“Minha querida Maria Rita”: o General Câmara na campanha do Uruguai (1864- 1865) através de cartas a esposa.

Autores

  • André Fertig UFSM

Palavras-chave:

história política, história militar, correspondências.

Resumo

Este artigo enfoca a atuação do General José Antonio Correia da Câmara na intervenção do Brasil no Uruguai, desde a saída em Porto Alegre no início de 1864 até a tomada brasileira de Montevidéu em fevereiro de 1865. Como fontes de análise utilizaremos as cartas enviadas por Câmara a sua esposa, Maria Rita Fernandes Pinheiro. Com tal propósito objetivamos compreender, principalmente, as percepções de Câmara sobre o trajeto percorrido por ele para chegar a fronteira meridional e suas dificuldades, as condições e cotidiano de sua vida militar, os preparativos militares para o enfrentamento contra os blancos uruguaios, bem como desejamos tratar do âmbito privado da vida de Câmara, ao buscar enfocar sua vivência pessoal no conflito, seus sentimentos expressados em relação as questões da guerra, assim como assuntos estritamente pessoais, como informações e sensibilidades expressadas sobre a sua condição pessoal de vida e de sua família, algo que as cartas nos informam de maneira privilegiada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Fertig, UFSM

Professor Adjunto do departamento de história da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e do Programa de Pós-Graduação em História (UFSM), doutor em história pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Downloads

Publicado

2015-06-04

Como Citar

Fertig, A. (2015). “Minha querida Maria Rita”: o General Câmara na campanha do Uruguai (1864- 1865) através de cartas a esposa. Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 4(8). Recuperado de https://periodicos.furg.br/rbhcs/article/view/10482