A infecção pelo gênero Plasmodium: epidemiologia, profilaxia e controle no Brasil

Andreia Patrícia Gomes, Rodrigo Roger Vitorino, Thainara Aparecida Mendes, Sandra de Oliveira Pereira, Paulo Sérgio Balbino Miguel, Luciene Muniz Braga, Tiago Ricardo Moreira, Luiz Alberto Santana

Resumo


A malária, doença provocada por espécies de protozoários do gênero Plasmodium, é a parasitose de maior relevância no mundo. No Brasil, há uma maior incidência de infecções provocadas pelo Plasmodium vivax, destacando-se que a enfermidade por Plasmodium falciparum é classicamente a mais grave. A abordagem da malária – em termos individuais e de saúde pública – depende de um conhecimento dos principais aspectos da moléstia. Diante disso, realizou-se uma revisão da literatura com o objetivo de apresentar os aspectos epidemiológicos, profiláticos e de controle da malária no Brasil. A revisão contemplou consulta à PubMed (U. S. National Library of Medicine), SciELO (Scientific Eletronic Library Online) e Lilacs (Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde). Os resultados mostraram que a malária é um importante problema de saúde pública e uma das principais causas de morte por doenças infecciosas, resultando em mais de 300 milhões de casos e cerca de um milhão de óbitos por ano. No Brasil, a ocorrência de malária é concentrada na área da Amazônia Legal, compreendendo os seguintes estados: Acre, Amazonas, Amapá, Rondônia, Roraima, Pará,Tocantins, Maranhão e Mato Grosso. A despeito dos avanços no tratamento da malária, destaca-se a grande relevância das ações de profilaxia e de controle da doença, as quais têm repercussões – positivas – em termos individuais e coletivos

Palavras-chave


Malária; Epidemiologia; Prevenção e controle.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/vittalle.v30i2.7472

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ