Repositório institucional como componente de sistemas de informação gerencial para universidades

Milton Shintaku, Emir José Suaiden

Resumo


As universidades são instituições de ensino que se destacam pela formação e pesquisa. Possui certa autonomia e compartilha características com outras instituições prestadoras de serviço, no que concerne a gestão de pessoal e finanças, mas com diferenças nas questões pedagógicas e de pesquisa. Nesse sentido, requer informação estratégica que apoie as decisões voltadas às questões relacionadas às peculiaridades da instituição. Nesse contexto, o presente estudo tem por objetivo analisar os repositórios institucionais acadêmicos como parte do sistema de informação para universidades, que forneça informações estratégicas a instituição. Um estudo de cunho qualitativo, de forma a relacionar conceitos de repositórios e sistemas de informação. Por conter a produção acadêmica da universidade, o repositório institucional pode ofertar aos gestores informações sobre essa produção e o acesso a produção, revelando questões de produtividade e visibilidade de forma geral ou escalonada. Expande a visão dos repositórios para além do processo de disseminação da informação, para a de geração de meta-informações. Revela-se uma ferramenta útil aos gestores das diversas esferas da universidade.

Palavras-chave


Sistemas de informação gerencial; Repositórios institucionais; universidades.

Texto completo:

PDF

Referências


BJÖRK, B. C. Scientific communication life-cycle model. 2005. disponível em: . Acesso em: Mai. 2011.

BRASIL, LEI n.º 9394, de 20 de Dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, Diário da União, Brasília, 1996.

______. Decreto Nº 5.773. de 9 de maio de 2006, que dispõe sobre o exercício das funções de regulação, supervisão e avaliação de instituições de educação superior e cursos superiores de graduação e seqüenciais no sistema federal de ensino. Presidencia da República, Brasília 2006.

______. Decreto nº 5.224, de 01 de outubro de 2004. Dispõe sobre a organização dos Centros Federais de Educação Tecnológica e dá outras providências. Brasília, DF: 23 de julho de 200

CAFÉ, Lígia et al. Repositórios institucionais: nova estratégia para publicação científica na rede. In: ENDOCON – Encontro Nacional de Informação em Ciências da Comunicação, n. 13. 2003. Belo Horizonte. Anais. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

CARMO, V. B.; PONTES, C. C. C. Sistemas de informação gerenciais para programa de qualidade total em pequenas empresas da região de Campinas. Ciência da Informação, Brasília, v. 28, n. 1, p. 49-58, jan./abr. 1999

COSTA, S. M. S. Abordagens, estratégias e ferramentas para o acesso aberto via periódicos e repositórios institucionais em instituições acadêmicas brasileiras. Liinc em Revista, 2008, v. 4, n. 2 disponível em < http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/view/281> Acesso em: abr/2011.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: método qualitativo, quantitativo e misto. Tradução de Luciana de Oliveira da Rocha. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DURHAM, E. R. Os Desafios da Autonomia Universitária. Educação & Sociedade, São Paulo, v. 10, n. 33, p. 27-40, 1989.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M. N. (Novas fronteiras tecnológicas das ações de informação: questões e abordagens. In Ciência da Informação, 33(1) pages 55-67, Ibict - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, 2004.

GIL, A. C. Como elaborar um projeto de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

GUIMARÃES, E. M. P. & ÉVORA, Y. D. M. Sistema de informação: instrumento para tomada de decisão no exercício da gerência. Ciência da informação, Volume 33, Número 1, Janeiro/Abril, 2004

KENNAN, M. A.; WILSON, C. Institutional repositories: review and an information systems perspective . Library management, v. 27, n. 4/5. 2006

LEITE, F. C. L.; COSTA, S. M. S. Repositórios institucionais como ferramentas de gestão do conhecimento científico no ambiente acadêmico. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 11, n. 2, 2006. Disponível em:< http://www.eci.ufmg.br/pcionline>

NONAKA, I. & TAKEUCHI, H.. Criação do conhecimento na empresa. Rio de Janeiro:Campus, 1997

O’BRIEN, J. A. Introduction to information systems. 9th edition. New York: Irwin,McGraw-Hill, 2000.

PEROTTONI, R. OLIVEIRA, M. LUCIANO, E. M. FREITAS, H. Sistemas de informação: um estudo comparativo das características tradicionais às atuais. Porto Alegre, ReAd. UFRGS, v.7, n.3. 2001.

PINHEIRO, Lena Vania Ribeiro. Gênese da Ciência da Informação ou sinais anunciadoresda nova área. In: O campo da Ciência da Informação: gênese, conexões e especificidades. João Pessoa, UFPB, 2002. P.61-86

RICHARDSON, J. R. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

RODRIGUES FILHO, J. LUDMER, G. Sistema de Informação: que ciência é essa. JISTEM, v. 2 n.2, São Paulo, 2005.

SHINTAKU, M.; DUQUE, C. G.; SUAIDEN, E. J. Análise sobre o uso das tendências tecnológicas nos repositórios brasileiros. Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e Biblioteconomia. [Em linha]. Vol. 9, Nº 2, 2014. Disponível em: . Acesso em: 03 jan 2015. .

TARAPANOFF, K. Inteligência social e inteligência competitiva. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, n. especial, p. 11-26, jan./jun. 2004. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 2011.

TARAPANOFF, K; ARAÚJO JÚNOR, R.; CORMIER, P. M. J.. Sociedade da informação e inteligência em unidades de informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 29, n. 3, p. 91-100, 2000.

TEIXEIRA FILHO, Jayme. Tudo que parece sólido desmancha no ar: indicadores na gestão do conhecimento. Insight Informal. 053. 18-jun.-2002. Disponível em: . Acesso em: 20 jun. 20011.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


PROPESQ PROPESQ PROPESQ   PROPESQ   PROPESQPROPESQ             PROPESQ

 

 

PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ