Molécula de Injúria Renal 1 (KIM-1) no diagnóstico da lesão renal aguda

Autores

  • Taíse Winter Forest Universidade Federal de Santa Catarina
  • Dirleise Colle Universidade Federal de Santa Catarina http://orcid.org/0000-0003-2345-5297

DOI:

https://doi.org/10.14295/vittalle.v31i1.8372

Palavras-chave:

Lesão renal aguda, creatinina sérica, molécula de injúria renal 1 (KIM-1), performance clínica.

Resumo

A lesão renal aguda (LRA) é uma complicação de saúde caracterizada por uma diminuição na taxa de filtração glomerular em um curto período de tempo. Atualmente, o diagnóstico de LRA é baseado, principalmente, na dosagem da creatinina sérica, cuja principal limitação é o diagnóstico tardio. Tendo em vista isso, novos biomarcadores têm sido estudados para o diagnóstico da LRA e vêm apresentando resultados promissores, como é o caso da molécula de injúria renal 1 (KIM-1). O objetivo principal deste estudo foi realizar a revisão crítica atual da literatura sobre o papel da KIM-1 no diagnóstico precoce da LRA. Foi realizada uma busca nas bases de dados Medline e LILACS em publicações dos últimos dez anos. Foram considerados elegíveis estudos em inglês ou em português, nos quais KIM-1 foi dosada na urina como critério diagnóstico de LRA. Foram selecionados e analisados 17 estudos. A concentração urinária de KIM-1 aumentou em um curto período de tempo em pacientes com LRA associada a diversas condições clínicas primárias, apresentado, no geral, boa performance clínica com áreas sob a curva de características operacionais do receptor (AUC-ROC) de 0,57 a 1,0. Os dados avaliados nesta revisão indicam que a KIM-1 urinária apresenta potencial como biomarcador precoce de LRA. Entretanto, estudos futuros são necessários para validar a performance clínica desse biomarcador e, além disso, como não existe um marcador urinário ideal para diagnóstico precoce de LRA, estudos que avaliam a associação de diferentes biomarcadores são importantes no intuito de melhorar a performance diagnóstica dos mesmos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Taíse Winter Forest, Universidade Federal de Santa Catarina

Departamento de Análises Clínicas, Centro de Ciências da Saúde

Dirleise Colle, Universidade Federal de Santa Catarina

Departamento de Análises Clínicas, Centro de Ciências da Saúde

Downloads

Publicado

2019-08-01

Como Citar

Forest, T. W., & Colle, D. (2019). Molécula de Injúria Renal 1 (KIM-1) no diagnóstico da lesão renal aguda. VITTALLE - Revista De Ciências Da Saúde, 31(1), 74–83. https://doi.org/10.14295/vittalle.v31i1.8372

Edição

Seção

Revisão