REVISTAS CIENTÍFICAS DA BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: uma análise dos plugins Open Journal System (OJS) e Critérios SciELO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/biblos.v34i1.11318

Palavras-chave:

Revistas científicas. Critérios de qualidade. Plugins OJS. Comunidade científica.

Resumo

Apresenta estudo sobre 21 revistas científicas de Biblioteconomia e Ciência da Informação, a partir do extrato Qualis A1, A2 e B1, com base nos critérios SciELO e na identificação dos plugins Open JOurnal Systems (OJS) habilitados. Quanto aos métodos usados, a pesquisa de caráter exploratório e descritivo, usou-se 2 instrumentos para coleta de dados. Constatou-se que, das 21 revistas, 10 não têm a totalidade de plugins habilitados. Duas revistas não foram analisadas em decorrência de um link quebrado. Quanto aos critérios Qualis, é possível afirmar que algumas revistas, com extratos significativos, apresentaram inflexibilidade com resultados não favoráveis, os quais trazem uma reflexão: “até que ponto esses critérios influenciam na mudança de extrato, todos detalhados nas considerações da presente pesquisa?”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Josiane Ribeiro Prestes, Bacharela em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Rio Grande, FURG.

Graduada em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Rio Grande, FURG.  Atuou como assistente de Editor do Portal de Periódicos da FURG. Foi Bolsista e Monitora do Repositório Institucional da FURG. Assistente de Editor na Revista Diversidade e Educação.

Simone Machado Firme, Universidade Federal do Rio Grande, FURG.

Graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Rio Grande (2013) e graduação em Letras - Português e Espanhol pela Universidade Federal do Rio Grande (1998). E Mestrado no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências (PPGEC) também pela FURG (2017). Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Métodos Quantitativos e Bibliometria e Cientometria. Atuando principalmente nos seguintes temas: educação, educação em ciências; extensão universitária, biblioteca escolar, biblioteca universitária, serviços e atividades curriculares complementares. Dentro dos estudos sobre Produção do Conhecimento tem experiência em Comunicação e Produção Científica.

Angélica Conceição Dias Miranda, Universidade Federal do Rio Grande, FURG.

Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento em 2010, mestrado em Engenharia de Produção em 2003, ambos pela Universidade Federal de Santa Catarina. Pós-doutorado em Educação em Ciências : química da vida e da Saúde, pela FURG. É professora associada, Dedicação Exclusiva - DE, na Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Professora permanente no Programa de Pós-Graduação em Administração (orientação de mestrado) e no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde

Referências

APPOLINÁRIO, F. Metodologia da ciência: filosofia e prática da pesquisa. 2. ed., São Paulo: Cengage Learning, 2012.

BANDEIRA, Pablo Matias; FREIRE, Isa Maria. Movimento de Acesso Aberto no Brasil: contribuição do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia a partir da implementação do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas. Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e Biblioteconomia, v. 12, n. 1, 2017. Disponível em: Acesso em 08 jun. 2018.

BERTERO, C. O. Caldas, M. P., & Wood Jr., T. (2005). Introdução: produção científica em administração no Brasil. In C. O. Bertero, M. P. Caldas, &T.Wood Jr., Produção científica em administração no Brasil: O estado da arte. São Paulo: Atlas.

BOURDIEU, P. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: UNESP, 2004. BUENO, W. C. Comunicação científica e divulgação científica: aproximações e rupturas conceituais. Informação & Informação, v.15, n.esp., p.1 -12, 2010.

COELI, Cláudia Medina; LIMA, Luciana Dias de; CARVALHO, Marilia Sá. Hipercompetitividade e integridade em pesquisa. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 34, n. 1, 2018 . Disponível em: . Acesso em:01 Nov. 2018.

CAPURRO, R.; HJØRLAND, B. O conceito de informação. Perspectivas em Ciência da Informação. Belo Horizonte: v. 12, n. 1, p. 148-207, jan/abr 2007.

CORRÊA, Tatiane Priscila Pinto; MIRANDA, Angélica Conceição Dias.Critérios de qualidade em revistas científicas deAcesso aberto em educação da região sul do Brasil.REBECIN, v.3, n.2, p.51-66, jul./dez. 2016. Disponívelem:. Acesso em: 18 jun. 2018.

CORRÊA, Tatiane Priscila Pinto et al. Usabilidade da seção de avaliação do sistema eletrônico de editoração de revistas através da opinião dos avaliadores do portal de periódicos científicos da furg.Revista ABC: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 17, n.1, p. 217 - 18, 2012. Disponível em:Acesso em:15 maio. 2018.

COSTA, M.P. ; LEITE,F.C.L. Repositórios institucionais da América Latina e o acesso aberto à informação científica. Brasília: IBICT, 2017.

FACHIN, G R. B. Modelo de avaliação para periódicos científicos on-line: proposta de indicadores bibliográficos e telemáticos. 2002. 210 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível em : 04 jun. 2018.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002. 175p. IBICT, Instituto Brasileiro de Informação Científica e Tecnológica. OJS em uma hora: uma introdução ao Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas SEER/OJS versão 2.1.1. Trad. por Ramón Martins Sodoma da Fonseca. Brasília: IBICT, 2006. 144 p. Disponível em: . Acesso em: 06 set. 2018.

MEADOWS, Arthur Jack. A Comunicação Científica. Brasília: Briquet de Lemos, 1999. MEDEIROS, Jackson da Silva. Abordagem bourdieusiana para uma análise de campo: um enfoque para a comunicação científica e o acesso aberto. Em Questão Porto Alegre. vol. 23, n. 2 (maio/ago. 2017), p. 98-119. Disponível em: Acesso em: jun. 2018.

MESSIAS, L. C. S. Informação: um estudo exploratório do conceito em periódicos científicos brasileiros da área de Ciência da Informação. UNESP. Marília, 2005. Disponível em:.Acesso em: 13 abril. 2018.

MEADOWS, Arthur Jack. A Comunicação Científica. Brasília: Briquet de Lemos, 1999. PASCUTTI, Pedro G.Entendendo o Qualis Periódicos CAPES. ABEC – Campinas, 2016. Disponívelem:. Acesso em: 16 jun. 2018.

PIMENTA, Ricardo. Os novos espaços de comunicação e memória. Ensaio, 2016. Disponível em: . Acesso em: 20 out.2018.

PINHEIRO, Lena Vania Ribeiro; BRASCHER, Marisa; BURNIER, Sonia. Ciência da Informação: 32 anos (1972-2004) no caminho da história e horizontes de um periódicocientífico brasileiro. Ciência da Informação, v. 34, n. 3, 2005. Disponível em: Acesso em: 14 jun. 2018.

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Associação Pró-Ensino Superior em Novo Hamburgo; Universidade Feevale, 2013. Disponível em: .Acessoem: 12 maio.2018.

PKP PUBLIC KNOWLEDGE PROJECT. . Open JournalSytem. 2008. Disponível em: . Acesso em: 10 Ago.2018. SARACEVIC, Tefko. Tecnologia da informação, sistemas de informação e informação como utilidade pública. Ciência da Informação, [S.l.], v. 3, n. 1, june 1974. Disponível em: . Acesso em: 12 maio. 2018.

TARGINO, Maria das Graças; TORRES, Názia Holanda. Comunicação Científica Além da Ciência. Ação Midiática – Estudos em Comunicação, Sociedade e Cultura., [S.l.], jul. 2014. ISSN 2238-0701. Disponível em: . Acesso em: 17 jun. 2018.

Downloads

Publicado

2020-09-15

Como Citar

Prestes, J. R., Firme, S. M., & Miranda, A. C. D. (2020). REVISTAS CIENTÍFICAS DA BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: uma análise dos plugins Open Journal System (OJS) e Critérios SciELO. BIBLOS, 34(1), 145–160. https://doi.org/10.14295/biblos.v34i1.11318

Edição

Seção

Artigos