<b>Liderança,Mito e Identificação: faces do controle afetivo nas organizações de trabalho<\b>

Autores

  • Elaine Cristina Schimitt Ragnini
  • Anne Pinheiro Leal

Palavras-chave:

Controle, liderança, mito, psicanálise

Resumo

O presente trabalho versa sobre a lógica e a prática do controle afetivo em duas organizações multinacionais a partir de processos de identificação com um líder e com um mito. O controle social e psíquico é de fundamental importância para que as organizações atinjam seus objetivos e se mantenham sobreviventes num mercado de competitividade acirrada. Assim, essa prática tem sofrido constantes aprimoramentos, culminando no controle de comportamentos e pensamentos a partir do engajamento afetivo. A identificação é um processo psíquico e subjetivo, portanto de difícil percepção, mas de efetivo controle. Para a consecução da análise proposta, foi realizada uma pesquisa de campo descritivo-qualitativa de corte transversal em duas organizações multinacionais: uma da indústria de metalurgia, com forte presença do mito-fundador como elemento identificatório, e outra de logística, na qual pode-se observar uma forte vinculação dos indivíduos com a organização através da figura do seu diretor-presidente, um líder bastante efetivo. No cerne conclusivo, intenta-se que o fascínio amoroso e a identificação com as figuras do líder e do mito caracterizam uma relação de controle e poder que canaliza a energia libidinal para fins produtivos e bem servem aos desígnios das organizações capitalistas contemporâneas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-03-30

Como Citar

Schimitt Ragnini, E. C., & Pinheiro Leal, A. (2012). &lt;b&gt;Liderança,Mito e Identificação: faces do controle afetivo nas organizações de trabalho&lt;\b&gt;. SINERGIA - Revista Do Instituto De Ciências Econômicas, Administrativas E Contábeis, 14(2), 23–38. Recuperado de https://periodicos.furg.br/sinergia/article/view/2508

Edição

Seção

Artigos