<b>Por uma política orgânica: críticas às estruturas governamentais brasileiras na obra de Alberto Torres</b>

Autores

  • Júlia Silveira Matos

Palavras-chave:

Autoritarismo. Política. Alberto Torres.

Resumo

Os debates críticos sobre os problemas político-sociais se intensificaram a partir da segunda metade do século XIX. Formaram-se três tendências historiográficas: a primeira responsabilizou a cultura, o clima e a miscigenação racial, apesar de considerar nesses aspectos alguma riqueza, como fatores da fraqueza e atraso brasileiro; a segunda via na fragmentação cultural os problemas do Estado e propôs a exaltação nacional como meio de unificação dos espíritos; enquanto a terceira atribuiu tais questões à ineficiência das estruturas administrativas e falência da política brasileira. Nessa perspectiva, apresentaremos neste artigo nossa análise de “O Governo e a Política”, segunda parte da obra de Alberto Torres, publicada em 1915. Nosso foco é perceber suas críticas às estruturas governamentais brasileiras e, da mesma forma, sua proposta e concepção de política orgânica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlia Silveira Matos

Professora de História Moderna e de Teoria e metodologia da História dos cursos de História da Universidade Federal do Rio Grande.

Downloads

Como Citar

Matos, J. S. (2012). &lt;b&gt;Por uma política orgânica: críticas às estruturas governamentais brasileiras na obra de Alberto Torres&lt;/b&gt;. Historiæ, 2(2), 89–106. Recuperado de https://periodicos.furg.br/hist/article/view/2492

Edição

Seção

Dossiê