UM GABINETE DE LEITURA À BEIRA MAR

OS PRIMÓRDIOS DA BIBLIOTHECA RIO-GRANDENSE (1846-1878)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/biblos.v35i1.12082

Palavras-chave:

Gabinete de Leitura, Bibliotheca Rio-Grandense, Cidade do Rio Grande.

Resumo

O presente trabalho aborda como se deu a constituição do Gabinete de Leitura da cidade do Rio Grande/RS em 1846, um dos gabinetes mais antigos do Brasil, e que se transformará no decorrer do século XIX em Bibliotheca Rio-Grandense. Além de reunir uma coleção significativa de livros e periódicos nacionais e estrangeiros também disponibilizava seus espaços para reuniões de agremiações locais e para aulas públicas e privadas voltadas para o ensino secundário. O corpus da pesquisa contempla documentos produzidos pela instituição, bem como anúncios, notas e artigos presentes na imprensa local. Conclui que essa instituição se constituiu como um espaço de sociabilidade e de instrução voltado para determinados grupos sociais, principalmente, vinculados ao comércio e que precisou ampliar sua função social e se transformar em biblioteca a fim de garantir sua continuidade.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Barrozo Teixeira Aquino, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Profa. Dra. Vanessa Barrozo Teixeira Aquino

Departamento de Ciências da Informação (DCI)
Curso de Bacharelado em Museologia
Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio (PPGMUSPA)

Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação (FABICO/UFRGS)

Referências

ALMEIDA, José Ricardo Pires de. História da instrução pública no Brasil (1500-1889). São Paulo: EDUC, 2000.

ANACLETO, Regina. O Real Gabinete Português de Leitura do Rio de Janeiro. São Paulo: Dezembro Editorial, 2004.

ARRIADA, Eduardo. A educação secundária na Província de São Pedro do Rio Grande do Sul: a desoficialização do ensino público. Porto Alegre, 2007. 372f. Tese (Doutorado). Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação. PUCRS, 2007.

AUTORA. A instrução da mocidade rio-grandina: o ensino secundário na cidade do Rio Grande/RS (1850-1889). Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Pelotas, RS, 2017, 385f.

AUTORA, TAMBARA, Elomar. O Gabinete de Leitura da cidade do Rio Grande/ RS: a gênese da Bibliotheca Rio Grandense (1846-1878). In: Cultura e Identidades do Rio Grande. Rio Grande: Biblioteca Rio-Grandense, 2013, p. 365-393.

AUTORA. Escola de Engenharia Industrial: a gênese do ensino superior na cidade do Rio Grande (1953-1961). Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de Pelotas, Programa de Pós-Graduação em Educação, Pelotas, RS, 2013, 235f.

BERUTE, Gabriel Santos. Atividades mercantis do Rio Grande de São Pedro: negócios, mercadorias e agentes mercantis (1808-1850). Tese (Doutorado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História, Porto Alegre/RS, 2011, 309f.

CATÁLOGO dos livros do Gabinete de Leitura da cidade do Rio Grande de São Pedro do Sul. Rio Grande: Typ. do Artista de Antonio da Cunha Silveira, Rua dos Principes nº 44, 1877.

CESAR, Willy. Centenário do Colégio Lemos Jr: Rio Grande. Rio de Janeiro: Ed. UniverCidade, 2007.

DARTON, Robert. O beijo de Lamourette: mídia, cultura e revolução. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

DIARIO DO RIO GRANDE, 1849, 1852, 1853, 1854, 1856, 1859, 1860, 1867, 1872, 1873,1877, 1878, 1879, 1884, 1889. Acervo da Hemeroteca da Biblioteca Rio-Grandense, Rio Grande/RS.

DORTIER, Jean-François. Dicionário de Ciências Humanas. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2010.

FONTOURA, Edgar. A Bibliotheca Riograndense. Conferência realizada na Bibliotheca Riograndense, em sessão commemorativa do 87º anniversario de sua fundação. 1933. Officinas do Rio Grande, Rio Grande.

FRANCO, Sérgio da Costa. Porto Alegre e seu comércio. Porto Alegre: Ed. Associação Comercial de Porto Alegre, 1983.

KROB, Bruna Emerim. Libertos sob cláusulas de prestação de serviços: os contratos de trabalho estabelecidos a partir das cartas de alforria registradas nos cartórios de Porto Alegre em 1884. Trabalho de Conclusão de Curso. Licenciatura em História. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2011, 67p.

LONER, Beatriz Ana. Classe operária: mobilização e organização em Pelotas: 1888 – 1937. Tese (Doutorado em Sociologia). Programa de Pós-Graduação em Sociologia. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre/RS, 1999.

MARTINS, Ana Luiza. Os gabinetes de leitura no Império: casas esquecidas da censura? In: Leitura, história e história da leitura. Campinas, SP: Mercado das Letras: Associação de Leitura do Brasil; São Paulo: Fapesp, 1999, p. 395-410.

MARTINS, Solismar Fraga. Cidade do Rio Grande: industrialização e urbanidade (1873-1990). Rio Grande: Editora da FURG, 2006.

NEVES, Décio Vignoli das. Vultos do Rio Grande. 3º Tomo. Rio Grande, 1989.

OSORIO, Helen. Comerciantes do Rio Grande de São Pedro: formação, recrutamento e negócios de um grupo mercantil da América Portuguesa. In: Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 20, nº 39, p. 115-134, 2000.

PERES, Eliane Teresinha. Templo de luz: os cursos noturnos masculinos de Instrução primária da Biblioteca Pública Pelotense (1875-1925). Pelotas: Seiva Publicações, 2002.

PIMENTEL, Fortunato. Aspectos gerais do município de Rio Grande. Of. Gráfica da Imprensa Nacional. Porto Alegre, 1944. Vol. 1.

REGIMENTO INTERNO DO GABINETE DE LEITURA. In: CATÁLOGO dos livros do Gabinete de Leitura da cidade do Rio Grande de São Pedro do Sul. Rio Grande: Typ. do Artista de Antonio da Cunha Silveira, Rua dos Principes nº 44, 1877.

RELATÓRIO apresentado à Assembleia Geral pela Directoria de 1892. Rio Grande: Officinas da Livraria Americada, 1893.

RELATÓRIO da Bibliotheca Rio-Grandense apresentado pela Directoria à Assembleia Geral em 22 de janeiro de 1888. Rio Grande: Typographia do Artista – de Franklin da Fonseca Torres, 1888.

RELATÓRIO da Companhia Industrial e Mercantil Rio-Grandense. Relatório para ser apresentado pela Directoria em Assembleia Geral de 21 de fevereiro de 1894. Cidade do Rio Grande do Sul. Rio Grande: Typ. Do Artista, de Franklin da Fonseca Torres, 1894.

RELATÓRIO E BALANÇO da Companhia de Seguros Marítimos e Terrestres Rio-Grandense. Relatório e Balanço do anno de 1890 a apresentar a´assembleia geral dos accionistas convocada para 27 de fevereiro de 1891. Rio Grande: Typ. Do Artista, de Franklin da Fonseca Torres, 1891.

SCHNEIDER, Regina Portella. A instrução pública no Rio Grande do Sul (1770-1889). Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS/EST Edições, 1993.

SHAPOCHNIK, Nelson. A leitura no espaço e o espaço da leitura. In: Cultura letrada no Brasil: objetos e práticas. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2005, p. 229-243.

SILVEIRA, Josiane Alves da. RIO GRANDE: portas abertas para as importações de sal no século XIX. Monografia (Curso de História). Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande/RS, 2006, 67p.

TAMBARA, Elomar. Bosquejo de um ostensor do repertório de textos escolares utilizados no ensino primário e secundário no século XIX no Brasil. Pelotas: Seiva Publicações, 2003.

TAMBARA, Elomar; ARRIADA, Eduardo (orgs). Coletânea de leis sobre o ensino primário e secundário no período imperial brasileiro: Lei de 1827; Reforma Couto Ferraz-1854; Reforma Leôncio de Carvalho-1879. Pelotas: Seiva, 2005.

WEBER, Max. Classe, estamento, partido. In: GERTH, Hans e MILLS, Wright (Org.). Max Weber - Ensaios de sociologia. Rio de Janeiro: Editora LTC, 1982, p. 211-228.

Downloads

Publicado

2021-07-27

Como Citar

Aquino, V. B. T. (2021). UM GABINETE DE LEITURA À BEIRA MAR: OS PRIMÓRDIOS DA BIBLIOTHECA RIO-GRANDENSE (1846-1878). BIBLOS, 35(1). https://doi.org/10.14295/biblos.v35i1.12082

Edição

Seção

Artigos