Probucol e Succinobucol apresentam efeitos hipolipemiantes e antioxidantes similares: um estudo subagudo/subcrônico em camundongos

Autores

  • Danubia Bonfanti dos Santos Universidade Federal de Santa Catarina
  • Carolini Rossa Departamento de Bioquímica/ Universidade Federal de Santa Catarina
  • Dirleise Colle Departamento de Bioquímica/ Universidade Federal de Santa Catarina
  • Marcelo Godoi Universidade Federal do Rio Grande
  • Alessandra Antunes dos Santos Departamento de Bioquímica/ Universidade Federal de Santa Catarina
  • Luciana Teixeira Zimmermann Departamento de Bioquímica/ Universidade Federal de Santa Catarina
  • Mariana Appel Hort Universidade Federal do Rio Grande
  • Antônio Luiz Braga Departamento de Química/Universidade Federal de Santa Catarina
  • Marcelo Farina Departamento de Bioquímica/Universidade Federal de Santa Catarina

Palavras-chave:

Estresse Oxidativo, Hipercolesterolemia, Probucol, Succinobucol

Resumo

O probucol e seu monossuccinato, succinobucol, são compostos hipocolesterolemiantes com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias que tem demonstrado resultados promissores em ensaios clínicos de fase III. Evidências têm relatado certas vantagens do succinobucol em relação ao probucol, no que se refere à ausência de efeitos adversos no sistema cardiovascular, tais como o prolongamento da repolarização cardíaca e os riscos de arritmias (observado em humanos tratados com probucol). O objetivo deste estudo foi investigar os efeitos de tratamentos subagudos e crônicos com probucol e Succinobucol em parâmetros bioquímicos (principalmente os níveis de lipídeos plasmáticos) em camundongos, e comparar suas atividades antioxidantes in vitro. Os animais foram tratados com probucol ou succinobucol (10 mg/kg/dia, por via oral) uma vez ao dia, durante 15 (tratamento subagudo) ou 30 dias (tratamento subcrônico). O tratamento subcrônico com os 2 compostos diminuiu significativamente os níveis de colesterol total plasmático. Ambos os tratamentos diminuíram o risco de aterosclerose e aumentaram os níveis de colesterol não HDL e não demonstraram sinais de hepato ou nefrotoxicidade. A atividade sequestradora de radicais livres dos dois compostos (avaliada através do ensaio do DPPH in vitro) não foram significativamente diferentes, sendo similar à do ácido ascórbico. Em conclusão, ambos os compostos, probucol e succinobucol, representam uma importante escolha para futuras aplicações terapêuticas em condições patológicas relacionadas à hipercolesterolemia e estresse oxidativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-12-23

Como Citar

dos Santos, D. B., Rossa, C., Colle, D., Godoi, M., dos Santos, A. A., Zimmermann, L. T., Hort, M. A., Braga, A. L., & Farina, M. (2016). Probucol e Succinobucol apresentam efeitos hipolipemiantes e antioxidantes similares: um estudo subagudo/subcrônico em camundongos. VITTALLE - Revista De Ciências Da Saúde, 28(1), 75–83. Recuperado de https://periodicos.furg.br/vittalle/article/view/6159

Edição

Seção

Artigos