 15 ago. 2014.

STOLEROFF, A., PATRÍCIO, M. T. A prática científica. In: JESUÍNO, J. C. (Coord.) et al. A comunidade científica portuguesa nos finais do século XX. 2.ed. Oeiras, Portugal: Celta, 1995. 185 p., p.13-32.

TORRADO, Enrique Muriel. Los derechos de autor y la enseñanza em la universidad: el papel de la biblioteca universitária. Tesis Doctoral – Universidad de Granada, Faculdad de Comunicación y Documentación. Departamento de Información y Documentación. Granada, 2012. 500p.

UNIVERSIDADE Tecnológica Federal do Paraná. Pato Branco, [201?]. Direitos Conexos. Disponível em: . Acesso em: 07 maio 2016.

WEITZEL, Simone da Rocha. Iniciativa de arquivos abertos como nova forma de comunicação científica. Grupo de discussão: Como democratizar a comunicação nas novas mídias (internet – inclusão digital). In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL LATINO-AMERICANO DE PESQUISA EM COMUNICAÇÃO, 3. São Paulo, Anais... São Paulo, 2005. [Asociación Latinoamericana de Investigaciones de la Comunicación-ALAIC; Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo]. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2014.

WILLINSKY, J. The access principle: the case for open access to research and scholarship. London: The Mit Press, 2006.




DOI: https://doi.org/10.14295/biblos.v32i1.7928

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


PROPESQ PROPESQ PROPESQ   PROPESQ   PROPESQPROPESQ             PROPESQ