Efeito da temperatura na sobrevivência, consumo alimentar e crescimento de pós-larvas do camarão-rosa Farfantepenaeus paulensis

Roberta Borda Soares, Sílvio Peixoto, Adalto Bianchini, Ronaldo Cavalli, Wilson Wasielesky

Resumo


Uma sequência de três experimentos foi realizada para avaliar o efeito da temperatura na sobrevivência, consumo alimentar e crescimento de pós-larvas de Farfantepenaeus paulensis. Foram avaliadas as faixas de resistência das pós-larvas (PL20) em altas e baixas temperaturas. Grupos de pós-larvas foram submetidos a elevação ou redução gradual (1°C por dia) da temperatura da água até a mortalidade total ser observada. A temperatura mínima para sobrevivência de 100% dos animais foi estimada em 13,0°C e a mortalidade total em 8,3°C. Já a temperatura máxima para sobrevivência de 100% dos animais foi estimada em 33,2°C e a mortalidade total em 40,4°C. Para determinação da temperatura letal média (LT50) pós-larvas foram submetidas a seis temperaturas, variando de 7°C a 14°C (baixas temperaturas) e de 30°C a 40°C (altas temperaturas) por 96 horas. O LT50 inferior foi estimado em 9.3°C, enquanto o LT50 superior em 35.5°C. O crescimento e o consumo de Artemia pelas pós-larvas foram medidos nas temperaturas 18; 20; 23; 26; 29 e 32°C durante 30 dias. Foi observado um incremento significativo (p<0,05) no crescimento dos animais e no consumo de alimento com o aumento da temperatura. Os resultados sugerem que as pós-larvas sejam cultivadas em tanques de berçário com temperaturas entre 29-32°C. Já para berçários realizados diretamente no ambiente estuarino da Lagoa dos Patos recomenda-se que sejam limitados aos meses de primavera
e verão

Palavras-chave


Farfantepenaeus paulensis; temperatura; consumo alimentar; crescimento

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5088/atlântica.v34i1.2700

ATLÂNTICA (RIO GRANDE), ISSN eletrônico: 2236-7586 / ISSN impresso: 0102-1656, Rio Grande/RS, Brasil