A BIBLIOTECA, O NACIONAL E A MODERNIDADE NA BELLE ÉPOQUE CARIOCA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/biblos.v35i1.12304

Palavras-chave:

Biblioteca Nacional, História das Bibliotecas, História do Brasil, Memória, Primeira República

Resumo

O final do século XIX e o início do século XX representam para o Rio de Janeiro, e para o Brasil um momento de profundas transformações políticas, sociais e urbanas. Num contexto de intensa agitação político-social graças à Proclamação da República, a Biblioteca Nacional emerge como uma das grandes beneficiadas dos movimento de modernização da antiga capital do país. Este artigo objetiva compreender como a Biblioteca Nacional se tornou símbolo da Primeira República e nela se ancora a consagração do regime republicano. Posiciona a BN como um espaço representante do moderno, seja em suas práticas, arquitetura ou no capital social que acumula ao seu redor.  Concluí que a Biblioteca Nacional exerce o seu papel de guardiã da memória nacional, além de oferecer o moderno através de seus produtos e serviços e ser um polo de erudição em busca do desejo de civilização e modernidade da Primeira República.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AULETE, Caldas. IDicionário Aulete. Rio de Janeiro: Lexikon, [2013].

BARRETO, Lima. Cronista do Rio. Rio de Janeiro, Belo Horizonte: Biblioteca Nacional, Autêntica, 2017.

BESSONE, Tania Maria. Palácios de destinos cruzados: bibliotecas, homens e livros no Rio de Janeiro : 1870-1920. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1999.

BIBLIOTECA DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. Biografia de Epitácio Pessoa. [Brasília: Presidência da República], c2015. Disponível em: http://www.biblioteca.presidencia.gov.br/ex-presidentes/epitacio-pessoa/biografia. Acesso em: 10 out. 2020.

BIBLIOTECA NACIONAL. Album de photographias. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 1911. Disponível em: http://objdigital.bn.br/acervo_digital/div_iconografia/icon393014/icon393014.pdf. Acesso em: 20 out. 2020.

BITTENCOURT, Feijó. Vida de Manuel Cícero Peregrino da Silva. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, v. 229, out./dez. 1955.

BORGES, Dayane. Belle Époque, o que foi? Definição, característica e cultura do divertimento Conhecimento Científico, 07 set. 2020. Disponível em: https://conhecimentocientifico.r7.com/belle-epoque/. Acesso em: 07 nov. 2020.

BRASIL. Decreto n. 8.835, de 11 de Julho de 1911: Approva o regulamento da Bibliotheca Nacional. Diário Oficial da União, 16 jul. 1911. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1910-1919/decreto-8835-11-julho-1911-502890-republicacao-102224-pe.html. Acesso em: 01 nov. 2020.

CARVALHO, José Murilo de. A formação das almas: o imaginário da república no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras, 2011.

ENDERS, Armelle. Os vultos da nação: fábrica de heróis e formação dos brasileiros. Rio de Janeiro: FGV, 2014.

FONSECA, Edson Nery da. Origem, evolução e estado atual dos serviços de Documentação no Brasil. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 108, n. 1, p. 37-52, jan./abr. 1973.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, c2000. Disponível em: http://www.ioc.fiocruz.br/pages/personalidades/OswaldoGoncalvesCruz.htm. Acesso em: 16 out. 2020.

GOMES, Sônia de Conti. Bibliotecas e sociedade na Primeira República. [Brasília]: INL, 1983.

JUVÊNCIO, Carlos Henrique. Manoel Cícero Peregrino da Silva, a Biblioteca Nacional e as origens da Documentação no Brasil. 2016. 2 v., il. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

JUVÊNCIO, Carlos Henrique; RODRIGUES, Georgete Medleg. The Modern and its impact on models of information organization in Brazil: the decline of the National Library and the rise of the National Book Institute (1930-1954). In: ISKO CONFERENCE, 15., 2018, Porto. Challenges and Opportunities for Knowledge Organization in the Digital Age. Alemanha: Ergon, 2018. v. 16. p. 356-362.

KOK, Glória. Rio de Janeiro na época da Av. Central. São Paulo: Bei Comunicação, 2005.

LAEMMERT, Eduardo. Almanak administrativo, mercantil e industrial do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 1893. Disponível em: http://bndigital.bn.br/acervo-digital/almanak-administrativo-mercantil-industrial-rio-janeiro/313394. Acesso em: 21 out. 2020.

LATOUR, Bruno. Redes que a razão desconhece: laboratórios, bibliotecas, coleções. In: BARATIN, Marc; JACOB, Christian. O poder das bibliotecas: a memória dos livros no ocidente: Rio de Janeiro: UFRJ, 2008.

NEVES, Margarida de Souza. Os cenários da república: o Brasil na virada do século XIX para o século XX. In: FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucila de Almeida Neves. O tempo do liberalismo excludente: da Proclamação da República à Revolução de 1930. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003. (O Brasil Republicano; 1).

ORTEGA Y GASSET, José. Missão do bibliotecário. Brasília: Briquet de Lemos, 2006.

OTAVIO, Rodrigo. O Brasil Moderno: A Bibliotheca Nacional do Rio de Janeiro. Illustração Portugueza: revista semana dos acontecimentos da vida portuguesa, 2a. série, v. 11, 2. sem. 1911.

PALMA, Ana. Oswaldo Cruz. In Vivo, [200-]. Disponível em: http://www.invivo.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=114&sid=7. Acesso em: 07 nov. 2020.

RAMA, Angel. A cidade das letras. São Paulo: Brasiliense, 1985.

SACRAMENTO BLAKE, Augusto Victorino Alves. Diccionario Bibliographico Brazileiro (v. 1-7). Rio de Janeiro: Typographia Nacional, 1893-1902. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/handle/id/221681. Acesso em: 01 nov. 2020.

SCHWARTZMAN, Simon. Um espaço para a ciência: a formação da comunidade científica no Brasil. Brasília: Ministério da Ciência e da Tecnologia, 2001. (Coleção Brasil, Ciência e Tecnologia; 1).

SILVA, Manoel Cícero Peregrino da. A Bibliotheca Nacional em 1910. Annaes da Bibliotheca Nacional do Rio de Janeiro, v. 33, p. 367-397, 1911.

SILVA, Manoel Cícero Peregrino da. Da remodelação por que passou a Bibliotheca Nacional e vantagens d’ahi resultantes. Annaes da Bibliotheca Nacional do Rio de Janeiro, v. 35, p. 1-9, 1913.

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA. Centro de Memória Digital. Histórico do Projeto Resgate. Brasília: UnB, [201-]. Disponível em: http://www.cmd.unb.br/resgate_index.php. Acesso em: 07 nov. 2020.

Downloads

Publicado

2021-07-27

Como Citar

Juvêncio, C. H. (2021). A BIBLIOTECA, O NACIONAL E A MODERNIDADE NA BELLE ÉPOQUE CARIOCA. BIBLOS, 35(1). https://doi.org/10.14295/biblos.v35i1.12304

Edição

Seção

Artigos