Dos lugares e das políticas de memória em contextos de transição e pós-transição

Autores

  • Cristiéle Santos de Souza Universidade Federal de Pelotas
  • Carla Rodrigues Gastaud Universidade Federal de Pelotas

Resumo

Este artigo trata da relação existente entre os lugares de memória e a construção de políticas de memória em contextos de transição e pós-transição de regimes ditatoriais. Da mesma forma, propõe pensar as noções de patrimonialidade e regimes de historicidade como elementos fundamentais para compreender essa relação. Para tanto, foram analisados dois casos: o conjunto de monumentos à Carta-testamento de Getúlio Vargas, no Brasil, e o Valle de los Caídos, na Espanha. A pesquisa se deu por meio do estudo da bibliografia referente ao tema e de reportagens e dados divulgados pela mídia impressa e digital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Rodrigues Gastaud, Universidade Federal de Pelotas

Possui graduação em História pela Universidade Federal de Pelotas (1994), graduação em Direito pela Universidade Federal de Pelotas (1987), mestrado em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998) e Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2009). É professora associada da Universidade Federal de Pelotas no Curso de Museologia e no Programa de Pós Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural.

Downloads

Publicado

2021-07-01

Como Citar

Santos de Souza, C., & Rodrigues Gastaud, C. (2021). Dos lugares e das políticas de memória em contextos de transição e pós-transição. Historiæ, 12(1), 79–99. Recuperado de https://periodicos.furg.br/hist/article/view/12503