Incidência da pesca de arrasto camaroeiro sobre peixes em atividade reprodutiva: Uma avaliação no litoral norte de Santa Catarina, Brasil.

Juliana Ventura Pina, Paulo de Tarso Chaves

Resumo


As consequências da mudança do período de defeso da pesca do camarão sete-barbas sobre a atividade reprodutiva dos peixes que compõem a captura incidental foram avaliadas através de amostragens numa comunidade no norte de Santa Catatina entre outubro de 2005 e março de 2007. Das 72 espécies reconhecidas, 21% eram Sciaenidae. O arrasto incidiu predominantemente sobre peixes imaturos, sendo que em 22 espécies apenas indivíduos nessa condição foram registrados. Noutras 32 espécies registraram-se indivíduos maduros, em nove das quais também indivíduos desovados ou espermiados. O Índice de Atividade Reprodutiva apontou que Pellona harroweri e Stellifer sp integram o arrasto em atividade reprodutiva muito intensa, e Isopisthus parvipinnis, Paralonchurus brasiliensis, Stellifer brasiliensis, S. stellifer e Symphurus tesselatus no máximo na categoria intensa. Primavera de 2005, o verão de 2006 e o verão de 2007 foram as estações com espécies em atividade reprodutiva muito intensa. O verão de 2007, tendo sucedido o período de defeso, apresentou apenas uma espécie a mais com atividade reprodutiva intensa que o verão de 2006. Propõe-se, assim, que a mudança da interdição do arrasto, do outono em 2005 para a primavera em 2006, não trouxe reflexos sobre a atividade reprodutiva da ictiofauna na comunidade estudada.

Palavras-chave


Captura incidental; Índice de Atividade Reprodutiva; reprodução; ictiofauna; By-catch; Reproductive Activity Index; breeding; fish assemblage.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5088/atlântica.v31i1.1535

ATLÂNTICA (RIO GRANDE), ISSN eletrônico: 2236-7586 / ISSN impresso: 0102-1656, Rio Grande/RS, Brasil