Criação da garoupa-verdadeira Epinephelus marginatus (Lowe, 1834) (Teleostei, Serranidae) alimentada com rejeito de pesca e ração úmida em tanques-rede

Eduardo Gomes Sanches, Venâncio Guesdes de Azevedo, Marcus Rodrigues da Costa

Resumo


Diversos trabalhos apontam os serranídeos como uma das principais famílias de peixes marinhos produzidos comercialmente. Entretanto, no Brasil, a criação de peixes marinhos é praticamente inexistente, apesar dos serranídeos serem um grupo freqüentemente encontrado ao longo do litoral brasileiro. O objetivo do presente estudo foi avaliar o desempenho da garoupa verdadeira (Epinephelus marginatus) alimentada com rejeito de pesca e ração úmida em tanques-rede. Os peixes foram divididos em dois lotes. O lote A foi alimentado com ração úmida e o lote B foi alimentado com rejeito de pesca. O lote A apresentou um peso médio inicial de 105,5 ± 16,7 gramas e o lote B um peso médio inicial de 198,4 ± 39,9 gramas. Após 150 dias o lote A apresentou um peso médio de 213,5 ± 61,7 gramas e o lote B um peso médio de 473,9 ± 109,5 gramas. O lote A, ao final do experimento, apresentou alguns exemplares magros, demonstrando assim uma não adaptação dos animais ao tipo de formulação utilizada. O lote B apresentou uma melhor conversão alimentar aparente demonstrando claramente a habilidade em ganho de peso da garoupa verdadeira quando submetida a uma dieta a base de rejeito de pesca.

Palavras-chave


Epinephelus marginatus; garoupa; maricultura; tanque-rede; rejeito de pesca; Epinephelus marginatus; dusky grouper; by catch; floating net cages

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5088/atlântica.v29i2.707

ATLÂNTICA (RIO GRANDE), ISSN eletrônico: 2236-7586 / ISSN impresso: 0102-1656, Rio Grande/RS, Brasil