<b>Renovação da História Política: a revista <i>Pindorama</i> como fonte histórica</b>

Autores

  • Amanda Siqueira da Silva

Palavras-chave:

Pindorama. Brigada Militar. Político. Renovação.

Resumo

Durante parte do século XX a História Política passa por um grande descrédito e marginalização. Isso ocorre devido à influência do Movimento dos Annales que passa a questionar os métodos historiográficos de até então, assim como os objetos de estudo monarquias, guerras, entre outros. Serão anos de ostracismo até que se percebe que o econômico por si só não se explica, assim como o social, tão valorizados pelos annalistas. Os historiadores voltam os olhares para o campo do político. Esse processo seria o que René Rémond denominou Renovação da História Política. Juntamente com essa renovação, que traz novos métodos e objetos de pesquisa, a Imprensa passa a ser indispensável. O impresso revista se individualiza diante das demais formas de impressos periódicos, já que suas informações são bastante amplas e na maioria das vezes tem um público específico, que é o caso da revista Pindorama. Esta surge em 1926, editada por integrantes da Brigada Militar, possibilitando-nos compreender como a Instituição era vista por seus integrantes, suas posições político-partidárias, etc. A revista teve um total de 31 edições e circulou por todo o Rio Grande do Sul, assim como teve exemplares distribuídos para os comandos dos demais Estados brasileiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amanda Siqueira da Silva

Mestranda em História pelo Programa de Pós-graduação da Universidade de Passo Fundo.

Downloads

Publicado

2012-06-01

Como Citar

da Silva, A. S. (2012). &lt;b&gt;Renovação da História Política: a revista &lt;i&gt;Pindorama&lt;/i&gt; como fonte histórica&lt;/b&gt;. Historiæ, 2(3), 161–170. Recuperado de https://periodicos.furg.br/hist/article/view/2616

Edição

Seção

Dossiê