Utilização de protozoários, rotíferos e nematódeos como alimento vivo para camarões cultivados no sistema BFT

Claudio Kinach Loureiro, Wilson Wasielesky Junior, Paulo César Abreu

Resumo


O Meio de Cultivo de Protozoários e Nematódeos – PNCM, possibilita a produção de microrganismos de forma barata para a utilização como o alimento vivo em cultivos de camarões marinhos. Ciliados produzidos no PNCM foram testados como alimento vivo para pós-larvas de camarões em um experimento com quatro tratamentos: (BFT) somente bioflocos; (BFT 10) 10 mL de PNCM adicionado ao biofloco; (BFT 100) 100 mL de PNCM adicionado ao biofloco; BFT 1000) 1000 mL de PNCM adicionado ao biofloco. Os microrganismos foram analisados nas fases inicial, intermediária e final do experimento, realizado durante 30 dias. A análise do conteúdo estomacal dos camarões indicou a predação dos ciliados pelas pós-larvas. Na maioria dos tratamentos, o período inicial foi marcado pelo incremento dos flagelados, a fase intermediária foi marcada pela redução na abundância de ciliados, a fase final foi representada pelo aumento na abundância de ciliados e rotíferos. Em todos os tratamentos, os nematódeos não foram encontrados nas amostras finais, em nenhuma das três fases de cultivo, sugerindo que estes organismos foram efetivamente predados pelos camarões. Este estudo indicou que ciliados, rotíferos e nematódeos, desempenham importante papel como alimento vivo em larviculturas, principalmente pelo seu tamanho reduzido, valor nutricional e atratividade exercida sobre as pós-larvas.

Palavras-chave


Biofloco; conteúdo estomacal; microorganismos; larvicultura

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5088/atlântica.v34i1.2698

ATLÂNTICA (RIO GRANDE), ISSN eletrônico: 2236-7586 / ISSN impresso: 0102-1656, Rio Grande/RS, Brasil