Conhecimento, uso e aceitação de acadêmicos de medicina sobre as práticas integrativas e complementares

Angélica Garcia Couto, Mara Cristina Binz, Alan de Jesus Pires de Moraes, Bruno de Luca Serpa Caetano, Celso Castelan da Cunha

Resumo


No Brasil, a divulgação sobre as Práticas Integrativas e Complementares (PICs) em saúde ganhou impulso na sociedade, após a sua legitimação no Sistema Único de Saúde (SUS). Entretanto, muitas destas terapias têm encontrado resistência em sua aceitação e uso, tanto no meio acadêmico-científico, quanto por parte dos profissionais e gestores de saúde. Entre as razões, destaca-se a falta de capacitação, na fase de formação acadêmica do profissional. Desta forma, este trabalho tem como objetivo avaliar o conhecimento, o uso e a aceitação dos acadêmicos do curso de Medicina numa Universidade do Alto Vale do Itajaí sobre as PICs. Trata-se de um estudo transversal, utilizando-se de uma pesquisa estruturada na a forma de um questionário autoaplicável composto por 07 questões objetivas. O conhecimento dos alunos frente a oferta das PICs pelo SUS foi notoriamente baixo, apesar da maioria referir a sua aceitação tanto como usuário, como da sua possível indicação como futuro profissional médico. Apenas 24% dos acadêmicos sabiam que as práticas integrativas são oferecidas no SUS. Estes resultados apontam para a necessidade de fortalecer as bases de formação do profissional para atuação no SUS, com a visão ampliada contemplando todas as possibilidades terapêuticas, às quais o usuário tem direito.

Palavras-chave


Práticas Integrativas e Complementares; Sistema Único de Saúde; Conhecimento; Acadêmicos de medicina

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/vittalle.v30i1.7448

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ