[1]
A. Payonki, “Destituição do poder familiar e maternidade socioafetiva”, JURIS, vol. 30, nº 2, abr. 2021.