A infecção pelo gênero Plasmodium: epidemiologia, profilaxia e controle no Brasil

Autores

  • Andreia Patrícia Gomes Universidade Federal de Viçosa
  • Rodrigo Roger Vitorino Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO)
  • Thainara Aparecida Mendes Universidade Federal de Viçosa
  • Sandra de Oliveira Pereira Universidade Federal de Viçosa
  • Paulo Sérgio Balbino Miguel Universidade Federal de Viçosa
  • Luciene Muniz Braga Universidade Federal de Viçosa
  • Tiago Ricardo Moreira Universidade Federal de Viçosa
  • Luiz Alberto Santana Universidade Federal de Viçosa

DOI:

https://doi.org/10.14295/vittalle.v30i2.7472

Palavras-chave:

Malária, Epidemiologia, Prevenção e controle.

Resumo

A malária, doença provocada por espécies de protozoários do gênero Plasmodium, é a parasitose de maior relevância no mundo. No Brasil, há uma maior incidência de infecções provocadas pelo Plasmodium vivax, destacando-se que a enfermidade por Plasmodium falciparum é classicamente a mais grave. A abordagem da malária – em termos individuais e de saúde pública – depende de um conhecimento dos principais aspectos da moléstia. Diante disso, realizou-se uma revisão da literatura com o objetivo de apresentar os aspectos epidemiológicos, profiláticos e de controle da malária no Brasil. A revisão contemplou consulta à PubMed (U. S. National Library of Medicine), SciELO (Scientific Eletronic Library Online) e Lilacs (Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde). Os resultados mostraram que a malária é um importante problema de saúde pública e uma das principais causas de morte por doenças infecciosas, resultando em mais de 300 milhões de casos e cerca de um milhão de óbitos por ano. No Brasil, a ocorrência de malária é concentrada na área da Amazônia Legal, compreendendo os seguintes estados: Acre, Amazonas, Amapá, Rondônia, Roraima, Pará,Tocantins, Maranhão e Mato Grosso. A despeito dos avanços no tratamento da malária, destaca-se a grande relevância das ações de profilaxia e de controle da doença, as quais têm repercussões – positivas – em termos individuais e coletivos

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andreia Patrícia Gomes, Universidade Federal de Viçosa

Professora Adjunto do Departamento de Medicina e Enfermagem da Universidade Federal de Viçosa - UFV – Viçosa /MG. Doutora em Ciências pela Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ).

Rodrigo Roger Vitorino, Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO)

Diplomado em Medicina, Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO).

Thainara Aparecida Mendes, Universidade Federal de Viçosa

Acadêmica de Medicina pela Universidade Federal de Viçosa - UFV – Viçosa /MG.

Sandra de Oliveira Pereira, Universidade Federal de Viçosa

Pesquisador Assistente do Laboratório de Agentes Patogênicos, Departamento de Medicina e Enfermagem, Mestre em Economia Doméstica - UFV – Viçosa /MG.

Paulo Sérgio Balbino Miguel, Universidade Federal de Viçosa

Pesquisador Assistente do Laboratório de Agentes Patogênicos, Departamento de Medicina e Enfermagem, Doutor em Microbiologia - UFV – Viçosa /MG.

Luciene Muniz Braga, Universidade Federal de Viçosa

Professora Assistente do Departamento de Medicina e Enfermagem, Universidade Federal de Viçosa - UFV – Viçosa /MG. Enfermeira Especialista em Controle de Infecção Hospitalar. Mestre em Ciências da Saúde, Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (IPSEMG).

Tiago Ricardo Moreira, Universidade Federal de Viçosa

Professor Assistente do Departamento de Medicina e Enfermagem, Universidade Federal de Viçosa - UFV – Viçosa /MG. Doutor em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Luiz Alberto Santana, Universidade Federal de Viçosa

Professor adjunto do Departamento de Medicina e Enfermagem da Universidade Federal de Viçosa - UFV – Viçosa /MG. Doutor em Infectologia e Medicina Tropical pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Downloads

Publicado

2018-09-27

Como Citar

Gomes, A. P., Vitorino, R. R., Mendes, T. A., Pereira, S. de O., Miguel, P. S. B., Braga, L. M., Moreira, T. R., & Santana, L. A. (2018). A infecção pelo gênero Plasmodium: epidemiologia, profilaxia e controle no Brasil. VITTALLE - Revista De Ciências Da Saúde, 30(2), 47–58. https://doi.org/10.14295/vittalle.v30i2.7472

Edição

Seção

Revisão