Lute como uma menina! o verbo é lutar desde o nascimento na vida de meninas e mulheres

Adriana Alves da Silva, Ana Lúcia Goulart de Faria, Daniela Finco

Resumo


Este artigo instigado na interlocução com o pensamento de Rosa
Luxemburgo, tem como pontos de partida três eixos da sua teoria
revolucionária: 1. a crescente insegurança da existência no
capitalismo, 2. a ação autônoma das massas e da necessidade
histórica que as impele a auto-organização e 3. a aposta central que no princípio era a ação. Transpondo para nosso tempo histórico, lute como uma menina é a perfeita tradução de um momento Rosa Luxemburgo e da atualidade das suas ideias. Nesta perspectiva buscamos apresentar a força dos movimentos sociais de resistência de jovens meninas e mulheres contra as diversas formas de violências de gênero que vivemos atualmente. Ao trazer diferentes eventos contemporâneos que marcam o movimento feminista transnacional, realizamos uma breve cartografia da violência de gênero, problematizando suas causas e destacando a importância da dimensão política da luta coletiva nos espaços públicos, pela defesa dos Direitos Humanos. As lutas feministas nos ensinam que não existem justificativas para as tantas desigualdades sociais e perdas, nos ensinam que luto é verbo!

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Historiæ, ISSN 1519-8502, E-ISSN 2238-5541, Rio Grande/RS, Brasil


PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ