BIBLIOTECA PÚBLICA ESTADUAL ESTEVÃO DE MENDONÇA

(RE)CONSTITUINDO A SUA HISTÓRIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/biblos.v35i1.12114

Palavras-chave:

História da biblioteca pública, Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça, Biblioteca de Cuiabá

Resumo

Este texto aborda sobre a História da Biblioteca Pública do Estado de Mato Grosso (BPEMT) de 1912 a 1950, atualmente, Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça. Trata-se de um extrato da pesquisa de Mestrado em Educação, realizada na Universidade Federal de Mato Grosso, campus Rondonópolis, que investigou a história e as práticas de leitura realizadas no interior da BPEMT. Nesta oportunidade, apresentaremos a história de sua fundação, bem como, a sua estrutura física e organização. Caracteriza-se como pesquisa histórica, na perspectiva da história cultural e utilizou como instrumento para coleta de dados o registro digital (fotos), e a organização e transcrição do conteúdo das fontes. Estas, foram: relatórios e regulamentos emitidos pelos diretores da biblioteca, mensagens do governador à Assembleia Legislativa e artigos de jornais. Apoiou-se em autores como: Le Goff (1993), Chartier (2001), Darnton (2010a 2010b), Deaecto (2011), Abreu (1999), entre outros. Os resultados evidenciam que: a biblioteca foi criada e mantida em Cuiabá, até a década de 1950, como auxiliar da instrução pública; possuía um acervo diversificado constituído em grande parte por doações; houve presença de consulentes, ou seja, possíveis leitores, de forma efetiva até a década de 50, período em que a biblioteca ficou praticamente desativada. Considera-se que a BPEMT foi um espaço que colaborou com as práticas de leitura da comunidade de leitores de Cuiabá, principalmente estudantes e alguns profissionais da elite cuiabana, como advogados e engenheiros. As informações sistematizadas no estudo poderão contribuir para a construção da história cultural de Mato Grosso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sheila Cristina Ferreira Gabriel, Universidade Federal de Rondonópolis, Rondonópolis, Mato Grosso-MT

Atualmente, Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em História pela Universidade Federal de Mato Grosso, campus Cuiabá, na linha de pesquisa Fronteiras, Identidades e Culturas. Professora Assistente do departamento de biblioteconomia da Universidade Federal de Rondonópolis (UFR). Atuou como Docente no curso de Pós-Graduação Latu Sensu Sociedade, Política e Cidadania e no curso de Especialização em Gênero, Diversidade e Escola pela UFMT, campus Rondonópolis. Mestre em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da UFMT- Campus de Rondonópolis, na linha de pesquisa Linguagens, cultura e construção do conhecimento; Especialização em Gestão de pessoas pela Anhanguera - Rondonópolis (2010) e em História e Teoria da História pela Universidade Federal de Mato Grosso (2002); Bacharel em biblioteconomia pela Fundação Universitária do Oeste de Minas (1998). Possui experiência na área de biblioteconomia, atuando na docência do ensino superior e em Biblioteca universitária. No Mestrado desenvolveu pesquisa histórica sobre a constituição da Biblioteca Pública do Estado de Mato Grosso e os aspectos de práticas de leitura realizadas em seu interior no período de 1912 1950. Membro do grupo de pesquisa ALFALE até 2016 e do grupo de pesquisa ESTUDOS AVANÇADOS EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO e participante do Projeto de Pesquisa e Extensão Centro Memória Viva.

Cancionila Janzkovski Cardoso, Universidade Federal de Rondonópolis

Pesquisadora Associada da Universidade Federal de Rondonópolis e Professora Titular (Aposentada) da Universidade Federal de Mato Grosso. Possui graduação em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso - Campus de Rondonópolis (1984), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995), doutorado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2000), com estágio no Institut National de Recherche Pédagogique (Paris) e Pós-Doutorado pela Universidade Federal do Paraná. Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: alfabetização e letramento, história da alfabetização, leitura, cartilhas e livros escolares e memórias de professoras. Publicou os livros "Da oralidade à escrita: o processo de produção do texto narrativo no contexto escolar" (INEP/COMPED e EdUFMT, 2000); "A socioconstrução do texto narrativo no contexto escolar: uma perspectiva longitudinal" (Mercado de Letras, 2003); "O que as crianças sabem sobre a escrita?" (EdUFMT e Central de Textos, 2009); "Cartilha Ada e Edu: produção, difusão e circulação (1977-1985)" (EdUFMT, 2011), além de capítulos de livros e artigos em periódicos. Coordenou o Mestrado em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso, campus de Rondonópolis (2010-2014) e o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Mato Grosso - 2013-2016). É coordenadora do Grupo de Pesquisa ALFALE - Alfabetização e Letramento Escolar

Referências

ABREU, Márcia. Da maneira correta de ler: leituras das belas letras no Brasil colonial. In: ABREU, Márcia (org.). Leitura, história e história da leitura. São Paulo: FAPESP, 1999.

BIBLIOTHECA PUBLICA DO ESTADO DE MATTO-GROSSO. Regulamento para a

Bibliotheca Publica do Estado de Matto-Grosso: approvado pelo Decreto n. 308, de 26 de Março de 1912. Cuyabá: Officina Pina Filho, 1912, 1913, 1915.

BLOCH, M. Introdução à História. 5. ed. [S.l.]: Europa-América, [1987].

BURKE, Peter. O que é história cultural? 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

CERTEAU, Michel de. A Escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2002.

CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: UNESP, 1999a.

CHARTIER, Roger. A Ordem dos livros: leitores, autores e bibliotecas na Europa entre os séculos XIV e XVIII. Brasília: UNB, 1999b.

CHARTIER, Roger. Cultura escrita, literatura e história. Porto Alegre: Artmed, 2001.

CORRÊA FILHO, Virgilio. Matto-Grosso: publicação official. Rio de Janeiro: Typografia do Jornal do Commercio, 1922.

COSTA, Humberto Soares da. Bibliotecas do Centro-Oeste do Brasil. Rio de Janeiro: INL, 1953. (Coleção B2. Biblioteconomia, v. IX).

DARNTON, Robert. O beijo de Lamourette: mídia, cultura e revolução. São Paulo: Companhia de Bolso, 2010.

DEAECTO, Marisa Midori. O Império dos livros. São Paulo: EdUSP, 2011.

DILTHEY, Wilhelm. A construção do mundo histórico nas ciências humanas. São Paulo: Unesp, 2010.

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 3. Ed. São Paulo: Cortez, 1983.

GABRIEL, Sheila Cristina Ferreira. “Templo do Saber”: A Biblioteca Pública do Estado de Mato Grosso: modernidade, conhecimento e práticas de leitura : (1912-1950). 176 f. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação)-Universidade Federal de Mato Grosso. Rondonópolis, MT, 2013.

LEGOFF, Jacques. A História nova. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas: UNICAMP, 1990.

MARTINS, Wilson. A palavra escrita: história do livro, da imprensa e da biblioteca. 3. Ed. São Paulo: Ática, 1998.

MILANESI, Luís. A Casa da invenção. 4 ed. São Paulo: Ateliê, 2003.

MORTATTI, Maria do Rosário. Os sentidos da alfabetização: (São Paulo/1876-1994). São Paulo: Editora UNESP: CONPED, 2000.

PERES, Eliane. “Templo de luz”: os cursos noturnos masculinos de instrução primária da Biblioteca Pública Pelotense (1875-1915). Pelotas, RS: Seiva, 2002. (Série História da Educação em Pelotas; v. 2).

RANDAZZO, Vera Iolanda. Subsídios para a história do Arquivo. RAPMT. Ensaios, n. 1, v. 1, 7-29, mar./ago. 1992.

RODRIGUES, Eni Neves da Silva. Impressões em preto e branco: história da leitura em Mato Grosso na segunda metade do século XIX, 2008, 261 f. Tese (Doutorado)- Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, 2008.

SIQUEIRA, Elizabeth Madureira. Luzes e sombras: modernidade e educação pública em Mato Grosso (1870-1889), 1999, 420 f. Tese (Doutorado em Educação) – PPGE - Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 1999.

Downloads

Publicado

2021-07-27

Como Citar

Gabriel, S. C. F., & Cardoso, C. J. (2021). BIBLIOTECA PÚBLICA ESTADUAL ESTEVÃO DE MENDONÇA: (RE)CONSTITUINDO A SUA HISTÓRIA. BIBLOS, 35(1). https://doi.org/10.14295/biblos.v35i1.12114

Edição

Seção

Artigos