COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA: análise bibliométrica sobre a esquistossomose (1940-1949)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/biblos.v34i1.11102

Palavras-chave:

omunicação científica, Análise bibliométrica, Esquistossomose.

Resumo

Esta pesquisa teve como objetivo realizar um levantamento bibliográfico sobre a esquistossomose, em relação ao período de 1940 a 1949, em que se concentrou a maior produção de trabalhos, desde a descoberta da doença, no território nacional, até o aumento da contaminação da população por essa verminose. Para atingir esse objetivo, foi desenvolvida uma pesquisa descritiva, de abordagem qualiquantitativa, de natureza documental. O corpus de análise foi de 186 artigos de periódicos nacionais. Constatou-se que o Instituto Oswaldo Cruz teve um papel preponderante no desenvolvimento de pesquisas e expedições científicas voltadas para combater essa endemia e no desenvolvimento de uma ciência experimental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Claudia de Araújo Santos, Universidade Federal de Pernambuco Departamento de Antropologia e Museologia

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, da Universidade Federal da Paraíba. Mestra em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Pernambuco, UFPE (2014). Possui graduação em Museologia pela Universidade Federal da Bahia, UFBA (2009). Foi professora substituta de Museologia do curso de Bacharelado em Museologia da UFPE, no período de 2011 a 2012.1, atualmente é Museóloga da mesma instituição e vice-coordenadora do Laboratório de Expografia - Expolab, do Curso de Bacharelado em Museologia da UFPE. Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em História, da Universidade Católica de Pernambuco, UNICAP. Atua na área de organização, documentação e conservação de acervos fotográfico e museológico.

  

Edvaldo Carvalho Alves, Universidade Federal da Paraíba Departamento de Ciência da Informação

Possui Graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Paraíba (2000), Mestrado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos (2002) e Doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos (2007). Atualmente é Professor Associado do Departamento de Ciência da Informação - DCI/ UFPB e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação - PPGCI/UFPB. Tem experiência na área de Sociologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Sociologia e Economia Política da Informação, Metodologia da Pesquisa, Mediação, Acesso, Uso e Impactos da informação.

 

Referências

BALANCIERI, R. Análise de redes de pesquisa em uma plataforma de gestão em ciência e tecnologia: uma aplicação à plataforma Lattes. 2004. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, 2004. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/87468/224645.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 31 jan. 2020.

BARRETO, J. B. A saúde pública no Brasil: panorama das atividades empreendidas pelo Departamento Nacional de Saúde. Boletín de La Oficina Sanitaria Panamericana, Washington, ano 25, n. 6, jun. 1946, p. 481-511. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000200002. Acesso em: 10 set. 2019.

CARIBÉ, R.C.V. Comunicação científica: reflexões sobre o conceito. Informação & Sociedade. João Pessoa, v. 25, n.3, p. 89-104, set./dez. 2015. Disponível em: http://www.periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/ies/article/view/23109. Acesso em: 10 mar. 2019.

CARVALHO, G. A saúde pública no Brasil. Estudos Avançados: São Paulo, v. 27, n.78, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000200002. Acesso em: 12 jan. 2020.

CARVALHO, O. S.; JANNOTTI PASSOS, L. K.; KATZ, N. A Bibliografia Brasileira de Esquistossomose. Belo Horizonte: CPqRR, 2008. Disponível em: http://pide.cpqrr.fiocruz.br/.

CHIEFFI, P. P.; WALDMAN, E. A. Aspectos particulares do comportamento epidemiológico da esquistossomose mansônica no estado de São Paulo, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 4, n. 3, jul./set. 1988. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X1988000300002. Acesso em: 20 set. 2018.

COURA, J. R.; FERREIRA, L. F.; PARAENSE, W. L. Centenário do Instituto Oswaldo Cruz: 1900-2000. Rio de Janeiro: IOC, 2000. Disponível em: http://www.fiocruz.br/ioc/media/centenario_IOC_livro.pdf. Acesso em: 31 jan. 2020.

DROESCHER, F. D.; SILVA, E. L. O pesquisador e a produção científica. Perspectivas em Ciência da Informação, Minas Gerais, v.19, n.1, p.10-189, jan./mar. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pci/v19n1/11.pdf. Acesso em: 26 jun. 2018.

GAMA, C. SÁ, J. M. Esquistossomose medular. Granulomas produzidos por ovos de Schistosoma mansoni comprimindo a medula, epicone, cone e cauda equina. Arquivos de Neuropsiquiatria, São Paulo, v. 3, n. 4, out./dec. 1945, p. 334-346. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0004-282X1945000400002&script=sci_arttext. Acesso em: 10 set. 2019.

MAY, T. Pesquisa Social: questões, métodos e processos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

MEADOWS, A. J. A comunicação científica. Brasília: Briquet de Lemos, 1999.

MINAYO, M. C.S. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. São Paulo: Petrópolis: Vozes, 2007.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Esquistossomose: causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção. Ministério da Saúde, 2017. Disponível em: http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/esquistossomose. Acesso em: 09 jun. 2018.

OLIVEIRA, E. B. M.; NORONHA, D. P. A comunicação científica e o meio digital. Informação e Sociedade, João Pessoa, v. 15, p. 1-12, 2005. Disponível em: http://www.periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/53/1523. Acesso em: 26 jun. 2018.

PRATA, A. Comemoração do centenário de descoberta do Schistosoma mansoni no Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical,

Brasília, v. 41, nov./dez, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86822008000600027. Acesso em: 9 de jun. 2018.

REIS, N. R. B.; Uma discussão acerca de fontes orais para a história da esquistossomose no Brasil. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 23, 2005, Londrina. Anais...Londrina: UEL, 2005.

RENOVATO, R. D.; BAGNATO, M. H. S. O serviço especial de saúde pública e suas ações de educação sanitária nas escolas primárias (1942-1960). Educar em Revista, Curitiba, n. especial 2, p. 277-290, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/nspe2/17.pdf. Acesso em: 12 jan. 2020.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 2014.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B. Metodologia de pesquisa. 3. ed. São Paulo: McGraw-Hill, 2006.

SILVA, F. M.; SANTOS, R. N. M. Artículos sobre el hipertexto que han aparecido en publicaciones periódicas brasileñas y extranjeras dedicadas a las ciencias de la información (1990/2002): un análisis bibliométrico. Ciencias de la Información, Costa Rica, v. 35, n. 2, p. 49-58, ago. 2004. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/res/download/66743. Acesso em: 26 jun. 2018.

SILVA, J. R. Fotografia e ciência: a utopia da imagem objetiva e seus usos nas ciências e na medicina. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi Ciências Humanas, Belém, v. 9, n. 2, p. 343-360, maio-ago. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/bgoeldi/v9n2/a06v9n2.pdf. Acesso em: 19 jun. 2018.

SILVA, V.G. O antropólogo e sua magia. São Paulo: Edusp, 2000.

SOUZA, V. P.; PIVA. T. C. A peste bubônica no Rio de Janeiro e o Instituto Soroterápico Federal. In: CONGRESSO SCIENTIARUM HISTÓRIA, 4., 2011, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: UFRJ 2011. http://www.hcte.ufrj.br/downloads/sh/sh4/trabalhos/Vagner%20Souza.pdf.

Acesso em: 20 set. 2018.

STREHL, L. O fator de impacto do ISI e a avaliação da produção científica: aspectos conceituais e metodológicos. Ciência da Informação, Brasília, v. 34, n. 1, p. 19-27, jan./abr. 2005. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1098/1214. Acesso em: 26 jun. 2018.

TARGINO, M. G. Comunicação científica: uma revisão de seus elementos básicos. Informação & Sociedade: João Pessoa, v. 10, n. 2, p. 37-85, 2000. Disponível em: Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/view/0000001182/6f78994cb4aa4e65990e1d764d794d5b. Acesso em: 10 mar. 2019.

VANZ, S. A. S.; STUMPF, I. R. C. Colaboração científica: revisão teórico-conceitual. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.15, n.2, p.42-55, maio/ago. 2010. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/1105/731. Acesso em: 31 jan. 2020.

ZARUR, G. C. L. A arena científica. Campinas: Editora Autores Associados, 1994.

ZIMAN. J. M. Conhecimento público. Belo Horizonte: Itatiaia, 1979.

Downloads

Publicado

2020-09-15

Como Citar

Santos, A. C. de A., & Alves, E. C. (2020). COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA: análise bibliométrica sobre a esquistossomose (1940-1949). BIBLOS, 34(1), 62–78. https://doi.org/10.14295/biblos.v34i1.11102

Edição

Seção

Artigos