COMPETÊNCIA EM DADOS

habilidades na atuação e formação do bibliotecário

Autores

  • Marcelle Costal Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) em convênio com a Escola de Comunicação (ECO) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). https://orcid.org/0000-0001-5898-9163
  • Luana Sales Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) em convênio com a Escola de Comunicação (ECO) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Arquivo Nacional. https://orcid.org/0000-0002-3614-2356
  • Marianna Zattar Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) em convênio com a Escola de Comunicação (ECO) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) no curso de Biblioteconomia e Gestão de Unidades de Informação (CBG) da Faculdade Administração e Ciências Contábeis (FACC) do Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE). https://orcid.org/0000-0002-3328-3591

Palavras-chave:

Competência em dados, Gestão de dados de pesquisa, Tecnologia da informação e comunicação.

Resumo

 

Os desafios da gestão e curadoria de dados de pesquisa esbarram com a necessidade de desenvolver habilidades e competências específicas, dentre as quais as Tecnologias da Informação e Comunicação. Nesse sentido, este artigo tem por objetivo identificar quais são as habilidades técnicas e tecnológicas que o bibliotecário precisa desenvolver, relacionadas à competência em dados. Para tal, propõe a criação de categorias e eixos temáticos a partir de uma coleta de dados nas ementas dos cursos de mestrado em Biblioteconomia credenciados pela American Library Association. Utiliza como procedimento metodológico uma abordagem qualitativa a partir de um método exploratório. Tem por resultados habilidades técnicas e tecnológicas relacionadas aos padrões de metadados, o conhecimento de recursos de dados, aprendizado e uso da linguagem de programação, dentre outras competências de cunho interdisciplinar com a ciência de dados. Conclui que a competência em dados, está relacionada à competência em informação e pode projetar as práticas biblioteconômicas, quanto às etapas que envolvem o uso das Tecnologias da Informação e Comunicação para a gestão de dados de pesquisa.

 

Palavras-chave: Competência em dados. Gestão de dados de pesquisa. Tecnologia da informação e comunicação.

 

DATA LITERACY: LIBRARIAN’S SKILLS IN PROFESSIONAL AND EDUCATIONAL DEVELOPMENT

 

ABSTRACT

The research data management and digital curation challenges run into the need to develop skills, including literacies of Information and Communication Technology. This study aims to identify what are the technical and technological skills, that the librarian needs to develop the data literacy. This paper proposes the creation of thematic axes and categories based on data collection of institutional websites for master's courses in Library Science accredited by the American Library Association. The methodological procedure is a qualitative approach based on an exploratory method. Our results show that technical and technological skills include to metadata standards, knowledge of data resources, learning and use of the programming language, among other interdisciplinary skills. Overall, data literacy is related to information literacy and can be design library practices, that involve the use of information and communication technology for research data management.

 

Keywords: Data literacy. Research data management. Information and communication technology.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelle Costal, Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) em convênio com a Escola de Comunicação (ECO) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Mestranda em Ciência da Informação no Programa de Pós-Graduação do IBICT/ECO/UFRJ. Graduada em Biblioteconomia e Gestão de Unidades de Informação pela UFRJ. Foi bolsista de Iniciação Científica do Instituto de Engenharia Nuclear IEN/CNEN e membro do corpo editorial da Revista Progress Report IEN. Possui graduação o em História pela Universidade Gama Filho. Foi docente na área de História, Filosofia e Sociologia para o Ensino Fundamental e Médio no Instituto Nossa Senhora das Dores (2013-2016). Atualmente é bolsista de pesquisa no Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT/SNJ/SINAJUVE e OCID). É membro da Rede de Competência em Informação (CoInfo) e integrante no grupo de pesquisa BRIET: Biblioteconomia, Recuperação de Informação, E-Science e suas teorias do(a) Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia. Atua principalmente nos seguintes temas: gestão e curadoria de dados de pesquisa, gestão do conhecimento, repositórios digitais, tesauros, competência em informação, competência em dados, prática informacional e desinformação.

Luana Sales, Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) em convênio com a Escola de Comunicação (ECO) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Arquivo Nacional.

Doutora em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação do IBICT/UFRJ (2011-2014). Mestre em Ciência da Informação pelo convênio UFF/IBICT (2004-2006), Graduação em Biblioteconomia e Documentação pela Universidade Federal Fluminense (2003). Atuou como Analista em C & T da CNEN, no Instituto de Engenharia Nuclear, participando da criação da linha de pesquisa de Gestão do Conhecimento Nuclear. Atuou ainda como docente do curso de graduação em Biblioteconomia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e Universidade Federal Fluminense, ministrando disciplinas relacionadas à Organização do Conhecimento. Atualmente exerce o cargo de Coordenadora Geral de Acesso e Difusão de Acervos do Arquivo Nacional. É Analista em C & T do MCTIC/IBICT, atuando como docente do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação do convênio IBICT-UFRJ e Coordenadora da Rede de Implementação do GO FAIR Brasil. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Organização e Representação do Conhecimento e Recuperação de Informações,com interesse em tópicos ligados à Comunicação Científica, Tecnologia de Informação e Gestão do Conhecimento, e-Science, curadoria digital de dados de pesquisa, bibliotecas de pesquisa, biblioteca digital, metadados, repositórios institucionais, repositórios de dados, Sistemas CRIS, objetos digitais, e sistemas de organização do conhecimento, como vocabulários controlados, tesauros, taxonomias e ontologias.

Marianna Zattar, Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict) em convênio com a Escola de Comunicação (ECO) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) no curso de Biblioteconomia e Gestão de Unidades de Informação (CBG) da Faculdade Administração e Ciências Contábeis (FACC) do Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE).

Doutora em Ciência da Informação no Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) em convênio com a Escola de Comunicação (ECO) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É mestre em Ciência da Informação pelo IBICT em convênio com a Faculdade de Administração e Ciências Contábeis (FACC) da UFRJ. Possui pós-graduação Lato Sensu em Inteligência Competitiva e Gestão Estratégica da Informação pelo SENAC-RJ. Graduada em Biblioteconomia e Documentação na Escola de Biblioteconomia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Atualmente é docente da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) no curso de Biblioteconomia e Gestão de Unidades de Informação (CBG) da Faculdade Administração e Ciências Contábeis (FACC) do Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE). Atua nos temas: Competência em informação, Competência em mídia e em informação, Prática informacional, Recursos informacionais, Fontes de informação e Desinformação.

Referências

ABBOTT, D. What is digital curation? Edimburgo: Digital Curation Centre, 2008. Disponível em: https://www.dcc.ac.uk/guidance/briefing-papers/introduction-curation/what-digital-curation. Acesso em: 24 jul. 2020.

AMERICAN LIBRARY ASSOCIATION (ALA). Directory of institutions offering ALA-accredited master’s programs in library and information studies. Chicago: ALA, jan. 2019. Disponível em: http://www.ala.org/educationcareers/accréditosprograms/directory. Acesso em: 30 jul. 2020.

ASSOCIATION OF COLLEGE AND RESEARCH LIBRARIES (ACRL). Framework for information literacy for higher education. Chicago: ACRL, 2016. Disponível em: http://www.ala.org/acrl/standards/ilframework. Acesso em: 30 jul. 2020.

ASSOCIATION OF COLLEGE AND RESEARCH LIBRARIES (ACRL). Information literacy competency standards for higher education. Chicago: ACRL, 2000. Disponível em: https://alair.ala.org/bitstream/handle/11213/7668/ACRL%20Information%20Literacy%20Competency%20Standards%20for%20Higher%20Education.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 27 set. 2020.

BARDIN, l. Análise de conteúdo. São Paulo: Martins Fontes, 1977.

BASE DE DADOS EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO (BRAPCI). Acervo de publicações brasileiras em Ciência da Informação. Curitiba : Porto Alegre : Universidade Federal do Paraná : Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Versão 4.3.20191109 beta c2020.

BORGMAN, C. L. Research data: who will share what, with whom, when, and why? In: CHINA-NORTH AMERICAN LIBRARY CONFERENCE, 5., 2010, Beijing, PEK. Proceedings [...]. Beijing, PEK: CALA, 2016. p. 1-21. Disponível em: http://www.ratswd.de/download/RatSWD_WP_2010/RatSWD_WP_161.pdf. Acesso em: 9 set. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Cadastro nacional de cursos e instituições de educação superior: cadastro e-MEC. Brasília, DF: MEC, 2019. Disponível em: http://emec.mec.gov.br/. Acesso em: 10 mar. 2019.

BRITO, V. P.; PINHEIRO, M. M. K. Poder informacional e desinformação. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, João Pessoa, v. 8, n. 2, p. 144-164, 2015. Disponível em: https://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/355. Acesso em: 27 jul. 2020.

CARLSON, J. R. et al. Determining data information literacy needs: a study of students and research faculty. Libraries Faculty and Staff Scholarship and Research, Indiana, v. 11, n. 2, p. 629-657, 2011. Disponível em: https://docs.lib.purdue.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1031&context=lib_fsdocs. Acesso em: 15 jun. 2018.

COSTAL, M. Competência em informação para gestão de dados de pesquisa: um olhar para a formação do (a) bibliotecário (a). 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Biblioteconomia e Gestão de Unidades de Informação) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2019.

COX, A. M; CORALL, S. Evolving academic library specialties. Journal of the American Society for Information Science and Technology. [Maryland], v. 64, n.8, p. 1526–1542, 2013. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/asi.22847. Acesso em: 24 jul. 2020.

EYNDEN, V. et al. Managing and data sharing: best practice for researchers. Colchester: University of Essex, 2011.

FEDERER, L. Defining data librarianship: a survey of competencies, skills, and training. Journal of the Medical Library Association, Chicago, IL, v. 106, n. 3, p. 294-303, 2018.

GIL, A. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

HEY, T.; TANSLEY, S.; TOLLE, K. The fourth paradigm: data intensive scientific discovery. Redmond: Microsoft, 2009. Disponível em: https://www.microsoft.com/en-us/research/wp-content/uploads/2009/10/Fourth_Paradigm.pdf. Acesso em: 27 set. 2020.

HIGGINS, S. Digital curation: the emergence of a new discipline. The International Journal of Digital Curation, Edimburgo, v. 6, n. 2, p. 78-88, 2011. Disponível em: http://www.ijdc.net/index.php/ijdc/article/ view/184. Acesso em: 9 set. 2018.

KENNAN, M. Data management: knowledge and skills required in research, scientific and technical organizations. In: IFLA WLIC, 82., 2016, Columbus. Proceedings [...]. Columbus, 2016. Disponível em: http://library.ifla.org/1466/1/221-kennan-en.pdf. Acesso em: 29 set. 2020.

KOLTAY, T. Accepted and emerging roles of academic libraries in supporting research 2.0. The Journal of Academic Librarianship, Amsterdam, NL, v. 45, n. 2, p. 75-80, 2019.

KOLTAY, T. Are you ready? tasks and roles for academic libraries in supporting research 2.0. New Library World, Bingley, v. 117, n. 1/2, p. 94-104, 2016.

KOLTAY, T. Data literacy: in search of a name and identity. Journal of Documentation, Bingley, v. 71, n. 2, p. 401-415, 2015.

MORVILLE, P. Ambient Findability. Sebastopol: O’Reilly Media, 2005.

ORGANIZAÇÃO PARA A COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO (OCDE). Principles and guidelines for access to research data from public funding. Paris, FR: OCDE, 2007. Disponível em: http://www.oecd.org/sti/inno/38500813.pdf. Acesso em: 9 set. 2018.

PAMPEL, H. et al. Making research data repositories visible: the re3data.org registry. PLOS ONE, Berkeley, v. 8, n. 11, p. 1-10, 2013. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3817176/. Acesso em: 9 set. 2018.

QIN, J.; D’IGNAZIO, J. Lessons learned from a two-year experience in science data literacy education. In: ANNUAL INTERNATIONAL ASSOCIATION OF SCIENTIFICAL AND THECNOLOGICAL UNIVERSITY LIBRARIES CONFERENCE, 31., 2010, West Lafayette. Proceedings [...]. West Lafayette: Purdue University, 2010. Disponível em: https://docs.lib.purdue.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=1009&context=iatul2010. Acesso em: 27 set. 2020.

SAYÃO, L. F.; SALES, L. F. Algumas considerações sobre os repositórios digitais de dados de pesquisa. Informação & Informação, Londrina, v. 21, n. 2, p. 90-115, 2016. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/27939. Acesso em: 24 jul. 2020.

SAYÃO, L. F.; SALES, L. F. Dados de pesquisa: contribuição para o estabelecimento de um modelo de curadoria digital para o país. Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e Biblioteconomia, João Pessoa, v. 8, n. 2, 2013.

SCHIMIDT, B; SHEARER, K. Librarians competencies profile for research data management. Task Force on Librarians’ Competencies in Support of E-Research and Scholarly Communication, [S. l], jun. 2016. Disponível em: https://www.coar-repositories.org/files/Competencies-for-RDM_June-2016.pdf. Acesso em: 29 set. 2020.

SCHNEIDER, R. Research data literacy. In: KURBANOGLU, S. et al. (Org.) Worldwide commonalities and challenges in informbration literacy research and practice. Cham: Springer International, 2013. p. 134-140.

SEMELER, A. R. et al. Data science in a data librarianship: core competêncies of a data librarian. Journal of Librarianship and Information Science, Wellington, v. 51, n. 3, 2017.

SILVA, F. C. C. Gestión de datos de investigación. Barcelona: Editorial UOC, 2016.

SOLLA PRICE, D. J. O desenvolvimento da ciência: análise histórica, filosófica, sociológica e econômica. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1976.

SPINAK, E. A especialidade dos bibliotecários de dados na ciência aberta. In:SCIELO. Scielo em Perspectiva. [S.l], 1 nov. 2019. Disponível em: https://blog.scielo.org/blog/2019/11/01/a-especialidade-bibliotecarios-de-dados-na-ciencia-aberta/#.X3POgGhKjIW. Acesso em: 26 jul. 2020.

XEXÉO, G. Big data: computação para uma sociedade conectada e digitalizada. Ciência Hoje, Rio de janeiro, v. 51, n. 306, p. 18‐23, ago. 2013. Disponível em: http://www.lcvdata.com/sist_distr/bigdata306.pdf. Acesso em: 19 nov. 2018.

ZATTAR, M. Competência em mídia e em informação no ensino: um breve relato de experiência. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 13, n. especial, p. 272-279, 2017. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/664. Acesso em: 26 jul. 2020.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

Costal, M., Sales, L., & Zattar, M. (2020). COMPETÊNCIA EM DADOS : habilidades na atuação e formação do bibliotecário. BIBLOS, 34(2). Recuperado de https://periodicos.furg.br/biblos/article/view/11809