A PRODUÇÃO CIENTÍFICA SOBRE ESTUDOS DE GÊNERO NO REPOSITÓRIO DIGITAL DA UFRGS

Autores

  • Thaís Dias Medeiros Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-0104-1176
  • Natascha Helena Franz Hoppen Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. http://orcid.org/0000-0003-0959-9577
  • Samile Andréa de Souza Vanz Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-0549-4567

DOI:

https://doi.org/10.14295/biblos.v34i2.11515

Palavras-chave:

Estudos de gênero, Bibliometria, Repositório Digital Lume.

Resumo

O presente estudo caracteriza a produção científica sobre estudos de gênero no Lume – Repositório Digital da UFRGS – por meio de análise bibliométrica. O corpus é delimitado pelos documentos sobre estudos de gênero, sexualidade, feminismo e teoria queer. A produção concentra-se nas áreas de Ciências Sociais e Humanidades, Comunicação e Saúde. Os assuntos majoritariamente abordados são: sexualidade, feminismo, estudos culturais, relações de gênero, masculinidades e educação. Conclui-se que a UFRGS produz sobre a temática estudos de gênero, especialmente nas áreas de Ciências Sociais e Humanas, Comunicação e Saúde, e que sua produção na área acompanha o desenvolvimento nacional desse campo de estudo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thaís Dias Medeiros, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil.

Mestranda em Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS. Graduada em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Natascha Helena Franz Hoppen, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil.

Doutoranda em Comunicação e Informação pelo PPGCOM da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Mestra em Comunicação e Informação e bacharela em Biblioteconomia pela mesma universidade.

Samile Andréa de Souza Vanz, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil.

Doutoura em Comunicação e Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Graduada em Biblioteconomia e Mestra em Comunicação e Informação pela UFRGS. Pós-doutorado pela Universidad Carlos III de Madrid (Espanha).

Referências

ANDRADE, Luís Fernando Silva; MACEDO, Alex dos Santos; OLIVEIRA, Maria de Lourdes Souza. A produção científica em gênero no Brasil: um panorama dos Grupos de Pesquisa de Administração. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 15, n. 6, p. 48-75, 2014.

AQUINO, Estela M. L. Gênero e Saúde: perfil e tendências da produção científica no Brasil. Revista Saúde Pública, São Paulo, v. 40, n. esp., p. 121- 132, 2006.

ARAÚJO, Maria de Fátima; SCHRAIBER, Lilia Blima; COHEN, Diane Dede. Penetração da perspectiva de gênero e análise crítica do desenvolvimento do conceito na produção científica da Saúde Coletiva. Interface: comunicação, saúde, educação, São Paulo, v. 15, n. 38, 2011.

BARATA, Rita de Cássia Barradas. Dez coisas que você deveria saber sobre o Qualis. RBPG, Brasília, v. 13, n. 30, p. 13-40, jan./abr. 2016.

BRAMBILLA, Sônia Domingues Santos. A produção científica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul representada na Web of Science (2000-2009). Tese (Doutorado em Comunicação e Informação) - Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação, Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

BRILHANTE, Aline Veras Morais et al. Um estudo bibliométrico sobre a violência de gênero. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 25, n. 3, p. 703-715, 2016.

BRITO, Maria Noemi Castilhos. A memória política: versões de gênero. Cadernos Pagu, Campinas, n. 3, p. 197-228, 1994.

CAPPELLE, Mônica Carvalho Alves et al. A produção científica sobre gênero na administração: uma meta-análise. REAd: Revista Eletrônica de Administração, Porto Alegre, v. 13, n. 3, p. 502-528, set./dez. 2007.

COSTA, Albertina; BLAY, Eva. Gênero e universidade. São Paulo: NENGE-UPS, 1992.

COSTA, Albertina de Oliveira; BRUSCHINI, Cristina. Uma contribuição ímpar: os Cadernos de Pesquisa e a consolidação dos estudos de gênero. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 80, p. 91-99, fev. 1992.

COSTA, Ana Alice; SARDENBERG, Cecília M. B. Teoria e práxis feministas na academia: os núcleos de estudos sobre a mulher nas universidades brasileiras. Feminismos, Salvador, v. 2, n. 2, maio/ago. 2014.

DE LUCA, Márcia Martins Mendes et al. Participação feminina na produção científica em contabilidade publicada nos anais dos eventos Enanpad, Congresso USP de Controladoria e Contabilidade e Congresso Anpcont. Revista de Contabilidade e Organizações, São Paulo, v. 5, n. 11, p. 145-164, 2011.

DINIZ, Debora; FOLTRAN, Paula. Gênero e Feminismo no Brasil: uma análise da Revista Estudos Feministas. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 12, n. esp., p. 245-264, set./dez., 2004.

ESPÍRITO SANTO, Patrícia. Os estudos de gênero na Ciência da Informação. Em Questão, Porto Alegre, v. 14, n. 2, p. 317-332, jul./dez. 2008.

FIORAVANTI, Denise Cristina Belan; NASCIMENTO, Francisco Arrais; MARTÍNEZ-ÁVILA, Daniel. SABBAG, Deise Maria Antonio. Estudos feministas no Brasil: uma análise da produção acadêmica sobre o feminismo na base de dados Scopus no período de 2007-2017. In: BARROS, T. H. B.; TOGNOLI, N. B. (org.). Organização do conhecimento responsável: promovendo sociedades democráticas e inclusivas. Belem: Ed. da UFPA, 2019.

FOLHA DE SÃO PAULO. Ranking Universitário Folha - RUF. São Paulo, 2017. Disponível em: http://ruf.folha.uol.com.br/2017/. Acesso em: 23 abr. 2018.

FREIRE, Gustavo Henrique de Araújo.; FREIRE, Isa Maria. Novo Qualis de periódicos da Capes. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 29, n. 4, 2019.

GRUPO de Estudos de Educação e Relações de Gênero (GEERGE). História. Porto Alegre, [2018?]. Disponível em: https://www.ufrgs.br/geerge/. Acesso em: 23 abr. 2018.

HAYASHI, Maria Cristina Piumbato Innocentini et al. Indicadores de participação feminina em Ciência e Tecnologia. Transinformação, Campinas, v. 19, n. 2, 169-187, maio/ago. 2007.

LETA, Jacqueline. As mulheres na ciência brasileira: crescimento, contrastes e um perfil de sucesso. Estudos avançados, São Paulo, v. 17, n. 49, p. 271-284, 2003.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

LOPES, Marta Júlia Marques. O trabalho da enfermeira: nem público nem privado. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1987.

MACIAS-CHAPULA, Cesar A. O papel da infometria e da cientometria e sua perspectiva nacional e internacional. Ciência da Informação, Brasília, v. 27, n. 2. p. 134-140, maio/ago. 1998.

MATOS, Gislaine Imaculada de. Estudos de gênero e feminismos: uma análise bibliométrica da Revista Estudos Feministas. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, 2018.

MEADOWS, Arthur Jack. A comunicação científica. Brasília: Briquet de Lemos, 1999.

MUELLER, Suzana Pinheiro Machado. Métricas para a Ciência e Tecnologia e o financiamento da pesquisa: algumas reflexões. Encontro em Biblioteconomia: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Florianópolis, n. esp., 2008.

NARVAZ, Martha Giudice. A (in)visibilidade do gênero na psicologia acadêmica: onde os discursos fazem(se) política. Tese (Doutorado em Psicologia) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

OLIVEIRA, João Ferreira de; AMARAL, Nelson Cardoso. A produção do conhecimento no Brasil e no mundo: financiamento e políticas de ciência, tecnologia e inovação em debate. In: LEITE, Denise; LIMA, Elizeth Gonzaga dos Santos Lima (org.). Conhecimento, avaliação e redes de colaboração: produção e produtividade na universidade. Porto Alegre: Sulina, 2012.

OSADA, Neide Mayumi; COSTA, Maria Conceição. A construção social de gênero na Biologia: preconceitos e obstáculos na biologia molecular. Cadernos Pagu, Campinas, v. 27, p. 279-299, jul./dez. 2006.

PAVÃO, Caterina Groposo. Contribuição dos Repositórios Institucionais à comunicação científica: um estudo na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Informação) - Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação, Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

PAVÃO, Caterina Groposo et al. Práticas de interoperabilidade para a integração de acervos digitais heterogêneos e distribuídos. In: CONFERENCIA INTERNACIONAL SOBRE BIBLIOTECAS Y REPOSITORIOS DIGITALES DE AMÉRICA LATINA BIREDIAL-ISTEC, 6., 2016, San Luis Potosí. Anais[...] San Luis Potosí: UASLP, 2016.

PISCITELLI, Adriana. "sexo Tropical": comentários sobre gênero e "raça" em alguns textos da mídia brasileira. Cadernos Pagu, Campinas, n. 6/7, p. 9-33, 1996.

PISCITELLI, Adriana; BELELI, Iara; LOPES, Maria Margaret. Cadernos Pagu: contribuindo para a consolidação de um campo de estudos. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 11, n. 1, p. 242-246, jan./jun. 2003.

SALIH, Sara. Judith Butler e a Teoria Queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2018.

SANTOS, Raimundo Nonato Macedo dos; KOBASHI, Nair Yumiko. Bibliometria, Cientometria, Infometria: conceitos e aplicações. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, Brasília, v. 2, n. 1, p. 155-172, jan./dez. 2009.

SARTI, Cyntia Andersen. O feminismo brasileiro desde os anos 1970: revisitando uma trajetória. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 12, n. 2, p. 35-50, maio/agosto, 2004.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

SILVA, Ana Paula Araújo Cabral da et al. Política de indexação do Sistema de Bibliotecas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (SBURGS). Porto Alegre, 2014. Disponível em: http://www.ufrgs.br/documenta/documentos/politica-de-indexacao-do-sistema-de-bibliotecas-da-universidade-federal-do-rio-grande-do-sul-sbufrgs. Acesso em: 31 maio 2018.

SILVA, Denise Regina Quaresma da; FLORES, Helen Rose. Educação e Gênero em publicações científicas brasileiras: um estudo a partir da base Educ@. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 19., 2006, Manaus. Anais [...] Manaus: UFAM, 2016.

SOIHET; Rachel; PEDRO, Joana Maria. A emergência da pesquisa da História das Mulheres e das Relações de Gênero. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 27, n. 54, p. 281-300, 2007.

SPINAK, Ernesto. Indicadores cientometricos. Ciência da Informação, Brasília, v. 27, n. 2, p. 141-148, maio/ago. 1998.

STUMPF, Ida Regina Chitto. A comunicação da ciência na universidade: o caso UFRGS. In: MUELLER, Suzana Pinheiro Machado; PASSOS, Edilenice Jovelina Lima (org.). Comunicação científica. Brasília: Departamento de CI da Universidade de Brasília, 2000.

UNIVERSIDADE Federal do Rio Grande do Sul. Pesquisa e inovação. Apresentação. Porto Alegre. 2018. Disponível em: http://www.ufrgs.br/ufrgs/pesquisa-e-inovacao/apresentacao. Acesso em: 23 abr. 2018.

UNIVERSIDADE Federal do Rio Grande do Sul. Ranking Web coloca UFRGS em posição de destaque. Porto Alegre, 2017.

UNIVERSIDADE Federal do Rio Grande do Sul. Documenta. Porto Alegre, [2018?]a. Disponível em: http://www.ufrgs.br/documenta/manuais-sabi/registro-bibliografico/campos-6xx. Acesso: 30 maio 2018.

Downloads

Publicado

2020-12-31

Como Citar

Medeiros, T. D., Hoppen, N. H. F., & Vanz, S. A. de S. (2020). A PRODUÇÃO CIENTÍFICA SOBRE ESTUDOS DE GÊNERO NO REPOSITÓRIO DIGITAL DA UFRGS. BIBLOS, 34(2). https://doi.org/10.14295/biblos.v34i2.11515