INFECÇÃO URINÁRIA SINTOMÁTICA NA GESTAÇÃO E SUA ASSOCIAÇÃO COM DESFECHOS NEONATAIS E MATERNOS DESFAVORÁVEIS

Arnildo Agostinho Hackenhaar, Elaine Pinto Albernaz, Elaine Tomasi

Resumo


O tratamento da bacteriúria assintomática na gravidez reduz a incidência de baixo peso ao nascer, mas não a da prematuridade. O objetivo deste estudo foi verificar se a ocorrência da infecção do trato urinário sintomática (ITUS) na gestação está associada com desfechos neonatais e doenças maternas. Foi realizada uma revisão da literatura nos bancos de dados MEDLINE e Periódicos da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) com os descritores: infecção urinária, gestação e sinais e sintomas. Foram encontrados cinco artigos que abordavam a ITUS com desfechos neonatais e maternos. Os riscos neonatais apresentados em cada estudo foram verificados. Como desfecho secundário, identificaram-se as doenças maternas. Após ajuste para fatores de confusão, quatro dos cinco estudos mostraram associação entre a ITUS com prematuridade. Quatro avaliaram baixo peso ao nascer e restrição de crescimento intrauterino, sendo que dois encontraram associação com ITUS após ajuste. As doenças maternas associadas com ITUS foram hipertensão, anemia, infecção do trato genital, ameaça de trabalho de parto prematuro e ruptura prematura das membranas. Em artigos sobre ITUS na gestação, foi encontrado risco para prematuridade, baixo peso ao nascer e restrição de crescimento intrauterino. Esse dado deve ser visto com ressalvas, pois quatro artigos não realizaram ajuste para fatores econômicos.

Palavras-chave


Sistema urinário; Infecção; Sinais e sintomas; Gravidez

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ