<b>O Ensino de História e as representações dos Sem-Terra nos livros didáticos</b>

Autores

  • Andresa Costa

Palavras-chave:

Ensino de História. Livro didático. Reforma agrária. Movimentos sociais. Identidade.

Resumo

Este artigo é resultado de minha pesquisa de mestrado quando analisei os usos que se faz da pobreza no neoliberalismo. O foco da investigação foram narrativas sobre sujeitos pobres envolvidos nas disputas por terra nos últimos 20 anos no Brasil. O corpus de análise esteve composto por vinte e três livros didáticos de História publicados no país entre 1985 e 2005, que apontaram também para um conjunto de enunciados acerca dos sem-terra que circulavam em revistas semanais, jornais, documentários e sites na Internet. As ferramentas teóricas ou conceitos que orientaram a pesquisa são provenientes da vertente pós-estruturalista dos chamados Estudos Culturais em Educação. Os resultados colocaram em evidência a produtividade dos jogos de poder que atravessam a política cultural de identidade a que estão relacionados os múltiplos discursos sobre os sujeitos sem-terra em um país de dimensões continentais como o Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andresa Costa

Doutoranda em Educação – UFRGS

Downloads

Como Citar

Costa, A. (2011). &lt;b&gt;O Ensino de História e as representações dos Sem-Terra nos livros didáticos&lt;/b&gt;. Historiæ, 2(1), 123–136. Recuperado de https://periodicos.furg.br/hist/article/view/2404

Edição

Seção

Artigos