Efeito crioprotetor de diferentes concentrações do dimetilsulfóxido no Congelamento de sêmen de tambaqui Colossoma macropomum

Antonio Sergio Varela Junior, Carine Dahl Corcini, Danilo Pedro Streit Jr, Guilherme Rizzoto, Rodrigo Dessesards Jardim, Thomaz Lucia Jr, Mario Roberto Chim Figueiredo

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do diluente com dimetilsulfóxido (DMSO) sobre a estrutura e funcionalidade do espermatozóide de tambaqui Colossoma macropomum criopreservado. O sêmen foi diluído 1/9 (v/v) em Beltsville Thawing Solution acrescido de 5, 10, 15 e 20% de DMSO. Após dois minutos foi congelado em botijão dry shipper (-76°C/12h), sendo armazenado em botijão de NL (-196°C). Após 15 dias o sêmen criopreservado foi avaliado quanto às taxas de motilidade, latência, fertilização, eclosão, integridade de membrana e de DNA, funcionalidade mitocondrial e viabilidade. As taxas de
fertilização e eclosão com 10% DMSO não diferiram (P > 0,05) do sêmen fresco. Os diluentes com 5 e 10% de DMSO foram superiores (P < 0,05), nas avaliações de motilidade, latência e integridade de DNA do espermatozóide, às concentrações 15 e 20%. Entretanto, a viabilidade celular nas concentrações 5 e 10% de DMSO foi inferior (P < 0,05) à obtida com 20% de DMSO, enquanto com 15% de DMSO não diferiu (P > 0,05) das demais concentrações. Considerando os resultados in vivo e in vitro, nas condições experimentais relatadas, o DMSO na concentração de 10% foi associado à melhor manutenção da qualidade de sêmen criopreservado de Tambaqui.

Palavras-chave


Esperma; migrador; criopreservação; peixe

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5088/atlântica.v34i2.3175

ATLÂNTICA (RIO GRANDE), ISSN eletrônico: 2236-7586 / ISSN impresso: 0102-1656, Rio Grande/RS, Brasil