Utilização de probiótico e antibiótico no cultivo de pós-larvas do camarão Branco Litopenaeus vannamei

Marcelo Rego, Emanuell Silva, Nathalia Calazans, Joana Vogeley, Roberta Nery, Roberta Soares, Silvio Peixoto

Resumo


O estudo teve como objetivo comparar o efeito da utilização de probiótico e antibiótico no cultivo de pós-larvas do camarão
branco Litopenaeus vannamei. O experimento consistiu de três tratamentos com quatro repetições cada, correspondendo a um tratamento biológico (TB), onde foi adicionado probiótico (Bacillus spp.), tratamento químico (TQ), com adição de antibiótico (eritromicina + formalina) e controle (TC), sem adição de nenhum produto na água de cultivo. Pós-larvas no primeiro dia após a metamorfose (PL1) foram estocadas na densidade de 50 pós-larvas L-1 em cada recipiente experimental de 5 litros. O experimento teve duração de 10 dias, onde diariamente foram monitorados os parâmetros de qualidade de água e ao final foram feitas análises morfológicas dos animais. A concentração presuntiva de Vibrio spp. na água e nas pós-larvas foi
quantificada no início e final do experimento. Não houve diferença significativa quanto aos parâmetros de qualidade de água entre os tratamentos. Da mesma forma, não foram observadas diferenças significativas entre os tratamentos quanto ao peso final (2,31 a 2,67 mg), comprimento final (7,55 a 7,68 mm) e sobrevivência dos camarões (74,8 a 77,7%). Porém, as concentrações presuntivas finais de Vibrio spp. na água de cultivo e nas pós-larvas foram reduzidas significativamente com a utilização de probiótico (TB) comparado com os outros tratamentos. Os resultados sugerem que o emprego do probiótico Bacillus spp. tem grande potencial para substituir o antibiótico eritromicina e formalina no cultivo de pós-larvas de L. vannamei, com possíveis benefícios para a sanidade das pós-larvas cultivadas, além de seguir princípios de aquicultura responsável.

Palavras-chave


Larvicultura; camarão marinho; probiótico; Vibrio

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5088/atlântica.v34i2.3176

ATLÂNTICA (RIO GRANDE), ISSN eletrônico: 2236-7586 / ISSN impresso: 0102-1656, Rio Grande/RS, Brasil