Mudas e massas corporais em aves migratórias do Mangue da Carapeba, Rio de Janeiro, Brasil

Juliana Ywasaki Lima, Ronaldo Novelli, Carlos Eurico Pires Ferreira Travassos

Resumo


Nas aves migratórias o estágio do ciclo de vida e a atividade de muda, parecem ser influenciados pela massa corporal que varia com estação, hora do dia, sexo e populações. Estas variações verificadas na muda em diversas localidades também podem estar relacionadas ao tempo de permanência na área e a oferta e qualidade alimentar local, bem como as variações geográficas das espécies. O estudo objetivou comparar a biomassa das aves migratórias do Mangue da Carapeba, Campos dos Goytacazes-RJ com a região Norte do Brasil. A média das biomassas observadas no Mangue da Carapeba foi menor que no Norte do Brasil. Na análise das mudas os dados para a espécie Charadrius semipalmatus concordam com os da região Norte Brasileira. Em Actitis macularius não houve padrão bem definido na distribuição das rêmiges. Para Calidris fuscicolis, Numenius phaeopus e Pluvialis squatarola não foi verificado um padrão de muda das rêmiges, pois o número de indivíduos que apresentaram mudas foi baixo. Na análise das retrizes, poucos indivíduos apresentaram muda, não ocorrendo padrão definido para nenhuma das espécies. As variações encontradas nas mudas e na biomassa podem estar relacionadas à oferta e qualidade alimentar das diferentes áreas e as variações geográficas das espécies.

Palavras-chave


Avifauna; Charadriiformes; Migração; Norte Fluminense

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5088/atl.2013.35.1.71

ATLÂNTICA (RIO GRANDE), ISSN eletrônico: 2236-7586 / ISSN impresso: 0102-1656, Rio Grande/RS, Brasil