Influencia do fotoperíodo em cultivo de larvas de robalo-peva, Centropomus parallelus

Kenzo Peixoto Hiratsuka, Vinicius Ronzani Cerqueira

Resumo


Objetivando verificar a influencia do fotoperiodo em larvas de robalo-peva, classificadas como predadoras visuais, realizaram-se dois experimentos no laboratório de piscicultura marinha da UFSC. No primeiro utilizaram-se larvas de 0 a 14 dias analisando-se sobrevivência (%) e comprimento padrão (Cp). No segundo, utilizaram-se larvas entre 31 a 62 dias e avaliaram-se: sobrevivência; comprimento total (Ct); peso (g); Índice de conversão alimentar (ICA), taxa de alimentação (%), taxa de crescimento específico (TCE) e fator de condição de Fulton (K). Utilizaram-se 9 tanques (4,5 L, com 180 e 35 larvas/tanque, nos experimentos 1 e 2, respectivamente). Os tratamentos, em triplicata, foram 12, 18 e 24 horas de luz (12 h, 18 h e 24 h respectivamente). Forneceram-se rotíferos (Brachionus sp.) no experimento 1 e matanáuplios de Artemia e ração para desmame no experimento 2. Os maiores valores de Cp ocorreram nos tratamentos 24 h e 18 h. No experimento 2, o peso e o Ct foram maiores em 18 h, assim como melhores ICA e taxa de alimentação. Recomenda-se iluminação com 18 horas nos dois períodos larvais estudados.

Palavras-chave


Fotoperíodo; Robalo-peva; Larvicultura; Sobrevivência; Crescimento

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5088/atl.2013.35.1.35

ATLÂNTICA (RIO GRANDE), ISSN eletrônico: 2236-7586 / ISSN impresso: 0102-1656, Rio Grande/RS, Brasil