Educação Ambiental como instrumento de mitigação de impactos ambientais: experiências com Programas de Educação Ambiental (PEA’s) desenvolvidos para linhas de transmissão de energia elétrica<br>Environmental education as an instrument to mitigate environmental impacts: experiences with Environmental Education Programs (EEP’s) developed for electric power transmission lines<br>Educación Ambiental como instrumento de mitigación de impactos ambientales: experiencias con Programas de Educación Ambiental (PEA's) desarrollados para Líneas de Transmisión de energía eléctrica

Autores

  • Frederico Tavares Amaro Universidade Federal de Uberlândia (UFU) https://orcid.org/0000-0002-8008-339X
  • Maria Beatriz Junqueira Bernardes Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

DOI:

https://doi.org/10.14295/remea.v35i3.8156

Palavras-chave:

Programas de Educação Ambiental, Licenciamento ambiental, Trabalho de campo.

Resumo

Este estudo visa apresentar como a educação ambiental tem sido utilizada como um recurso de grande importância na área de consultoria e assessoria ambiental, voltado a mitigação de impactos ambientais gerados por empreendimentos do setor energético. Primeiramente, neste estudo foi realizada uma contextualização acerca do processo de licenciamento ambiental vigente no Brasil, bem como das primeiras legislações ambientais responsáveis por regularizar a utilização dos recursos naturais disponíveis no país. O artigo também apresenta um relato de um dos trabalhos de campo desenvolvidos, junto a uma empresa de consultoria ambiental, para um grupo concessor de energia elétrica por linhas de transmissão de alta tensão, trazendo as metodologias utilizadas e atividades realizadas, em uma das campanhas dos Programa de Educação Ambiental (PEA) desenvolvidos. This study aims to present how the environmental education is been used as a resource of great importance in the area of environmental consulting and assessment, aimed to mitigate environmental impacts generated by enterprises of power sector. Firstly, in this study, was made a contextualization about the environmental licensing process in Brazil, as well as the first environmental legislations responsible for regulating the use of natural resources available in the country. The article also presents a report of one of the fieldwork developed with an environmental consulting company for a group of electric power concession for high voltage transmission lines, bringing the methodologies used and performed activities, in one campaign of the Environmental Education Programs (EEP) developed. Este estudio pretende presentar cómo la educación ambiental ha sido utilizada como un recurso de gran importancia en el área de consultoría y asesoría ambiental, orientado a la mitigación de los impactos ambientales generados por emprendimientos del sector energético. En primer lugar, en este estudio se realizó una contextualización acerca del proceso de licenciamiento ambiental vigente en Brasil, así como de las primeras legislaciones ambientales responsables por la regularización de la utilización de los recursos naturales disponibles en lo país. El artículo también presenta un relato de uno de los trabajos de campo desarrollados junto a una empresa de consultoría ambiental, para un grupo conceso de energía eléctrica por líneas de transmisión de alta tensión, trayendo las metodologías utilizadas y actividades realizadas, en una de las campañas de los Programas de Educación Ambiental desarrollados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Frederico Tavares Amaro, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Possui graduação em Geografia (Licenciatura e Bacharelado) pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Ao longo da graduação participou do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) desenvolvendo projetos na área de Educação Ambiental. Também realizou estágio na Prefeitura Municipal de Uberlândia elaborando projetos de sinalização para o município junto ao Núcleo de Planejamento Viário da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SETTRAN). Além disso, realizou estágio em uma empresa de consultoria e assesoria ambiental, pela qual foi contratado, e atuou desenvolvendo Estudos de Impacto Ambiental, com foco em diagnósticos socioambientais e Programas de Educação Ambiental. Atualmente atua como consultor autônomo e desenvolve projetos sustentáveis para pequenos e médios empreendimentos.

Maria Beatriz Junqueira Bernardes, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Possui graduação em Graduação em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (1990), mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (2001) e doutorado em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia (2007). Atualmente é professora associada 1 da Universidade Federal de Uberlândia, Instituto de Geografia, Atuando principalmente nos seguintes temas: educação ambiental e ensino de geografia. Faz parte do Programa de Pós-Graduação em Geografia (IG/UFU) e do Programa de Pós-Graduação em Geografia do Pontal (FACIP/UFU).

Referências

AB’SABER, A. N.; MÜLLER-PLANTENBERG, C. (Orgs.) Previsão de Impactos: O Estudo de Impacto Ambiental no Leste, Oeste e Sul. Experiências no Brasil, na Rússia e na Alemanha. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2. ed, 2006.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm >. Acesso em: 26 jun. 2018.

BRASIL. Decreto nº 24.643, de 10 de julho de 1934. Decreta o Código de Águas. Disponível em: <https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/91582/codigo-de-aguas-decreto-24643-34> Acesso em: 25 jun. 2018.

BRASIL. Decreto nº 4.281, de 25 de Junho de 2002. Regulamenta a Lei no 9.795, de 27 de abril de 1999, que institui a Política Nacional de Educação Ambiental, e dá outras providências. Disponível em: <http://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/99128/decreto-4281-02 >. Acesso em: 25 jun. 2018.

BRASIL. Decreto nº 23.793, de 23 de janeiro de 1934. Aprova o Código Florestal Brasileiro. Disponível em: <https://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/116688/decreto-23793-34>. Acesso em: 25 jun. 2018.

BRASIL. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9795.htm >. Acesso em: 25 jun. 2018.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de Dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm >. Acesso em: 25 jun. 2018.

BERMAN, M. Tudo que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. São Paulo, Companhia das Letras, 2007.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE – CONAMA. Resolução nº 01, de 23 de janeiro de 1986. Dispõe sobre critérios básicos e diretrizes gerais para a avaliação de impacto ambiental. Publicada no DOU, de 17 de fevereiro de 1986, seção 1, páginas 2548-2549. 1986.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE – CONAMA. Resolução nº 237, de 19 de dezembro de 1997. Dispõe sobre a revisão dos procedimentos e critérios utilizados no licenciamento ambiental, de acordo com a Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981.

DE ONDE VEM?. De onde vem à energia elétrica? #Episódio 3. 2015. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=8ti6FtlvMoc >. Acesso em: 10 mar. 2015

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários a prática educativa. São Paulo, Paz e Terra, 2011.

INFOESCOLA. Lei de Diretrizes e Bases para Educação Brasileira – Ensino Fundamental. Disponível em: <http://www.infoescola.com/educacao/ensino-fundamental />. Acesso em: 20 mar. 2018.

LOUREIRO, C. F. B, Educação ambiental no licenciamento: aspectos legais e teórico metodológicos. In: Carlos Frederico B. Loureiro (org). Educação Ambiental no contexto de medidas mitigadoras e compensatórias de impactos ambientais: a perspectiva do licenciamento. Salvador: IMA, 2009 - (Série Educação Ambiental v. 5).

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE – MMA. Conceitos de Educação Ambiental. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/educacao-ambiental/politica-de-educacao-ambiental . Acesso em: 19 mar. 2018.

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE – MMA. Instrução Normativa Nº2, de 27 de março de 2012. Estabelece as bases técnicas para programas de educação ambiental, apresentados como medidas mitigadoras ou compensatórias, em cumprimento às condicionantes das licenças ambientais emitidas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA. Disponível em: <http://www.lex.com.br/legis_23133441_INSTRUCAO_NORMATIVA_N_2_DE_27_DE_MARCO_DE_2012.aspx > Acessado em 11 de janeiro de 2017.

PORTAL MEIO AMBIENTE – MG. Educação Ambiental. Secretaria de Estado e Desenvolvimento Sustentável – SEMAD. Disponível em: <http://www.meioambiente.mg.gov.br/educacao-ambiental>. Acesso em: 15 jan. 2018.

SÁNCHEZ, L. E. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos. São Paulo: Oficina de Textos, 2° ed., 2013.

SILVA, R. G. S. Os processos de des-re-territorialização na implantação do complexo energético Amador Aguiar (MG) e os atingidos não proprietários de terras. 2014. 135p. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2014. [Orientador: Prof. Dr. Vicente de Paulo da Silva].

Downloads

Publicado

2018-12-20

Como Citar

Amaro, F. T., & Bernardes, M. B. J. (2018). Educação Ambiental como instrumento de mitigação de impactos ambientais: experiências com Programas de Educação Ambiental (PEA’s) desenvolvidos para linhas de transmissão de energia elétrica&lt;br&gt;Environmental education as an instrument to mitigate environmental impacts: experiences with Environmental Education Programs (EEP’s) developed for electric power transmission lines&lt;br&gt;Educación Ambiental como instrumento de mitigación de impactos ambientales: experiencias con Programas de Educación Ambiental (PEA’s) desarrollados para Líneas de Transmisión de energía eléctrica. REMEA - Revista Eletrônica Do Mestrado Em Educação Ambiental, 35(3), 152–169. https://doi.org/10.14295/remea.v35i3.8156

Edição

Seção

Artigos