A sutil arte de dizer adeus ou sobre a dificuldade de se viver e morrer com dignidade

Autores

  • Guilherme Wünsch Universidade do Vale do Rio dos Sinos- INISINOS-RS
  • Taysa Schiocchet Universidade do Vale do Rio dos Sinos- INISINOS-RS

DOI:

https://doi.org/10.14295/juris.v16i0.3424

Palavras-chave:

Morte. vida digna. Ortotanásia.

Resumo

O processo de morrer já não ocorre mais como antes. A morte deixou de ser algo natural, fruto dos progressos da saúde pública e medicina, que transformaram o modo de morrer nas sociedades modernas. Hoje, os últimos momentos são entregues ao médico e por ele acompanhados. Analisar-se-á a dificuldade do processo de morrer como conseqüência de uma vida a que não é dada sentido. Com base em uma metodologia interdisciplinar, que não vislumbre o direito em uma perspectiva meramente dogmática, visa-se refletir sobre a necessidade de marcos temporais de vida e morte no Direito e a ausência de sentido da vida como justificativa para o medo da morte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-03-24

Como Citar

Wünsch, G., & Schiocchet, T. (2013). A sutil arte de dizer adeus ou sobre a dificuldade de se viver e morrer com dignidade. JURIS - Revista Da Faculdade De Direito, 16, 117–142. https://doi.org/10.14295/juris.v16i0.3424

Edição

Seção

Artigos