Avaliação da toxicidade aguda da microalga Pediastrum boryanum

Autores

  • Alexandre Ferraz Fonseca Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde
  • Ana Luiza Muccillo-Baisch Universidade Federal do Rio Grande
  • Marilia Garcez Correa da Silva Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde
  • Michelle Maidana da Silva Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde
  • Danilo Giroldo Programa de Pós-Graduação em Biologia dos Ambientes Aquáticos e Costeiros
  • Kríssia Aparecida De Almeida Programa de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas
  • Ronan Adler Tavella
  • Flávio Manoel Rodrigues Da Silva Júnior Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde
  • Cristiana Lima Dora Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde

Palavras-chave:

Pediastrum boryanum, toxicidade aguda oral, biomassa, microalga.

Resumo

As microalgas são um conjunto de seres unicelulares com potencial biotecnológico sendo explorado em diversas áreas para obtenção de produtos alimentares, farmacêuticos entre outros. Os estudos de toxicidade de um novo produto são essenciais para determinar a viabilidade de lançamento deste no mercado, e uma exigência cada vez mais rigorosa pelas agências regulatórias. Pediastrum boryanum é uma microalga de ampla distribuição mundial, mas com poucos dados na literatura sobre sua aplicabilidade e toxicidade. A pesquisa foi conduzida utilizando-se a biomassa microalgal (BM) liofilizada de P. boryanum, obtida de cultura do Laboratório de Microalgas do Instituto de Ciências Biológicas da FURG, e utilizando-se de camundongos como modelo experimental para a avaliação. Estes estudos de toxicidade foram baseados no protocolo da Organização para a Cooperação Econômica e Desenvolvimento (OECD – Protocolo 423). Os animais receberam uma única dose de suspensão de BM por gavagem, sendo um grupo com 300 mg/Kg, um com 2000 mg/Kg e o grupo controle recebendo suspensão branca. Durante 14 dias após a administração os animais foram observados para sinais de toxicidade e mortalidade, e avaliados os parâmetros comportamentais 4 dias antes da administração da BM e 3 dias após. Ao término do experimento, foram coletados sangue, fígado e fêmur para análises bioquímica e hematológica, peroxidação lipídica, citotoxicidade e mutagenicidade, O estômago, intestino delgado fígado e rins foram separados para análise histológica. O achado da pesquisa, dentro dos critérios estabelecidos pela OECD, classifica a BM de P. boryanum como “Toxicidade Mínima ou Segura” (Categoria 5).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Luiza Muccillo-Baisch, Universidade Federal do Rio Grande

Instituto de Ciências Biológicas Farmacologia

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2016-12-23

Como Citar

Fonseca, A. F., Muccillo-Baisch, A. L., Correa da Silva, M. G., da Silva, M. M., Giroldo, D., De Almeida, K. A., Tavella, R. A., Da Silva Júnior, F. M. R., & Dora, C. L. (2016). Avaliação da toxicidade aguda da microalga Pediastrum boryanum. VITTALLE - Revista De Ciências Da Saúde, 28(1), 90–101. Recuperado de https://periodicos.furg.br/vittalle/article/view/6200

Edição

Seção

Artigos