Nas margens do estuário:

construção, transformação e possibilidades de um patrimônio

Autores

  • Eliza Furlong Antochevis UFPel

Resumo

O presente artigo tem como tema o patrimônio edificado urbano e suas potencialidades turísticas. A Rua Riachuelo, na cidade do Rio Grande/RS, às margens do estuário da Laguna dos Patos, é o objeto de pesquisa. O objetivo geral é analisar como ocorreu o processo de construção da arquitetura dessa rua, e como as políticas públicas de preservação, na forma dos instrumentos de proteção, influenciaram o estado atual dos bens da rua e qual a sua capacidade de estimular o turismo local. A via foi observada em seu aspecto concreto, avaliando especialmente as fachadas frontais dos edificações. As técnicas de pesquisa envolveram coleta documental e revisão de literatura. A primeira parte tratou da construção do patrimônio, a partir de 1823, e da prosperidade alcançada por meio dos usos comercial e portuário. A segunda etapa abordou as transformações ocorridas no século XX, como a inauguração do Porto Novo e o surgimento dos novos meios de transportes. Tais mudanças tiveram reflexos nos usos, nas vivências e na arquitetura, com alguns resultados negativos. A última parte tratou do processo de patrimonialização, mencionando as legislações aplicadas ao patrimônio da rua, mostrando o seu estado de conservação e algumas possibilidades para o turismo patrimonial. Pode-se concluir que a Rua Riachuelo, apesar de apresentar descaracterizações profundas, ainda possui remanescentes do período de apogeu iniciado no século XIX, nem sempre evidentes em um primeiro olhar, mas que podem contribuir para o turismo patrimonial, através de uma gestão que leve em conta as suas especificidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-07-01

Como Citar

Furlong Antochevis, E. (2021). Nas margens do estuário: : construção, transformação e possibilidades de um patrimônio. Historiæ, 12(1), 231–249. Recuperado de https://periodicos.furg.br/hist/article/view/12513