<b>Racionalidade Econômica e Relações Sociais em uma rede de pequenos varejos<\b>

Autores

  • Márcio André Leal Bauer
  • Larissa Brandelli Bucco

Palavras-chave:

redes, organizações, racionalidade formal, relações sociais

Resumo

A abordagem dominante no estudo das redes de organizações tem privilegiado os elementos estruturais, tanto na vertente econômica quanto na sociológica. Os aspectos relacionais têm sido considerados ou de forma tangencial, ou como empecilhos à eficiência no desempenho dos arranjos. Conflitos internos têm sido tratados como ruídos ou como disfunções que devem ser combatidas através de uma estrutura de “governança”. Ou seja, buscando “ver” a rede como uma forma estrutural – ou um mecanismo – tem-se deixado de ver aspectos importantes e fundamentais para a vida social e organizacional. Na análise teórico-empírica realizada no presente estudo, assume-se o desafio de tentar compreender as redes em movimento. Toma-se como referência uma pesquisa empírica em uma rede de pequenos varejos familiares do Rio Grande do Sul. Analisa-se o significado das transformações ocorridas a partir da adesão a esta rede – as razões de ingresso e permanência; as resistências explícitas e implícitas; enfim, as consequências da inserção de um empreendimento familiar na dinâmica da competição capitalista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcio André Leal Bauer

Mestrado em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2004). É professor assistente da Universidade Federal do Rio Grande.

Mais informações: Currículo Lattes

Downloads

Publicado

2012-03-30

Como Citar

Bauer, M. A. L., & Brandelli Bucco, L. (2012). &lt;b&gt;Racionalidade Econômica e Relações Sociais em uma rede de pequenos varejos&lt;\b&gt;. SINERGIA - Revista Do Instituto De Ciências Econômicas, Administrativas E Contábeis, 14(2), 39–50. Recuperado de https://periodicos.furg.br/sinergia/article/view/2507

Edição

Seção

Artigos