ATIVIDADE ANTIMICOBACTERIANA DE EXTRATOS VEGETAIS FRENTE A <i>MYCOBACTERIUM FORTUITUM E MYCOBACTERIUM MALMOENSE</i>

Autores

  • Tesiê Leopoldo Fonseca
  • Andrea Von Groll
  • Suzana Guimarães Leitão
  • Gilda Guimarães Leitão
  • Carlos James Scaini
  • Daniela Fernandes Ramos
  • Pedro Eduardo Almeida da Silva

DOI:

https://doi.org/10.14295/vittalle.v20i1.948

Palavras-chave:

atividade antimicobacteriana, extratos vegetais, <i>Mycobacterium fortuitum</i>, , <i>Mycobacterium malmoenseantimycobacterial</i> activity, vegetable extracts, <i>Mycobacterium malmoense</i>.

Resumo

As micobactérias não-tuberculosas são espécies ambientais com crescente relevância clínica, por sua relação com diversos tipos de infecções. Geralmente, apresentam maior resistência intrínseca aos antimicobacterianos convencionais, impulsionando assim a busca de novas alternativas farmacológicas, como as obtidas de fontes naturais. Este estudo avaliou a atividade de clássicos antituberculosos, como estreptomicina (SMR), etambutol (EMB), isoniazida (INH) e rifampicina (RIF), bem como extratos vegetais oriundos da Mata Atlântica (Brasil) frente ao Mycobacterium fortuitum e Mycobacterium malmoense. Foram observadas as seguintes concentrações mínimas inibitórias (CMI) para o M. fortuitum: EMB = 16µg/mL; SMR = 4µg/mL; INH e RIF 1µg/mL; extrato bruto Plathymenia foliolosa = 200µg/mL. Já para o M. malmoense, as CMI encontradas foram: SMR = 4µg/mL; INH = 1µg/mL e RIF = 0,25µg/mL. O EMB não inibiu o crescimento bacteriano desta espécie. Os compostos naturais ativos contra o M. malmoense foram os extratos Siparuna arianeae, Cedrela fissilis e Peschiera affinis, que apresentaram CMI de 200µg/mL, enquanto a CMI de Ficus gomelleria foi de 100µg/mL.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tesiê Leopoldo Fonseca

Atualmente é Bioquímica da GRAM - Laboratório de Análises Clínicas, possui especialização em Análises Clínicas.

Mais informações: Currículo Lattes

Andrea Von Groll

Atualmente está realizando doutorado em Microbiologia, possui mestrado em Ciências Veterinárias pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS.

Mais informações: Currículo Lattes

Suzana Guimarães Leitão

Atualmente é Professora Associada da Universidade Federal do Rio de Janeiro,doutorado em Química de Produtos Naturais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ.

Mais informações: Currículo Lattes

Gilda Guimarães Leitão

Atualmente é professora associada da Universidade Federal do Rio de Janeiro, possui doutorado em Química de Produtos Naturais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ.

Mais informações: Currículo Lattes

Carlos James Scaini

Professor Adjunto IV da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), atua na graduação (Medicina, Enfermagem e Ciências Biológicas), Coordenador Substituto do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde (Mestrado) - FURG; Coordenador do Curso de Especialização em Agentes Infecto-Parasitários FURG e colaborador do Mestrado em Parasitologia - UFPel, possui doutorado em Biotecnologia pela Universidade Federal de Pelotas, UFPEL,

Mais informações: Currículo Lattes

Daniela Fernandes Ramos

Atualmente faz doutorado em Biotecnologia na Universidade Federal de Pelotas, possui mestrado em Ciências da Saude pelaUniversidade Federal do Rio Grande, FURG.

Mais informações: Currículo Lattes

Pedro Eduardo Almeida da Silva

Professor Adjunto IV da Universidade Federal do Rio Grande. Orientador de Mestrado e Doutorado, possui pós-doutorado pelo Instituto de Medicina Tropical da Antuerpia.

Mais informações: Currículo Lattes

Downloads

Publicado

2009-08-07

Como Citar

Fonseca, T. L., Von Groll, A., Leitão, S. G., Leitão, G. G., Scaini, C. J., Ramos, D. F., & Silva, P. E. A. da. (2009). ATIVIDADE ANTIMICOBACTERIANA DE EXTRATOS VEGETAIS FRENTE A &lt;i&gt;MYCOBACTERIUM FORTUITUM E MYCOBACTERIUM MALMOENSE&lt;/i&gt;. VITTALLE - Revista De Ciências Da Saúde, 20(1), 65–72. https://doi.org/10.14295/vittalle.v20i1.948

Edição

Seção

Artigos