“Família, melhor ter muita do que nenhuma.”: Família, hierarquia e relações de poder em Porto Alegre (séc. XVIII e XIX)

Autores

  • Denize Terezinha Leal Freitas UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.14295/rbhcs.v8i16.400

Palavras-chave:

Família, relações de poder, hierarquia, Porto Alegre,

Resumo

O presente estudo propõe uma reflexão sobre as relações de poder e hierarquia a partir de práticas familiares em Porto Alegre durante o período colonial tardio, na segunda metade do século XVIII. O laboratório de nossa análise será as relações familiares de Dona Anna Marques de Sampaio, uma celibatária sem filhos e Manuel José de Freitas Travassos, importante “homem bom” que viveu nesta comunidade durante este período. Para tanto, nos valeremos dos aportes teóricos e metodológicos da História da Família e das Populações, da Demografia histórica e do cruzamento nominativo das fontes civis e eclesiásticas com o propósito de compreendermos estes traços remetem ao Antigo Regime no extremo sul da América Portuguesa. De modo geral, consideramos que a mobilidade social e geográfica foram os pilares que conjugaram uma série de características que podemos denominar como práticas de Antigo Regime meridionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denize Terezinha Leal Freitas, UFRGS

Atualmente é doutoranda em História Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Bolsista CAPES) e Professora de História na Escola Estadual de Ensino Fundamental Ezequiel Nunes Filho - Esteio/RS. Integrante do Grupo de Pesquisa do CNPq Sociedades de Antigo Regime no Atlântico Sul. Mestre em História Latino-Americana na Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Possui graduação em História Licenciatura pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) e incompleta em Engenharia Ambiental na mesma instituição. Possui Especialização: O ensino da Geografia e da História: saberes e fazeres na contemporaneidade, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Co-editora e Membro do Conselho Editorial da Revista Brasileira de História & Ciências Sociais (ISSN: 2175-3423), membro do Grupo de Trabalho Infância, Juventude e Família da ANPUH-RS e membro do Grupo de Pesquisa/Cnpq Sociedades de Antigo Regime no Atlântico Sul (SARAS).

Referências

Referências Bibliográficas:

ABRANTES, Elizabeth Sousa. “O Dote é a moça educada”: mulher, dote e instrução em São Luís da Primeira República. São Luís: Editora UEMA, 2012.

BICALHO, Maria F. “As Câmaras Ultramarinas e governo do Império”. In: O Antigo Regime nos Trópicos – A dinâmica imperial portuguesa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001, p. 189-221.

BERUTE, Gabriel Santos. Com quem casar, a quem apadrinhar: notas de pesquisa sobre
matrimônio e relações de compadrio na comunidade mercantil de Porto Alegre (primeira metade do século XIX). Anais do XXVII Simpósio Nacional de História. Conhecimento histórico e diálogo social. Natal – RN, 22 a 26 de julho 2013. P. 1-15.
Disponível em:
http://snh2013.anpuh.org/resources/anais/27/1364770467_ARQUIVO_GabrielBerute_textocompletoXXVIIANPUH.pdf
Acessado em: 10 ago. 2016.
BRÜGGER, Silvia Maria Jardim. Minas patriarcal família e sociedade (São João Del Rei, Século XVIII e XIX). São Paulo: Annablume, 2007.

COMISSOLI, Adriano. Os “homens bons” e a Câmara Municipal de Porto Alegre (1767-1808). Porto Alegre: Câmara Municipal, 2008.

DIAS, Maria Odila Leite da Silva. “A interiorização da metrópole” in: A interiorização da metrópole e outros estudos. São Paulo: Alameda, 2005, p. 7-37.

FARINATTI, Luís Augusto Ebling. Confins meridionais: famílias de elite e sociedade agrária na Fronteira Sul do Brasil (1825-1865). 2007. 421 f. Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2007.

FIGUEIREDO, Luciano Raposo de Almeida. Barrocas famílias: vida familiar em Minas Gerais no século XVIII. São Paulo: HUCITEC, 1997.

FRAGOSO, João; BICALHO, Maria Fernanda; GOUVÊA, Maria de Fátima. Uma
leitura do Brasil colonial: bases da materialidade e da governabilidade no Império. In:
Penélope, Oeiras, v. 23, 2000.

FRAGOSO, João. “Efigênia Angola, Francisca Muniz forra parda, seus parceiros e senhores: freguesias rurais do Rio de Janeiro, século XVIII. Uma contribuição metodológica para a história colonial” in: Topoi, nº 21, jul-dez. 2010, p. 74-106.

FREITAS, Denize T. L.; SILVA, Jonathan Fachini. Dona Anna Marques de Sampaio: uma mulher de família, da Igreja, dona de escravos e proprietária de terras na Freguesia da Madre de Deus de Porto Alegre (finais do XVIII e meados do XIX), ANPUH – NATAL, RN, 2013.

GRAHAM, Richard. Clientelismo e política no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 1997, Capítulos 1, 2 e 3, p. 27-136.

GALLO, Alberto. “La venalidad de oficios públicos en Brasil durante el siglo XVIII” in: (coord.) Marco Bellingeri. Dinámicas de Antiguo Régimen y orden constitucional : representación, justicia y administración en Iberoamérica, siglos XVIII-XIX. Torino: Otto Editore, 2000, p. 97-175.

IRIGOYEN, Antonio. Las aportaciones de la Historia de la familia a la renovación de la Historia política y a la Historia de la Igresia. In: Poblaciones históricas: fuentes, métodos y líneas de investigacíon.. – Serie de Investigaciones n°9; 1° Ed. Rio de Janeiro: ALAP Editor: 2009.

HESPANHA, António M. Imbecillitas – As bem aventuranças da inferioridade nas sociedades de Antigo Regime. São Paulo: Annablume, 2010, cap. 2, p. 47-67 e cap. 9, p. 251-273.

KÜHN, Fábio. Gente da fronteira: família, sociedade e poder no sul da América portuguesa – Século XVIII. 2006. 479 f. Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2006b. Disponível em: <http://www.historia.uff.br/stricto/teses/Tese-2006_KUHN_Fabio-S.pdf>. Acesso em: 5 abr. 2010.

MARTINS, Maria Fernanda V. A Velha Arte de Governar – Um estudo sobre política e elites a partir do Conselho de Estado (1842-1889). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2007, Capítulo 1, p. 43-96.

NADALIN, Sergio Odilon. História e demografia: elementos para um diálogo. Campinas: ABEP, 2004. 248p. (Coleção Demographicas).

NOVAIS, Fernando. Portugal e Brasil na crise do antigo sistema colonial (1777-1808). São Paulo: Hucitec, 1979.

PRADO JÚNIOR, Caio. Formação do Brasil contemporâneo: colônia . 17 ed. São Paulo: Brasiliense, 1981.

RUSSEL-WOOD, A. J. R. “Centro e periferia no mundo luso-brasileiro, 1500-1808” in: Revista Brasileira de História. 1998, nº 36, p. 187-249.

SILVA, Maria Beatriz Nizza da. Sistema de Casamento no Brasil Colonial. São Paulo: EDUSP, 1984.

SILVA, Jonathan Fachini. Os filhos do destino: A exposição e os expostos na freguesia Madre de Deus de Porto Alegre (1772-1837). (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2014.

SCOTT, Ana Silvia Volpi; SCOTT, Dario. Uma alternativa metodológica para o cruzamento semiautomático de fontes nominativas: o NACAOB como opção para o caso luso-brasileiro. In. BOTELHO, Tarcísio R; LEEUWEN , Marco H. D. van (Orgs.), História social: perspectivas metodológicas. Belo Horizonte, Veredas & Cenários, 2012, pp. 83-108.

XAVIER, Ângela Barreto; HESPANHA, António Manuel. As redes clientelares. In:
MATTOSO, José (dir). História de Portugal: o Antigo Regime. Lisboa: editorial Estampa, s/d. p. 381-393.

Fontes
PARÓQUIA NOSSA SENHORA MADRE DE DEUS (PORTO ALEGRE) Livros de registro de batismos (1772-1833). [manuscrito]. Porto Alegre, 1772-1810. 8 v. Localização: Arquivo Histórico Cúria Metropolitana de Porto Alegre.
PARÓQUIA NOSSA SENHORA MADRE DE DEUS (PORTO ALEGRE) Livro de registro de óbitos (1853-1864). [manuscrito]. Porto Alegre, 1853-1864. 8 v. Localização: Arquivo Histórico Cúria Metropolitana de Porto Alegre. 84v.
ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Processo Judicial/Conciliação - 137 Réu: Anna Marques de Sampaio - 01/01/1833. Localização: Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul.

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Processo Judicial/Inventário - 144 - Inventariante: Anna Marques de Sampaio 01/01/1856. Localização: Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul.

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Processo Judicial/Testamento - 1087 - Testador: Anna Marques de Sampaio - 01/01/1844. Localização: Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul.

Downloads

Publicado

2016-12-14

Como Citar

Freitas, D. T. L. (2016). “Família, melhor ter muita do que nenhuma.”: Família, hierarquia e relações de poder em Porto Alegre (séc. XVIII e XIX). Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 8(16), 6–28. https://doi.org/10.14295/rbhcs.v8i16.400

Edição

Seção

Artigos Livres