<b>O <i>continuum</i> da história e a memória da repressão política no Brasil</b>

Autores

  • Carlos Artur Gallo Cabrera

Palavras-chave:

Direitos humanos. Ditadura civil-militar no Brasil (1964-1985). Justiça de transição. Memória e esquecimento. Memória da repressão política.

Resumo

Identifica-se como a teoria de estudiosos que se focaram na compreensão da tensa relação entre memória e esquecimento pode contribuir para o enfrentamento de questões vinculadas à memória da repressão política no Brasil ditatorial (1964-1985). Organizações comandadas por familiares de mortos e desaparecidos políticos e entidades defensoras dos direitos humanos, entre outras, têm consolidado no país políticas com vistas a um melhor tratamento do tema. Ainda que tais políticas sejam limitadas, é perceptível que a sua concretização é intimamente vinculada a uma reformulação da visão historiográfica tradicional, segundo a qual, para se resgatar as memórias relegadas a um segundo plano pelo progresso, deve ser efetivada uma ruptura do continuum da história tal como pensado por Walter Benjamin.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Artur Gallo Cabrera

Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais (UniRitter, Canoas, 2007), bacharel em Ciências Sociais (UFRGS, Porto Alegre, 2010), especialista em Direito Internacional Público e Privado e Direito da Integração (UFRGS, Porto Alegre, 2009) e Mestre em Ciência Política (UFRGS, Porto Alegre, 2012). Atualmente, está cursando o Doutorado em Ciência Política da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Possui interesse em estudos relacionados à Ciência Política, à Sociologia Jurídica e do Direito, à História do Pensamento Jurídico, Político e Sociológico, à Filosofia do Direito, à Teoria do Estado, ao Direito Constitucional e ao Direito Internacional.

Mais informações: Currículo Lattes

Downloads

Como Citar

Cabrera, C. A. G. (2012). &lt;b&gt;O &lt;i&gt;continuum&lt;/i&gt; da história e a memória da repressão política no Brasil&lt;/b&gt;. Historiæ, 2(2), 53–64. Recuperado de https://periodicos.furg.br/hist/article/view/2489

Edição

Seção

Dossiê