Condições sociais e clínicas associadas à promoção de saúde em pacientes com fissuras labiopalatais atendidos em um centro de referência

Autores

  • Sarah Lindsen Souza Corsini Faculdade de Medicina, Universidade José do Rosário Vellano – UNIFENAS – Alfenas – Minas Gerais (MG) – Brasil
  • Larissa Fátima Carvalho Faculdade de Medicina, Universidade José do Rosário Vellano – UNIFENAS – Alfenas – Minas Gerais (MG) – Brasil
  • Lorena Carvalho Araújo Faculdade de Medicina, Universidade José do Rosário Vellano – UNIFENAS – Alfenas – Minas Gerais (MG) – Brasil
  • Karolinne Becker Moreira Faculdade de Medicina, Universidade José do Rosário Vellano – UNIFENAS – Alfenas – Minas Gerais (MG) – Brasil
  • Alessandra dos Santos Danziger Silvério Faculdade de Medicina, Universidade José do Rosário Vellano – UNIFENAS – Alfenas – Minas Gerais (MG) – Brasil
  • Gérsika Bitencourt Santos Faculdade de Medicina, Universidade José do Rosário Vellano – UNIFENAS – Alfenas – Minas Gerais (MG) – Brasil
  • Cláudio Daniel Cerdeira Departamento de Bioquímica (DBq), Instituto de Ciências Biomédicas (ICB), Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG) – Alfenas ¬– MG – Brasil https://orcid.org/0000-0002-7242-8028
  • Asafe Costa Lopes ICB, UNIFAL-MG ¬– Alfenas ¬– MG ¬– Brasil

DOI:

https://doi.org/10.14295/vittalle.v32i3.11422

Palavras-chave:

Fissuras Labiopalatais, promoção de saúde, fatores de risco

Resumo

Analisou-se através de prontuários e questionários semiestruturados os fatores sociodemográficos e clínicos que interferem na promoção de saúde de pacientes com fissuras labiopalatais (FLP), atendidos em um centro de referência no Sul de Minas Gerais, Brasil, entre 2016 e 2017. Entre os 202 pacientes, com idade de 1 a 10 anos, houve predominância do sexo masculino (62,38%), declarados leucoderma (82,67%) e pertencente a classe socioeconômica C (67,32%). O grupo sanguíneo O positivo foi o mais frequente. Quanto ao tipo de FLP, as pós-forame incompleto, pré-forame incompleto e transforame completa esquerda foram as mais comuns, e os tratamentos cirúrgicos mais frequentes foram a queiloplastia e a palatoplastia. Acompanhamento com fonoaudiólogo foi relatado pela maioria dos entrevistados. Quanto aos familiares, 70,8% das mães fizeram suplementação com ácido fólico durante a gestação e, 55,44% dos pacientes com FLP tiveram peso ao nascimento entre 3.000 e 4.000 gramas. Por outro lado, foi relatado em considerável frequência (30,7%) um histórico de familiares com alguma alteração craniofacial congênita, além de exposição ocupacional a teratógenos por uma parcela das mães. Quanto as comorbidades, as doenças respiratórias, alergias e anemia ocorreram em maior frequência. A frequência de pacientes com histórico familiar para alterações congênitas, associados à uma exposição ocupacional das mães, bem como as classes econômicas menos favorecidas sendo as mais suscetíveis à doença, são fatores que reforçam a plausível etiologia multifatorial das FLP. Ainda, fatores sociais e clínicos interferem na promoção de saúde dos pacientes com FLP. 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-12-22

Como Citar

Corsini, S. L. S., Carvalho, L. F., Araújo, L. C., Moreira, K. B., Danziger Silvério, A. dos S., Bitencourt Santos, G., Cerdeira, C. D., & Costa Lopes, A. (2020). Condições sociais e clínicas associadas à promoção de saúde em pacientes com fissuras labiopalatais atendidos em um centro de referência . VITTALLE - Revista De Ciências Da Saúde, 32(3), 56–64. https://doi.org/10.14295/vittalle.v32i3.11422

Edição

Seção

Pesquisa